domingo, 24 de agosto de 2014

O Melhor de Georges Méliès — o Mágico que inventou o Cinema!


Incroyable! Fantastique! Extraordinaire!

Georges Méliès 

O Homem que Tirou o Cinema da Cartola
Uma Justa Homenagem de Monsieur Ernesto Ribeiro

Se não fosse por ele, a invenção do cinema teria sido esquecida na lata de lixo como "uma máquina sem futuro" nas palavras de seus próprios inventores. Pois os irmãos Auguste e Louis Lumière venderam seu cinematógrafo a Georges Méliès por uma ninharia. Isso mesmo: foi apenas um ano depois da projeção do primeiro filme.

A Chegada de um Trem na Estação, que assustou tanto a platéia que os expectadores saíram correndo da sala de cinema, pensando que a locomotiva na tela avançando em sua direção ia mesmo atropelá-los. Passado o susto, a novidade logo cansou o público e virou notícia velha. Afinal, quem ia pagar para assistir imagens em movimento, em filme mudo e preto e branco, mostrando as mesmas coisas que se vê de graça no mundo real? Ninguém, é claro.
Foi aí então que ele entrou em cena.


Eis o cineasta supremo que inventou a Arte do Cinema, a direção de atores e os efeitos especiais!


Num mundo justo, Georges Méliès seria um bilionário, consagrado desde 1896 como o mágico gênio absoluto criador da Sétima Arte que atrai as multidões às salas de projeção. E estamos todos em débito eterno com ele.

Além de ator incrivelmente expressivo e divertido, foi Méliès quem pegou a técnica de captação de imagens em movimento inventada em 1895 pelos irmãos Lumière e nela viu infinitas possibilidades. Ele expandiu nossas consciências. Às vezes, por mero acaso: numa tarde qualquer, Méliès estava filmando alguém que passava na rua, quando a câmera parou por um instante. Depois de religar e mais tarde assistir o filme com os dois trechos emendados, percebeu que uma pessoa ali parada subitamente "desaparece" e reaparece em outro ponto da tela, como por mágica. Pronto: por puro acidente, estava inventado o primeiro efeito especial.

Com pouquíssimos recursos, o genial francês realizou maravilhas assombrosas, de cair o queixo e arrepiar as platéias até hoje!


Sim, senhoras e senhores, ele é o responsável pela indústria de entretenimento mais lucrativa do mundo. Somando todas as artes: pintura, escultura, literatura, música, teatro, artesanato, mais as técnicas de prestidigitação que ele mesmo inventou.

Foi Georges Méliès o mágico que atraiu o povão às salas de cinema, que se multiplicam até hoje em todo o mundo como num circo feito de luz.

Georges, MUITO OBRIGADO por suas criações!
Somos eternamente gratos por todo o Universo de maravilhas que você criou e nos deu.

Da Viagem à Lua até o Homem de Várias Cabeças, das brincadeiras com o demônio às alucinações mais fantásticas, nos seus filmes de puro artesanato, com a beleza e leveza de uma bailarina, em cenários deslumbrantes, com personagens de aparência absurda e as imagens às vezes coloridas nos filmes pintadas à mão, você nos fez mergulhar em um mundo de sonhos encantadores e fascinantes...

Eis suas obras-primas: aí estão os 35 melhores curtinhas-metragens, (muitos deles de apenas cerca de 1 minuto, a maioria com menos de 5) em ordem crescente de duração:


O Melhor de Georges Méliès:

Un Homme de Têtes - 1898

Apres le Bal - 1897

The Vanishing Lady - 1896

The Pillar Of Fire  - 1899

The Nightmare - 1896

One Man Band (Homme Orchestre) - 1900

The Spider and the Butterfly (Le Papillon Fantastique) - 1909

Le Mélomane - 1903

Le Déshabillage Impossible - 1901

The Devil and the Statue - 1902

The Monster - 1903

Prolific Magic Egg - 1903

Le Diable Noir - 1905

L'Antre des Esprits - 1901

The Untamable Whiskers - 1904

The Mermaid - 1904

Le Manoir du Diable House - 1896

The Astronomers Dream - 1898

The India Rubber Head - 1901

Gulliver - 1902

The Infernal Cauldron - 1903

Les Illusions Fantaisistes - 1909

La Lanterne Magique - 1903

Cinderella (Cendrillon) - 1899

The Damnation of Faust - 1903

Jeanne d'Arc - 1900

The Merry Frolics of Satan - 1906

The Doctor's Secret  - 1900

Satan in Prison - 1907

Excelsior! Prince of Magicians - 1901

Barbe Bleu - 1901

Le Voyage Dans la Lune - 1902

Le Voyage à Travers l'Impossible - 1904

Cinderella or The Glass Slipper - 1912

Les Quatre Cents Farces du Diable - 1906

Título, Imagens e Texto (formatação original): Ernesto Ribeiro, 24-08-2014

Um comentário:

  1. Em resumo: enquanto os irmãos Lumière inventara, a Ciência do Cinema, foi Méliès quem Inventou a Arte do Cinema.

    Além de realizar a alquimia entre todas as outras 6 Artes para criar a Sétima Arte

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-