domingo, 29 de julho de 2018

[O cão tabagista conversou com...] Aloisio: “Jamais seria comissário de voo nos dias de hoje, aqui no Brasil.”

Oi, Aloisio, começando a reler a sua primeira entrevista (Obrigado!), você tem algo a acrescentar, explicar, justificar, esclarecer?
Boa tarde, Jim. Tornei a ler com bastante atenção toda a entrevista e, de fato, não tenho absolutamente nada a acrescentar ou a retirar. Meus sinceros parabéns pela entrevista, você é um jornalista excelente e um entrevistador de primeira linha.

Muito obrigado, Aloisio. Efetivamente, foi uma bela conversa.
Houve alguns ‘senões’ ao fato de você ter atribuído a queda da RG à má administração interna...
Foi um prazer! Eu vi os senões... mas mantenho o que disse... (risos).

Como vai ocupando os seus dias (e/ou noites)?
Bem, por incrível que possa parecer, tenho mais atribuições hoje em dia, depois de aposentado.  Procuro ocupar o meu tempo da melhor forma possível... Basicamente tenho uma rotina diária de tarefas domésticas e outras tarefas aqui na chácara onde resido atualmente.

Em função da violência que se instalou no Rio de Janeiro decidi me estabelecer por aqui, há sete anos. Moro em um bairro ímpar do Rio: Guaratiba, logo depois do Recreio dos Bandeirantes, estou a uma hora de viagem urbana até Copacabana, bairro onde nasci e vivi por cinquenta anos. Cuido da saúde, dos meus compromissos burocráticos de um modo geral.
A sorte é que a internet facilita muito a vida...

Ó Aloisio! UMA hora até Copacabana, hein?! Vai de helicóptero?  😃 😃
Sim, Jim, contanto que não haja trânsito... e isto considerando os vários semáforos e o limite de velocidade de 80 km que, por sinal, acho pouco. Um helicóptero faria isso em bem menos tempo... (risos).

Não “sente falta” da aviação?
Claro que eu sinto muita falta da aviação, mas reconheço que a atividade de comissário na minha idade atual seria muito exaustiva.

Roma
Ah! Gostaria de acrescentar que, de fato, a questão tarifária também prejudicou muito a companhia, mas se ela estivesse bem estruturada economicamente talvez houvesse resistido. É isso.

Aloisio, não só a nossa (antiga) profissão é exaustiva para a nossa atual idade, como também, julgo, a atividade não é mais a mesma. Isto é, não mais se exerce como antigamente, para o bem ou para o ‘mal’. A legislação é diferente; as empresas são diferentes; os mandatários diferentes são. And so on...
Com certeza! Concordo. Caso eu fosse começar a vida no momento atual, provavelmente tentaria fazer outra coisa. Jamais seria comissário de voo nos dias de hoje, aqui no Brasil.

Miami Beach
A sua resposta me provocou duas lembranças:
A afirmativa da nossa querida colega, Angela Arend: “Na aviação de hoje não gostaria mais de voar como comissária”, e um aforismo: “É olhando para o passado que melhor se constrói o futuro.” Pois, no nosso caso não tivemos a chance de olhar para o passado, saímos logo construindo o futuro. Que, hoje, consideramos passado. O que lhe parece, véio amigo comissário?
De fato, polêmico, amigo. Dá uma sensação de algo inacabado mesmo...

Na sua chácara você planta, cria animais...?
Sim... Tenho um pomar, mas tudo para consumo próprio, e cultivo plantas ornamentais por hobby. Animais não, só minha cachorrinha labralata que, por sinal, já dá algum trabalho...

Por quê? É idosa?...

Não, é nova, mas requer cuidados e atenção. Eu cuido muito bem de meus animais.

Então, nos seus tempos livres você se conecta à rede, é?
Sim, à INTERNET...

O que mais procura na internet?
Nada em especial, mas gosto muito de pesquisar sobre vários assuntos e o Facebook acho uma importante fonte de comunicação... gosto de buscar filmes também... não sou muito de TV...

Acompanha o noticiário online?
Não acompanho, mas vejo as notícias que são divulgadas através do Facebook.

Well, “segundo” as notícias compartilhadas no FB o Brasil vai bem, e o Rio de Janeiro melhor ainda...
Discordo. Essas questões relativas à segurança, saúde e educação vão de mal a pior... a economia então, é desanimador o quadro!

Por acaso já lhe passou pela cabeça mudar de cidade?
Sim, mas estou esperando até o ano que vem para ver como vai ficar o panorama geral em função do resultado das eleições, sem precipitações... posso mudar de bairro, cidade ou Estado.  De país, só se isso aqui ficar impraticável, mas assim mesmo vou detestar ter que abandonar o Brasil, afinal não sou mais jovem e toda minha vida já está organizada aqui...

Você vai exercer o seu Direito e o Dever de votar?
Certamente que sim,

Suponho que depois da vírgula, saibamos qual ou quais serão os seus candidatos... 😉
Imagino que sim, Jim. Você já percebeu isso...

Well... Irei ao Rio, se Deus quiser, em outubro, para votar no segundo turno. Espero (e desejo) na noite do domingo, 30, comemorar a vitória dos meus candidatos a governador e presidente...
E sobre o mundo, na sua percepção, está pior, melhor ou na mesma?
Estamos vivendo outros tempos. No panorama geral mundial eu diria que as transformações são evidentes.

Quais os seus projetos para o futuro?
O futuro a Deus pertence, amigo. Eu estou aguardando o resultado das eleições para ver o quadro geral como vai ficar... Se tudo correr de acordo com o que eu espero, em princípio continuarei aqui onde estou, mais um pouco, pois no momento e até a médio prazo o mercado imobiliário está "estacionado". Vamos ver...

A esta altura da vida, na realidade o que importa é a nossa saúde e minimizar trabalho e custos, e aqui na chácara como a casa é grande isso tem seu preço.

Posso voltar a morar em Copacabana ou outro bairro que eu goste só por uma questão de praticidade.

Basicamente é isto, não tenho lá grandes planos. Na medida do possível fiz tudo o que sempre quis, me realizei profissionalmente e no somatório minha vida até que foi satisfatória, teve seus percalços, é verdade, mas nesse plano que estamos também não podemos exigir perfeição e olha que sou muito criterioso, até demais...

Muito obrigado, Aloisio!

Conversas anteriores:

2 comentários:

  1. Boa, a entrevista com o ex-colega Aloísio ; o rosto não mé é estranho, mas já se passaram muitos anos...
    Temos uma posição semelhante quanto a reatar o vínculo empregatício na aviação comercial :
    Muito, ou quase tudo, mudou na política e infraestrutura das aéreas nacionais ;
    a idade vai avançando, e aquele afã , aquele forte "tesão" pela profissão parece esmorecer aos poucos. Vemos com naturalidade , porque na vida há um tempo para tudo, como consta no "Eclesiastes" . Os lendários BYRDS já cantavam esse verso em 1967 ( " Turn , Turn, Turn ; to everything there is a season...) . Assim como o Aloísio , e outros que se aposentaram, tenho atualmente mais tarefas a cumprir do que quando estava na aviação. Tudo passa . Hoje a Pioneira , a Fundação , o Grupo VARIG, não não é mais do que uma grata e valorosa lembrança eterna nas nossas memórias . É a vida que segue, e o mundo necessita transformar-se ... nós também.
    Parabém pela entrevista ; um grande abraço e boa sorte para o Aloísio !
    Quando vier ao Rio avise, Jim ; podemos beber uma gelada e comemora a vitória do capitão à Presidência da República !
    Grande abraço;

    Sidnei Oliveira

    ResponderExcluir
  2. A próxima conversa, o entrevistado, da Guiné-Bissau, concordou depois de ler as conversas anteriores.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-