quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

“O brado retumbante”


Peter Rosenfeld
Propositadamente estou usando como título do presente o nome que a TV Globo deu à minissérie que está apresentando e que termina na semana corrente.
As semelhanças entre o que é exibido na televisão e o que acontece na vida real não são coincidência; penso que o(a) autor(a) quis dar uma forte sacudida na audiência para mostrar os absurdos que estão ocorrendo no Brasil de hoje.
Absurdos que devem (ou deveriam) encher de vergonha todos os brasileiros, militem no dia-a-dia político ou não.
Sabemos que não é assim no mundo político: os corruptos jamais reconheceriam que suas ações e sua apropriação do dinheiro da nação representam um crime de lesa-pátria de enorme importância, mesmo que o valor seja de “apenas” R$ 3.000,00, que foi o valor que o funcionário da EBCT recebeu, (como se viu em vídeo) e que detonou todo o processo do “mensalão”, envolvendo milhões de reais.
Também é de registrar, por sua importância, o contraste entre as esposas de nossos presidentes e a da minissérie.
A da minissérie é Professora e se interessa pelas atividades do marido, apesar de esse ser o tipo do “latin lover” do cinema! A Professora, ao tomar conhecimento de um livro de história brasileira que o Ministério da Educação mandou imprimir por algumas dezenas de milhões de reais, interpela o Ministro e a autora do despautério e quem encontra pela frente. Alguma semelhança?
Nossa última “primeira-dama” nem queria saber disso e se quisesse saber não adiantaria de nada face à diferença de escolaridade entre a da minissérie e a da vida real.
De resto, os políticos de verdade dos dias atuais são exatamente iguais aos da minissérie, o que é muito triste, pois o nível, qualquer que seja o aspecto sob o qual se queira fazer a análise comparativa, é muito baixo, com muito poucas exceções.
O que a televisão nos está mostrando lembra a muito antiga historinha de um anjo perguntando a Deus, quando estava criando o Brasil com tantas e tão valiosas características, “por que, Senhor, estás criando uma terra tão rica, que tem tudo?” ouvindo a resposta “espera só para ver o povinho que colocarei lá”.
Sempre ouvimos a queixa de que Portugal saqueou o Brasil de todas as maneiras quando o País era uma colônia; que os americanos do norte também espoliaram o Brasil o que continua acontecendo; que os ingleses roubaram mudas de seringueiras e as levaram para a Malásia (ou outro dos países da região) e isso nos prejudicou, e assim por diante, sendo essas as causas de nosso atraso. São desculpas esfarrapadas. Apesar de ser verdade que foram roubadas mudas de seringueiras, que havia as capitanias hereditárias e todo o resto, a verdade é que somente nós mesmos, brasileiros, somos os culpados por nossas desgraças que, diga-se de passagem, são criação nossa e de mais ninguém.

Não há brasileiro com um pouco mais de idade que não conheça o que se dizia de Adhemar de Barros, interventor e depois governador paulista eleito, “rouba mas faz” (o que, aliás, também vale para um governador paulista mais recente...).
E os paulistas talvez elejam como futuro Governador o ex-Ministro da Educação, Sr. Haddad, cria dileta do ex-Presidente Sr. da Silva, que “não prega prego sem estopa”, ditado bastante antigo.
De lembrar que o Sr. Haddad não teve nada que ver com as barbaridades do ENEM, não é certo?
Dá-me náuseas ver o Sr. Jader Barbalho ser empossado no Congresso apesar de ter sido condenado pela lei da “ficha limpa”, sob o argumento de que essa lei não estava em vigor quando da eleição.
Um criminoso que mata, rouba, é um criminoso e ponto final.
 Nossos códigos civil, de processo civil, e todos os outros, têm que ser revistos com urgência, pois têm mais furos grandes do que tem um queijo suíço. Idem a própria “Constituição Cidadã” do Sr. Ulysses Guimarães.
Igualmente estranho, mas mais grave, é o fato de que Ali Babá e seus 40 ladrões do mensalão talvez nem sejam julgados pela demora em que o processo está tramitando.
O que está errado nisso? Creio que não é só um fator, mas uma série de fatores que estão contribuindo para isso. Penso que os códigos foram elaborados com a idéia de favorecer ao máximo os criminosos, os infratores poderosos.
Os ladrões de galinha ou de um pacote de manteiga que se danem; mas o grande, importante, infrator, que não se preocupe. Tudo é a seu favor e se dá um jeito!
O Brasil é tão surreal que acontece que o nome da nova Presidente da Petrobras é anunciado e, quase na mesma hora, são publicados artigos nos jornais noticiando que o marido da futura Presidente tem feito fornecimentos não muito regulares (!) à empresa, da qual a Senhora era diretora e presidirá!
Está ou não está sendo urgente que os brasileiros dêem um novo Brado Retumbante?
Título e Texto: Peter Wilm Rosenfeld, Porto Alegre (RS), 25 de janeiro de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-