segunda-feira, 21 de outubro de 2019

[Sem rodeios] Popularidade

Vanderlei dos Santos Rocha

Eis algo cheio de subjetividade.

Nossa constituição e os direitos humanos da ONU, não proíbem que tenhamos nossos gostos populares.

Paguei mil dólares para ver FRANK SINATRA no Maracanã. Não pagaria dez reais para ver os sertanejos brasileiros, nem funk, nem rap...

Se o ladrão de nove dedos morresse pagaria para cuspir em seu túmulo.

Eu apoio Bolsonaro, acredito que ele receberia uma comissão do AERUS, muitos tentaram audiências com um corrupto, e não conseguiram, mesmo com apoio de deputados, senadores e sindicalistas do PT.

Aliás, Bolsonaro foi campeão de críticas no saite "Aerus - Credores Transbrasil & Varig". Pedi meu ingresso no mesmo, até hoje negado, porque num site comunista, conservador não tem direito de resposta.

A popularidade de um presidente está em suas obras. Estudando a história, Bolsonaro é o presidente mais popular do Brasil e continuará sendo se não prevaricar.

A mídia está "descontruindo Bolsonaro" construindo conceitos, Bolsonaro está desconstruindo conceitos, isso é mais difícil.

Certa vez em Los Angeles, no caixa de um supermercado, uma senhora americana perguntou-me se meu filho estava na escola. Eu disse-lhe que meu trabalho era temporal, mas ele já havia aprendido aos 4 anos "thank you" e "excuse me". Ela me disse que ele já aprendera o primeiro conceito americano de educação.

O Brasil desconstrói conceito. Não respeita lixeiras, setas em automóveis é um "foda-se", Buzina é um "sai da frente", "ciclovia é acostamento", em escada rolante, parecem estátuas do Cristo Redentor, guarda chuvas é fura olhos, não pedem licença, não dizem “bom dia”, não pedem “por favor”, não agradecem por nada nem de nada.

Eu e mais de 55 milhões de eleitores elegemos Bolsonaro, eu sou um dos seus 14 milhões de seguidores nas redes sociais.

Até hoje moscas de dejetos alardeiam um molusco livre e a mídia lhe dá popularidade.

Não ouvimos mais as vozes nem as músicas de Nelson Gonçalves, Pixinguinha, Lupicínio e outros.

Somos um povo que mistura leis e atos jurídicos com santos, pastores e deuses, desrespeitando a laicidade do estado.

Nosso presidente é evangélico, mas respeitou e usou um quipá.

Ele é o mais popular presidente depois de 1985.
Que venha 2020 com TRUMP e BOLSONARO em 2022.
Título e Texto: Vanderlei dos Santos Rocha, 21-10-2019

Anteriores:
Tem opinião sobre a situação política em Portugal?

5 comentários:

  1. "depois de 1985": se refere a João Figueiredo, Tancredo Neves ou José Sarney?

    Até onde sei, Bolsonaro é católico, sua esposa, evangélica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LOL, amigo não deixa de ler o evangelho.

      Excluir
    2. Um dia vamos desconstruir as religiões cristãs, a terceira maior no mundo pois estão separadas por dogmas absurdos. temos o bramanismo e o islamismo com mais de 4 bilhões de adeptos no mundo.
      Todo mundo seria melhor praticando o "TODOS JUNTOS" MAS INFELIZMENTE OS DOGMAS TORNAM O MUNDO IDIOTA.

      Excluir
  2. Florianópolis, 18-10-2019:
    https://youtu.be/f-BXT_YLehM

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-