quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Os que usam menos as redes sociais são os de menor renda, menor nível de instrução, mais velhos e não estudantes. Atenção à comunicação política!

Cesar Maia

(Globo, 23) 1. Apesar dos avanços, o acesso à internet é desigual no país. As diferenças são percebidas tanto em relação ao rendimento quanto ao grau de instrução. No caso dos estudantes, divergem os percentuais de conexão à rede de alunos de escolas públicas ou privadas. Quase todos os brasileiros de renda mais alta têm acesso à rede, mas a parcela entre os de menor rendimento é de apenas um terço.



2. Na população acima de dez anos, o acesso chega a 92,1% do total entre aqueles cujo rendimento domiciliar per capita está acima de dez salários mínimos. Na outra ponta, entre aqueles com até um quarto do salário mínimo, essa taxa é de apenas 32,7%. No grupo com rendimento domiciliar per capita entre um e dois salários mínimos, o acesso à internet ficou em 57,9% em 2015.

3. As diferenças no acesso se repetem de acordo com o nível de instrução. Entre aqueles com quatro a sete anos de estudo, 42,4% usaram a internet em 2015, frente a uma taxa de 92,3% no grupo com 15 anos de estudo ou mais. No grupo mais precário, com no máximo um ano de estudo, só 7,4% tiveram acesso à internet no ano passado.

4. Os dados do IBGE também apontam as distâncias entre estudantes e não estudantes. Apenas metade (51,7%) daqueles acima de dez anos que não estudavam tinha acesso à internet, enquanto a parcela entre os estudantes alcançava 79,8%. Entre os estudantes, o acesso para os alunos da rede pública chega a 73,7% e para os da rede privada fica em 97,3%.

5. — Ainda existe uma diferença gritante em termos de acesso à internet entre aqueles que têm mais dinheiro e os que têm menos dinheiro. Isso se vê não apenas nos dados por rendimento, mas também quando se comparam os estudantes da rede pública e da rede privada. O Estado tem que estar atento e fornecer esse acesso. Senão, esses jovens já entram defasados no mercado em termos de analfabetismo digital — afirma Eduardo Magrani, professor da FGV Direito Rio e pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade.

6. O papel dos jovens. Os jovens se mantêm como o grupo etário em que é maior a participação do uso da internet, mas os indicadores mostram avanço mais expressivo do acesso entre os mais velhos. Do grupo de jovens de 18 e 19 anos, 82,9% usaram internet em 2015, ante 81,1% em 2014. Na faixa entre 20 e 24 anos, a parcela era de 80,7% em 2015. Já no grupo entre 50 a 54 anos, a participação dos que acessavam a internet subiu de 39,1% em 2014 para 44,3% em 2015. Entre os que tinham acima de 60 anos, a fatia avançou de 14,9% em 2014 para 17,4% em 2015. 
Título e Texto: Cesar Maia, 5-1-2017

4 comentários:

  1. DISCORDO.
    Meu filho, minha mulher e minha nora ficam 18 horas no whatsup, eu uso o meu pc para olhar e relutar no FB, blogs de amigos, ler e rever o noticiário, de 4 da manhã até 8 horas, e à tarde.
    Em tempo não possuo celular.

    ResponderExcluir
  2. Discorda do título?

    "Os que usam menos as redes sociais são os de menor renda, menor nível de instrução, mais velhos e não estudantes."

    ResponderExcluir
  3. Sim;
    Vejo no ônibus, nas ruas, nos restaurantes de baixa renda.
    Confundem FACE BOOK COMO ÚNICA REDE SOCIAL.
    EIS ALGUMAS REDES MUITO USADAS:
    Badoo 237 000 000
    Bebo 22 000 000
    Blaving
    Blip.fm
    Colnect
    CouchSurfing 871 049
    Cyworld Coreia do Sul 15 000 000
    Ello 1 000 000
    Facebook 1,5 bilhão
    Filmow 115 000 Aberto
    Flickr 4 000 000
    Formspring
    Foursquare 10 000 000
    Friendica
    Friendster 29 100 000
    Gaia Online 5 000 000
    Google+ 750 000 000
    GoPets 500 000 Aberto
    Hi5 50 000 000
    Instagram 400 000 000
    Instagram
    imeem
    Last.fm 40 000 000
    LinkedIn 8 500 000
    LiveJournal
    Mingle Geral
    Mixi
    Mirtesnet
    MySpace Geral 150 000 000
    Moovia
    Netlog 36 000 000
    Palco Principal
    Purevolume 1 000 000
    Par Perfeito
    ShareTheMusic
    Skoob
    Skyscrapercity 572 000
    Sonico 43 660 000
    Twitter 215 000 000
    Tumblr 20 900 000
    V2V
    VK 140 000 000
    Wallop
    Waze
    YuBliss
    Ask.fm
    Stayfilm
    WhatsApp: mais de 1 bilhão de usuários, mais de 42 bilhões de mensagens por dia
    Brasil 204 milhões de habitantes

    Dados da Anatel indicam que o Brasil terminou novembro de 2016 com 248,4 milhões de celulares e densidade de 120,24 cel/100 hab.

    O mês de novembro/16 apresentou adições líquidas de 986,6 mil celulares.

    A participação do pré-pago caiu para 68,42%.
    AS REDES SOCIAIS ATINGEM 99 % DOS CELULARES BRASILEIROS
    TODOS OS MOTOTAXISTAS E TAXISTAS USAM.

    ResponderExcluir
  4. ibge 2015

    Renda Outro aspecto investigado pelo instituto ao delinear o perfil do internauta brasileiro naquele ano foi a renda familiar. Embora tenha ressaltado que o acesso à internet seja mais abrangente entre a população mais rica do país, o IBGE apurou que todas as faixas de renda pesquisadas pelo instituto apresentaram crescimento no uso da rede entre

    Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/brasil/4513070/mais-da-metade-da-populacao-brasileira-acessa-internet-aponta-ibge ou as ferramentas oferecidas na página.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-