quarta-feira, 12 de setembro de 2018

É muito importante, vital, votar nos candidatos aos demais cargos, da mesma legenda de Bolsonaro: 17


O Partido Social Liberal (PSL) foi fundado em 30 de outubro de 1994 e teve seu registro definitivo obtido em 2 de junho de 1998, sob a presidência de Luciano Bivar. Hoje, o presidente em exercício é Gustavo Bebianno, que tem como vice Julian Lemos. A sigla é PSL e o número é 17.

O regime do governo no Brasil é presidencialista, isto é, o presidente é Chefe de Estado (representante máximo da nação junto aos demais países e instâncias internacionais e Comandante em Chefe das Forças Armadas) e Chefe de Governo.

Pessoalmente, sou a favor do parlamentarismo. No último plebiscito no Brasil, em 1993, votei pela monarquia-parlamentarista.

O presidente do Brasil também é o primeiro-ministro da Nação. Cabe a ele propor ao Congresso Nacional os projetos-lei, que podem ou não ser aprovados pelo Congresso. Se aprovados, voltam para a sanção presidencial e tornam-se LEIS nacionais, para vigorar em todo o território nacional e serem cumpridas por qualquer residente no Brasil.

E chegamos ao nosso título: porque é vital votar nos candidatos aos demais cargos que sejam da mesma sigla de Jair Bolsonaro ou, no mínimo, de siglas sabidamente amigas de Bolsonaro.

Vejamos: o presidente Bolsonaro encaminha ao congresso um projeto-lei de ampla aceitação popular, mas não será o povo a votar, mas sim, os representantes que o povo escolheu. E se esses representantes forem de partidos antagônicos (ou inimigos) do partido do presidente, se esses representantes forem inimigos pessoais, por ideologia, do presidente, não haverá Cristo que consiga pôr em prática esses projetos-lei. Pelo contrário, haverá e muito, reportagens nas TVs, matérias nos jornais e comentaristas comentando sobre o caos, os escândalos, o casaco da primeira-dama, o carrinho de controle remoto do filho mais velho de Bolsonaro quando ele era mais novo, Lula da Silva terá os seus recados psicografados lidos por ela, ele e ela, nos telejornais do dia, Fernando Henrique Cardoso se proclamará o único com “trânsito”, o El País BRASIL premiará Sá e Arias pelas magnificas matérias sobre o aumento de suicídios entre as pessoas que gostam de brincar com as suas próprias pilas e o aumento substancial de mortes de nisseis por causa do racismo que aumentou no Brasil, desde que Bolsonaro assumiu a presidência, enfim, o Brasil terá acabado!... E não falamos das greves diárias!

O meu amigo e generoso leitor entendeu claramente, certo?
Abraços e beijos de carinho./-
JP, 12-9-2018

Nas Eleições 2018 serão disputadas vagas para os cargos de presidente, governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais ou distritais.

Como votar na urna eletrônica:

Quando for votar o eleitor deve prestar atenção à ordem em que os cargos vão aparecer na urna eletrônica. A votação vai ser nesta ordem:

1.      deputado federal: número com 4 dígitos;
2.      deputado estadual ou distrital: número com 5 dígitos;
3.      senador (primeira vaga): número com 3 dígitos;
4.      senador (segunda vaga): número com 3 dígitos;
5.      governador: número com 2 dígitos;
6.      presidente: número com 2 dígitos.

Depois de digitar o número do candidato a foto dele vai aparecer na tela da urna. Se estiver certo basta apertar a tecla verde Confirma.

Se o eleitor errar algum número é só apertar a tecla laranja Corrige, digitar outra vez o número do candidato ou da legenda do partido e clicar na tecla verde Confirma.

Ao finalizar a votação a urna emitirá um sinal sonoro e a mensagem “FIM” aparecerá na tela para indicar que os votos foram computados.

Como votar na legenda:
Voto na legenda é quando o eleitor não escolhe um candidato, mas decide dar o seu voto para um partido. Nas eleições de 2018 o voto na legenda pode ser usado para os cargos de:
·        deputado federal;
·        deputado estadual ou distrital.

Relacionados:

4 comentários:

  1. Primeiramente gostaria de manifestar total repudio a quem ataca uma pessoa debilitada na saúde e emocionalmente, seja esta pessoa quem for. Atos de covardia são muito comuns neste país onde 56% dos cidadãos não possuem sequer ensino médio. Porém, dignidade e respeito nascem com cada um e é esta dignidade e respeito são o mínimo que a vergonha na cara devem a uma pessoa em situação de vida delicada. Pro inferno a campanha! A saúde e a vida das pessoas não tem nada a ver com urnas. Cada indivíduo (inclusive você que está lendo agora)tem uma longa história de vida e ela deve ser inteiramente respeitada. Divergências de ideias são outro departamento. Chega de ataques covardes contra pessoas enfermas!!!

    ResponderExcluir
  2. Quanto ao partido PSL, a pergunta que não cala é:
    Cadê você, Paulo Guedes ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vergonha na cara deveria ter quem apoia uma patifaria dessas, um sabotador, torturador, assassino e outros adjetivos que até Deus duvida que contribuiu para que exista tantos analfabetos assim no pais, ele está condenado em uma cama sim e vai morar com Deus, pois Deus perdoa , mas antes vai definhar , o câncer que vem lhe consumindo é agressivo e incurável, Bolsonaro está com um câncer , depois que se arrepender, depois que pedir perdão por todas as suas crueldades contra os menos privilegiados ele vai descansar em paz...

      Excluir
  3. Pesquisa XP/Ipespe divulgada há pouco:
    Bolsonaro: 26% (+3)
    Ciro: 12% (+1)
    Haddad: 10% (+2)
    Alckmin: 9% (estável)
    Marina: 8% (-3)
    Amoedo: 4% (estável)
    Álvaro: 4% (estável)

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-