quinta-feira, 8 de setembro de 2016

[Minha Pátria é a Língua Portuguesa] De Paraolimpíada a Paralimpíada: por que a mudança?

Jefferson Puff
A Paralimpíada está na sua 15ª edição e já foi oficialmente chamada de "Paraolimpíada". A mudança, exigida pelo Comitê Paralímpico Internacional (CPI) em 2011 e acatada pelas autoridades brasileiras, gera dúvidas e controvérsia.

Getty Images

Afinal, qual dos dois termos está certo?

Contactado pela BBC Brasil, o Comitê Paralímpico Internacional esclareceu que, desde sua fundação em 1989, usa o termo "Paralímpiada", do inglês "Paralympics", e que nunca se referiu às competições de outra maneira, mas que alguns países optavam por "Paraolimpíada" por questões linguísticas.

O próprio Comitê Paralímpico reconhece, no entanto, que há também questões comerciais por trás da nomenclatura: "Um motivo mais pragmático para não usar o termo 'Paraolímpico' é que violaria os direitos do Comitê Olímpico Internacional ligados ao nome 'Olímpico' como marca registrada", explica o site oficial das Paralimpíadas.

Mas linguistas consultados pela BBC Brasil defendem que o vocábulo "paralimpíada" vai contra a evolução natural das palavras em português e sugerem ainda um erro ortográfico que seria a a supressão do "o" na junção do "para + olimpíada".

Entenda
Até 2011, no Brasil as competições eram chamadas oficialmente de "Paraolimpíada" ou "Jogos Paraolímpicos" e os participantes eram conhecidos como "atletas paraolímpicos".

Naquele ano, no entanto, após os Jogos Panamericanos de Guadalajara, no México, o CPI determinou que todos os comitês nacionais padronizassem o termo "Paralimpíada" e por consequência "Jogos Paralímpicos" e "atletas paralímpicos". O comitê brasileiro acatou a determinação e mudou a terminologia.

Para Paulo Ledur, mestre em linguística aplicada pela PUC-RS e professor aposentado de língua portuguesa da Escola Superior do Ministério Público do Rio Grande do Sul, a decisão das autoridades esportivas brasileiras de suprimir o "o" a pedido do Comitê Paralímpico Internacional gerou "mal-estar".

"Acho que não deveria ter sido retirado porque isso não é característica da língua portuguesa - e assim como afetou a autonomia do português, certamente deve ter afetado outras línguas latinas, como o espanhol", diz Ledur à BBC Brasil.

"Eu continuaria utilizando 'Paraolimpíada', sem dúvida nenhuma. Não há impedimento para quem quiser fazer isso, na forma falada ou escrita, muito pelo contrário".

Um dos maiores jornais do país, a Folha de S. Paulo, optou por não usar "paralimpíada" e justifica a decisão de manter "paraolimpíada" com base no colunista, consultor e professor de língua portuguesa Pasquale Cipro Neto. Ele argumenta que "não faz o menor sentido" retirar o "o" da palavra.

Para ele, na junção na nossa língua, o que pode ocorrer é a supressão da vogal final do primeiro elemento e não da vogal inicial do segundo elemento - ou seja: "para+olimpíada" faria com que o "a" de "para" fosse suprimido, e não o "o" de "olimpíada".

Na visão de Pasquale, o caso é semelhante aos de termos como "paramédico, parapsicologia, paranormal", em que o prefixo grego "para", que significa "paralelo", ou "ao lado" é adicionado a outra palavra. Nesse caso, segundo o professor, poderíamos ter "parolimpíada".

Isso é diferente no inglês quando a junção do "para" + outros termos permite que o "a" seja suprimido caso a palavra seguinte comece com algumas vogais, e o "o" é uma delas.

Evolução do idioma e razões comerciais
Ledur diz que além da regra usual de construção dos vocábulos com o prefixo "para", há outro motivo pelo qual a supressão do "o" no termo não faria sentido.

"A evolução de um idioma se dá sempre de 'baixo para cima'. Ou seja, quando a população começa a usar mais uma forma do que a outra, os dicionários e linguistas podem passar a adotá-la, e nunca o contrário, quando um termo é sugerido de 'cima para baixo', como é o caso com a 'Paralimpíada'", explica.

"Se há alguma razão comercial eu acredito que poderia ser em decorrência de você ter todas as línguas ocidentais utilizando o mesmo termo. Para fins publicitários e dos produtos e transmissões, haveria prejuízo se fosse necessário adaptar (o termo) caso a caso, país a paí.s Num mundo globalizado certamente é mais interessante você conseguir atingir essa uniformização".

Origens
As origens do termo, seja "Paraolímpiada" ou "Paralimpíada", não são claras. O CPI explica que as origens exatas do termo "Paralimpíada" não são conhecidas e não se sabe quando nem quem usou o termo pela primeira vez, nem o sentido original da palavra quando foi cunhada.

A interpretação atual do CPI é a de que o termo "Paralimpíada" indica que o megaevento acontece "em paralelo à Olimpíada" e que os dois movimentos do esporte internacional convivem lado a lado.

Mas a inspiração pode ter sido outra. O próprio CPI indica que no início do movimento paralímpico, em 1948, logo após a Segunda Guerra Mundial, a ideia possa ter sido juntar as palavras "paraplégico" e "Olimpíada", dando origem ao neologismo "Paralimpíada".

Como os especialistas brasileiros sugerem, no entanto, quaisquer que sejam as origens do termo, em português faria mais sentido continuar utilizando o termo "Paraolimpíada".
Título e Texto: Jefferson Puff, BBC Brasil, no Rio de Janeiro, 8-9-2016

Anterior: 

5 comentários:

  1. Eu fico com “PARAOLIMPÍADA”.
    E discordo desta afirmação contida no texto: "A evolução de um idioma se dá sempre de 'baixo para cima'. Ou seja, quando a população começa a usar mais uma forma do que a outra, os dicionários e linguistas podem passar a adotá-la.”
    Essa evolução de baixo para cima tem muito que se lhe diga! Pela rapidez em ‘dicionarizar’ palavras ‘evoluídas de baixo para cima’ nunca apreciei, nunca consultei o famoso dicionário Aurélio.

    ResponderExcluir
  2. paraolimpíada
    substantivo feminino
    Rubrica: esportes.
    m.q. jogos paraolímpicos (mais us. no pl.)

    Etimologia:
    par(a)- + olimpíada

    Houaiss

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-