terça-feira, 11 de outubro de 2016

“Vai Corintian”...

Valdemar Habitzreuter

O time de futebol do Corinthians exerce uma grande paixão no coração de muita gente Brasil afora. A palavra corinthians, e o que ela representa, aloja-se na consciência e subconsciência do torcedor apaixonado, pelas gloriosas conquistas do time; e o grito de guerra “vai corintian!” ecoa com força nos estádios de futebol, sempre que o time entra em campo... Nada mais entusiasmante!

Além das conquistas gloriosas, o torcedor corintiano navega em mar de contentamento com a nova casa que ganhou: o Itaquerão. Ganhou? Está meio confusa essa história... Sabe-se que a construtora foi a Odebrecht e a obra foi orçamentada em 820 milhões de reais, mas foram gastos a ‘bagatela’ de 1 bilhão de 200 milhões, dinheiro proveniente dos cofres públicos – do BNDES, principalmente. Quando a obra foi oficializada em 2010 o presidente da República ainda era o Lula concluindo seu último mandato. Odebrecht e Lula, como se sabe, estão na mira da Lava-Jato.

Talvez, quando os podres do BNDES eclodirem, saberemos a real dimensão da história da construção da arena corintiana e seu eventual propinoduto enchendo os bolsos de corruptos; e a dívida pendente junto ao banco, ao final, como sempre, será paga pelo contribuinte brasileiro.

Mas, por ora, deixemos essas controvérsias para as autoridades da Lava Jato – nossa fiel balança da justiça - que, cedo ou tarde, darão uma cabal descrição dos fatos (que seja em power point mesmo!) à sociedade brasileira e os ilícitos praticados sejam devidamente reparados pelos transgressores.

Como estava dizendo, nada mais entusiasmante um torcedor vibrando e incentivando seu time; e o torcedor corintiano dá uma lição nesse sentido com seu ‘vai corintian’... E vimos, ao longo da História brasileira, presidentes da República proclamarem-se apaixonados torcedores..., não se sabe se por interesse por popularidade ou se realmente curtiam o futebol.

Lula foi um deles, e seu time preferido é o Corinthians. Fez até parte como conselheiro da diretoria do time, mas nunca, ou pouco, compareceu às reuniões. Aliás, os apaixonados corintianos já o descartam como leal torcedor - mais embromador que torcedor como também soi acontecer em sua vida política.

Mas, parece que Lula teve grande influência a que a obra do Itaquerão [foto] saísse do papel com os milhões de empréstimo conseguidos do BNDES - um banco para o desenvolvimento social, e financiar arenas esportivas foi uma prioridade (prioridade social?) face à realização da copa do mundo no país, em detrimento de prioridades sociais mais urgentes.


Em todos os casos, o torcedor corintiano está de parabéns pelo Itaquerão e que saiba torcer com dignidade para o seu time, em clima de paz e amor no coração, combatendo a violência de muitos marginais que se infiltram nas hostes dos verdadeiros torcedores. Que o brado ‘vai corintian!’ seja um grito de paz e amor pelo Corinthians...

Em tempo: há uma cidade na Grécia chamada Corinto – nada a ver, é claro, com com o time paulista - onde também os coríntios torciam por algo vibrante: pela vitória da paz entre os irmãos; e seu líder foi nada menos que o grande Saulo, ou Paulo, o místico, que liderava a torcida advertindo e encorajando os torcedores pela conquista da realização do amor entre eles. Vejam só seu brado de campeão:

“O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O Amor nunca falha...”

É o amor que nos empurra para a vitória em todos os campos da vida! 
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter e Heitor Volkart, 10.10-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-