domingo, 7 de junho de 2020

Jorge Nuno Pinto da Costa eleito para o 15º mandato com 68,65% dos votos.


Jorge Nuno Pinto da Costa, reeleito Presidente do FC Porto, na noite deste domingo, afirma que "este voto de confiança é um estímulo para as batalhas que ai vêm" e que irá colocar "os interesses do FC Porto acima de tudo".

O recém eleito presidente dos azuis e brancos, e depois de 38 anos na frente da Presidência do FC Porto, diz que sente que consegue continuar um caminho de vitórias na frente do clube e que irá trabalhar para continuar de "consciência tranquila e sem medo de ninguém".

2 comentários:

  1. Bom dia,
    Em quantidade, os sócios do FC Porto votaram como já não votavam há 32 anos. Em qualidade, votaram como votam há 38. Jorge Nuno Pinto da Costa, o presidente que foi sempre futuro, recolheu 68,65% dos votos validamente expressos e recebeu a confiança dos portistas para mais quatro anos à frente do clube.

    A vitória expressiva da lista A significa também que o novo presidente da mesa da Assembleia-Geral será Lourenço Pinto, enquanto Jorge Guimarães continuará à frente do Conselho Fiscal. Para o Conselho Superior foram eleitos 14 candidatos da lista A, três da lista C e três da lista D. A tomada de posse está agendada para amanhã às 18h00.

    Foi perante uma multidão de sócios entusiasmados que Jorge Nuno Pinto da Costa se mostrou “muito contente com a forma como decorreu este ato eleitoral”. O atual e futuro presidente do FC Porto aproveitou para reafirmar que não se tinha candidatado “por causa do passado” e garantiu que a nova direção “começará a trabalhar imediatamente”.

    Sobre os apelos que ouviu nas últimas semanas para que os associados rompessem “o sentimento de amor” que nutrem por si, Pinto da Costa comentou que terá “sempre os sócios no coração e como prioridade”. Por isso, “num momento que não é fácil para ninguém”, apreciou o “voto de confiança” e o “sinal de estímulo” que recebeu.

    O presidente da mesa da Assembleia-Geral, José Manuel de Matos Fernandes, foi o principal responsável pela organização de um ato eleitoral que decorreu de forma brilhante, conforme foi reconhecido por todos os envolvidos. No final da noite, não deixou de agradecer “o desportivismo com que todas as listas dialogaram e se digladiaram”, depois de já ter apontado o “civismo exemplar” das “gentes do FC Porto” ao longo dos dois dias.

    Entre as restantes candidaturas, destacou-se o resultado obtido pela lista D, que apenas se apresentava ao Conselho Superior e conseguiu eleger três representantes. Miguel Brás da Cunha, que a encabeçava, confessou que ontem foi “o dia mais feliz” da vida dos recém-eleitos e assumiu que os três têm em mãos “uma enorme responsabilidade”.

    José Fernando Rio, candidato a presidente da direção pela lista C, endereçou os “parabéns a Pinto da Costa” e comprometeu-se a “não criar divisões” daqui para a frente. Já Nuno Lobo, que encabeçava a lista B, também saudou o vencedor e desejou “os melhores resultados desportivos e financeiros” para o clube.

    Estes apelos à unidade são o epílogo de um processo eleitoral que confirmou a vitalidade do FC Porto e prolongou a sua já vasta história de exercício da democracia. O fim das eleições significa, obviamente, o fim das listas. É como Dragões juntos que enfrentaremos os desafios do futuro.

    Dragões Diário, 8-6-2020

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Convenhamos, depois de trinta e oito anos na presidência ser reeleito com um percentual norte-coreano é obra!

      Excluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-