quinta-feira, 14 de maio de 2020

Shoya Nakajima: "Quero que as pessoas se divirtam a ver-me jogar"

Entrevista a Shoya Nakajima é tema de capa na mais recente edição da revista Dragões


A mais recente edição da Dragões, já disponível na versão on-line, chama Shoya Nakajima à manchete. O número 10 concedeu uma entrevista, remota e exclusiva, à revista oficial do FC Porto, que recorda também os 58 títulos conquistados em 35 anos de publicação.

“Acreditámos sempre que era possível recuperar os pontos perdidos”, confidencia o japonés, para quem a inversão da desvantagem só fará sentido se a equipa mantiver “o foco”. Nakajima, que considera estar a representar “a melhor equipa portuguesa”, afirma ainda que a barreira linguística é um obstáculo praticamente ultrapassado. “Já consigo entender bastante bem, mas falar é que é mais difícil”, conta.

Nas seis páginas da conversa do avançado com a Dragões, a sobriedade e a ética de trabalho do japonês estão sempre patentes: “O segredo é o trabalho e nunca desistir, dia após dia e semana após semana”. A viver o seu primeiro ano na Invicta, Shoya revela ter “aprendido bastante com o mister Sérgio Conceição”, que tanto lhe dá indicações referentes “ao processo ofensivo como ao processo defensivo”. Está, acrescenta, “a fazer tudo” para se tornar “um jogador mais completo”.

Promessa eleitoral cumprida em 1985, a Dragões completou três décadas e meia de existência em abril e fez contas à vida: ao longo de 35 anos e mais de 400 edições, de Artur Jorge a Sérgio Conceição, de Gomes a Marega e das Antas ao Dragão, já testemunhou a conquista de 58 troféus.

O capitão da equipa de basquetebol azul e branca nasceu em Portimão, mas fala como um verdadeiro tripeiro. “Para jogar no FC Porto temos que amar ganhar e odiar perder”, esclarece Miguel Queiroz. Entusiasta pelo dono de outra braçadeira, o poste conta que a admiração por Reinaldo Ventura o fez experimentar o hóquei em patins, mas os mais de dois metros e quase cem quilos o impediram de patinar sem dores de costas. Fique a conhecer melhor o camisola 11 e a paixão dele pelos cestos.

“A não atribuição do título é uma decisão que nos desilude”. Quem o diz é Miguel Alves. À Dragões, o ponta do FC Porto mostra-se dececionado com a decisão da Federação Portuguesa de Andebol, em evidente contraciclo com as congéneres europeias. “Todas as equipas jogaram umas contra as outras em casa e fora, portanto a verdade e mérito desportivo estariam salvaguardados”, assegura o andebolista de 23 anos. Formado nas escolas portistas, “Tito” conhece o espírito do clube e deixa uma garantia: “Resta-nos aceitar a decisão e começar a pensar na próxima época para voltarmos ainda mais fortes”.

A última entrevista da publicação oficial do FC Porto é com o maior artilheiro do hóquei nacional. Gonçalo Alves sonha “ser campeão europeu de clubes” e conversou, à distância, com a Dragões para falar sobre o que já conseguiu e o que ainda pretende atingir enquanto hoquista. “Temos e queremos fazer mais pelo clube que defendemos e pelos títulos que queremos conquistar”, reforça o dono do dorsal 77. Ansioso por regressar à pista do Dragão Arena, Gonçalo prometia então: “Continuaremos a treinar como for possível para, na próxima época, estarmos na máxima força. Voltaremos a ver-nos em agosto!”.
A edição n.º 401 da Dragões está, desde já, disponível na sua versão digital. É fácil e gratuito.
Fonte: FC Porto, 14-5-2020, 9h00

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-