segunda-feira, 27 de abril de 2015

A temporada de caça ao aposentado

Almir Papalardo
Muito criativo o dom da agitada humanidade em fomentar para a sua satisfação e lazer, a “Temporada da Caça”. Assim, em determinadas épocas do ano, com plena autorização dos órgãos competentes, o povo se diverte escolhendo variados animais, dando início a uma tenaz perseguição ao alvo pré-estabelecido. Inicia-se assim uma caçada cruel e incansável e, salve-se quem puder...

A caçada na floresta, quadro de Paolo Uccello, janeiro de 1496

Algumas dessas caçadas são realizadas até com a ajuda de cavalos para a perseguição dos animais fugitivos e também de cães farejadores para descobri-los nos mais ocultos esconderijos. Aí, para regalo e prazer insaciável dos caçadores, vemos as pobres vítimas também enlouquecidas, tomadas pelo desespero de salvarem-se de um cruel massacre! É uma corrida de fazer inveja à própria corrida de "Fórmula 1”, mundialmente conhecida e festejada.

É assim a temporada da caça à raposa; é assim a caça de outros animais selvagens; é assim a caça de aves silvestres; como mais empolgante ainda é a caça das aves voadoras, quando o grande desafio é tentar alvejá-las em pleno ar, encerrando de modo perverso o seu longo e elegante voo! Aí o caçador se baba de satisfação e orgulho, julgando-se o melhor atirador entre outros tantos atiradores, igualmente habilidosos.

Não podemos esquecer da “Farra do Boi”, odiosa prática realizada em Santa Catarina, no período da Quaresma, quando os pobres animais são impiedosamente caçados e maltratados, submetidos às mais variadas e cruéis torturas, levando o seu corpo a sangrar gravemente, tirando-lhes, inevitavelmente, a vida! Pobres animais vítimas da condenável sanha humana! 

Ainda existem outros tipos de caçadas infelizmente mais cruéis ainda. Trata-se de assassinatos praticados contra povos ou grupos de seres humanos, o que me abstenho de tecer maiores comentários por tratar-se de uma prática diabólica e abominável, que afasta a vontade de alongar-se qualquer comentário sobre o nefasto assunto! Para mim é muito pior do que o mais agressivo câncer existente, que castiga e dizima a nossa já tão sofrida e perdida civilização.

Ah! Não esqueçamos o que é considerado como folclore, a existência do dia da “Caça às Bruxas”! Este dia existe sim! Mas não podemos mais considerá-lo como assombração, como sobrenatural, pela existência, do que seria até cômico se não fosse trágico, da mais nova das caçadas inventadas por cérebros iguais ao do Professor Pardal, criada ardilosamente pelo governo brasileiro, para lesar velhos e indefesos trabalhadores aposentados:

 “A TEMPORADA DA CAÇA AO APOSENTADO”

Não, não é nenhuma brincadeira! Quem não sabe que o aposentado do RGPS da iniciativa privada que recebe de aposentadoria mais de UM salário mínimo, está sendo caçado desde o ano de 1998, quando desvincularam o seu reajuste ao do salário mínimo? O período de caça rotineira destes aposentados, é em todos os meses, do dia 1º ao 5º dia útil, no próprio estabelecimento bancário, momento em que volta a sentir intensamente os ferimentos sofridos pelas caçadas anteriores, vendo que o seu provento, cada vez mais defasado, nunca poderia ser este que agora está recebendo!

E a caçada principal mesmo, a que maior dano causa a vítima/aposentado, é por ocasião da discussão e votação para corrigir o salário mínimo, quando ele é alvejado com requintes de crueldade, por não receber como os outros aposentados do mesmo regime, o mesmo percentual dado ao SM. A cada nova correção do SM, o aposentado caçado é alvejado pelos tiros certeiros dos covardes caçadores/governo.

E o pior é que existem ainda outras caçadas funcionando, o que acontece quando algum projeto favorável ao aposentado consegue passar pelo Congresso, com aprovação, e o Coordenador-Mor das macabras caçadas aos segurados, com armas de calibre mais grosso e mortal, veta o referido projeto, encurtando mais ainda a vida dos aposentados. Além dos tiros que lhe afetam o equilíbrio corporal já combalido pela idade, a sua ração/alimentação fica cada vez mais enfraquecida, pela necessidade financeira de diminuir o valor nutricional, devido os seus proventos ficarem a cada novo reajuste mais degradado, pela política torpe e proibitiva de receber o mesmo índice que é dado ao salário mínimo, um seguro e acertado referencial para recuperação das inflações...

Que os Poderes Públicos deste país pensem numa maneira de coibir esdrúxula caçada, porque os aposentados além de serem ilegalmente caçados como animais, ainda arcam com um desgaste mental por verem que seus proventos da aposentadoria, não se coadunam de forma alguma, com suas antigas contribuições feitas ao INSS durante 35 anos ou mais de atividade!!
Título e Texto: Almir Papalardo, 27-4-2015

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-