quinta-feira, 18 de abril de 2019

[Estórias da Aviação] Água Mineral no Serviço de Bordo

Alberto José

Na Ponte Aérea entre Rio e São Paulo, a VARIG servia a cada passageiro do Electra uma bandeja com canapé e um doce de sobremesa, além de cerveja, refrigerantes, sucos variados e água mineral. Um serviço que custava cerca de US$ 8,00 por passageiro.

Nos anos 70, nos serviços do Boeing 727 entre as duas cidades, a Varig servia em louça importada canapé, pizza, salgadinhos, doces variados, chopp de barril, drinques, sucos variados, refrigerantes além de balas e bombom, serviço que custava mais de US$ 8,00 por passageiro!


Hoje, na chamada Ponte Aérea, as empresas aumentaram o lucro pois desmontaram as cozinhas industriais e servem apenas água mineral Petrópolis que custa R$ 1,50 cada garrafa e dá para "satisfazer" de 126 a 130 passageiros de um Airbus 320 ou Boeing 737!


Com essa economia, as empresas deverão equilibrar as suas finanças! 

Recordar é viver!
Título, Imagens e Texto: Alberto José, 17-4-2019

Anteriores:

Um comentário:

  1. Caro Alberto, bem lembrado uns dos Serviços de Bordo da Varig. Lembro bem dos voos de 727, tínhamos um nesta época para Fortaleza, onde pernoitávamos e após o Desembarque, antes de irmos para o Hotel bebíamos todo o Chopp restante do voo. Saudades!

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-