sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Estudo mostra que 91% de tudo o que a imprensa fala de Trump é negativo ou hostil

Implicante


O Media Research Center fez um estudo sobre a cobertura televisiva das eleições para presidente dos Estados Unidos. E chegou a duas conclusões óbvias que vinham sendo negadas pela própria imprensa: Donald Trump chama bem mais atenção do noticiário do que Hillary Clinton, mas 91% do que é publicado sobre ele apresenta um tom negativo ou mesmo hostil.

O horário nobre era o alvo. Dos 1.191 minutos de transmissão analisados pelo estudo, 440 minutos foram dedicados a controvérsias que atingiam Trump, contra 185 minutos das que atingiam Clinton. A diferença chega a assustadores 138% contra o candidato republicano.

Sozinho, o caso envolvendo abuso de Trump contra mulheres protagonizou 102 minutos de reportagens, enquanto o escândalo sobre os e-mails de Clinton não mereceu mais do que 53 minutos.

Trump vem acusando a imprensa americana de estar refém do esquerdismo. É um movimento que também se observa aqui no Brasil. Curiosamente, a cobertura internacional brasileira renega a crítica e diz que tudo não passa de um desejo censor do candidato.

De fato, Trump é polêmico e encampa ideias que merecem muita discussão antes de qualquer risco de adoção. Mas poucas vezes ele soa mais certeiro do que quando escancara o viés esquerdista do jornalismo.
Título, Imagem e Texto: Implicante, 28-10-2016

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-