terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Cristofobia sim, homofobia não!

Marcos Luiz Garcia

O ano de 2020 vai fazendo o seu curso. Indômitos na luta cada vez mais alarmante no que se refere à única Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, podemos exclamar: Felizes os que se mantêm firmes e unidos nessa verdadeira Via Sacra da Igreja e dos católicos fiéis!
        
Nestes dias, Deus é gravemente ofendido com o festejo imoral do carnaval. Outrora tal festa era uma comemoração popular, alegre e ainda familiar, ao som das modinhas.
        
 Aos poucos e de modo muito subtil, à maneira de um regente de orquestra, o carnaval foi mudando e arrastando o povo pela batuta um tanto mágica do maestro para a imoralidade e o nudismo.
        
Com efeito, nos carnavais de hoje grassa o nudismo mais desavergonhado, sem que se ouça uma palavra sequer de advertência de autoridades religiosas. Parecem cúmplices do mal indo de encontro ao povo desprevenido que acaba por regozijar-se da conivência.

Além de todas as libertinagens, o carnaval deste ano se apresenta incomparavelmente pior, pois os donos das suas batutas se julgaram no direito de transpor a barreira da blasfêmia a fim de desferir mais um golpe contra a catolicidade de nosso povo.

Mangueira criou um samba-enredo gravemente blasfemo que apresentou um “cristo”, que na pena de um comentarista, “mais potente, mais subversivo, cartão de Natal das populações vulnerabilizadas, voz dos povos subalternizados (indígenas, negros, mulheres, homossexuais, trans etc.)”. Um “cristo” até “com corpo de mulher”, representando várias bandeiras da esquerda ideológica.

        
O compositor do samba afirmou cinicamente que não aceitar sua criação é não entender a Bíblia. Até lá vai a petulância! O mais grave de tudo é ele saber de antemão que pode dizer isso sem receio de ser contestado, pois autoridade eclesiástica alguma irá dizer nada.

Por quê? — Em razão de uma baldeação ideológica, para essas autoridades vale mais “amar” os pobres que defender a Deus. Serão ainda católicos? O alarmante é que isto faz parte de um novo passo rumo ao caos nos meios católicos, criado pelo Sínodo da Amazônia.

Temos, pois, diante de nós uma alarmante partitura: cabeças esvaziadas; desejos desenfreados de prazeres que a natureza não consegue propiciar; sentido religioso da Igreja completamente deturpado pelo progressismo.

O maestro levanta a batuta em riste, sinal de que chegou o momento ápice da farândola, isto é, zombar do próprio Deus, ato sacrílego e blasfemo. Aliás, não é a primeira vez que isso ocorre em dias de carnaval, mas é a mais grave ofensa jamais feita a Ele até agora.

Repito. Além da lama moral na qual chafurdam essas pessoas, infelizmente, os que atacam a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo contam com um grande aliado, ou seja, a escandalosa omissão daqueles que deveriam ser os primeiros a defender as verdades da Fé.
        
Omitem-se, acumpliciam-se em velado apoio a tais desmandos, deixando claramente à mostra a maneira relativista com que eles próprios encaram a Fé e suas verdades supremas. Esquecem-se eles, porventura, de que os envolvidos direta ou indiretamente em tão grande pecado pagarão por isto diante de Deus?
        
 Outro fato de si escandaloso, mas realizado quase na surdina. Dias atrás, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, sancionou lei draconiana que punirá pessoas físicas e empresas que cometam atos ditos “discriminatórios” ao grupo LGBT, incluindo comentários nas redes sociais.
        
 Isto envolve uma pergunta para os católicos, pois em certas situações, temos obrigação de defender a família. E nessas ocasiões, deveremos cumprir a Lei de Deus ou a lei do Sr. Covas? — Se cumprirmos a Lei de Deus seremos punidos pelos covistas, se cumprirmos a lei de Covas, seremos castigados por Deus…
        
Afinal, onde se encontra o respaldo da autoridade eclesiástica a favor da Lei de Deus?! — Cristofobia pode, homofobia não pode!? Preparemo-nos para dias ainda mais difíceis quando passaremos pela fortíssima impressão de que a Igreja de Jesus Cristo deixou de existir.

Saibamos reagir e afirmar que não poderemos ceder no que se refere à verdade. Nem um ‘jota’ sequer! Que o Imaculado Coração de Maria triunfe e venha o Reino de Maria!
Título e Texto: Marcos Luiz Garcia, ABIM, 25-2-2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-