segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A bula

Jonathas Filho

Tem sido um problema constante, a saúde dos nativos dessa nossa tão grande aldeia.  Estamos sofrendo das mais diversas moléstias endêmicas, apesar de muitas  serem peculiares  desse nosso povo. Já se passaram séculos de omissão dos próprios pacientes,  que  levaram algum tempo para entender  que precisam   submeterem-se a  terapias intensivas para erradicação  dessas doenças parasitárias. Não se trata de um tratamento experimental, pois já foi empregado em outras plagas e funcionou.

Tudo  isso que está acontecendo é devido à imprudência de não nos comprometermos com a cura, e agora,  passados bem mais do que dez anos, tais doenças tornaram-se crônicas e a cada dia agudizam-se, podendo levar à caquexia com fraqueza, desnutrição e morte.  

A cura pretendida,  mesmo que remota,  pode ser encontrada e a situação revertida em todo esse processo doentio, que nos foi  inoculado  por “vírus oportunistas” que se aproveitaram de um momento de  “baixa imunidade” dessa brava gente.                      

Muitos tornaram-se reféns desses vírus pensando que alguns atenuantes aplicados  iriam recompor-lhes o bem-estar, porém,  amiúde o que se observa é que tais paliativos proporcionaram um  outro tipo de  parasitismo na maior camada populacional,  que é a base de sustentação dos Faraós da chamada  Pirâmide Social.

Seriam  as Dez Pragas do Egito replicadas e recaindo sobre Pindorama?
Pode ser que sim, mas ainda assim acredita-se que a  cura possa ser realizada. Hoje em dia existem remédios integrados por substâncias  compostas por vírus mortos e/ou enfraquecidos, mas amplamente habilitadas  a causar no organismo uma maior produção de anticorpos, debelando muitas doenças  provocadas por vermes. Possivelmente, tais fármacos induzirão também a reações adversas. Todavia,  após algum tempo diminuirão e cessarão.

Os cuidados na aplicação aos idosos deverão ser observados atentamente,  prescrevendo-se um aumento considerável na quantidade do remédio,  pois  os percentuais  que foram anteriormente recomendados por alguns “curandeiros” foram tão irri$ório$  que  causaram  mais abatimento e  depre$$ão nesses valorosos velhinhos, em especial naqueles que trabalharam na aviação comercial e que  pagaram durante décadas para o Fundo de Pensão Aerus esperando ter um restante de vida saudável e digna, mas foram surpreendidos com a falta de saúde financeira do fundo mencionado.  Apesar da resiliência destes ex-trabalhadores, alguns muito combalidos, infelizmente  já fazem parte de uma estatística de mais de 1.000 óbitos, desde Abril de 2006 até à presente data.


O que se espera desse remédio é que o povo desperte dessa letargia e siga um caminho de liberdade, prosperidade, desenvolvimento e paz.

Como se deve usar este remédio?
Leia a bula e certifique-se de que a substância apresentada é a mais apropriada  e que trará consequências reparadoras, recuperando a sua dignidade e causando bem-estar para você e todos os seus concidadãos.  Retire cabrestos, segundas e  terceiras intenções. Não se deixe enganar por promessas mirabolantes para a cura mais rápida.

Nota: Sabe-se que ler uma bula às vezes é complicado pois muitos termos não são compreensíveis para alguns, mas caso isso lhe aconteça, peça a um amigo ou a um parente em quem você confie, que leia e dê a interpretação precisa, mas de forma hábil e clara, para que você entenda definitivamente que esse remédio deve ser sempre usado antes das eleições  e confirmado nas urnas.

A posologia a ser utilizada  é a dose máxima de consciência e seriedade na intenção de melhores dias.
Título e Texto: Jonathas Filho, sempre lê a Bula. 24-08-2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-