quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O Maçães é feio. Pim!

Rui A.

Um dia de trabalho numa cidade de Lisboa mais quente do que se deseja para trabalhar e duas viagens de comboio depois não foram contudo suficientes para evitar o contágio do «escândalo» do dia, profusamente divulgado pela nossa comunicação social, uns tweets trocados entre o secretário de estado do governo português Bruno Maçães [foto] e o economista e ex-assessor da Comissão Europeia Philippe Legrand. Em síntese, Maçães teria exprimido opiniões próprias de um imbecil, que provocaram um genuíno «gozo internacional» e a consequente humilhação pública da lamentável personagem.

Fui ler os tweets em causa.

Do que vi, Maçães limitou-se a exprimir a opinião de que Portugal está a crescer economicamente nos últimos anos, enquanto Legrain opinou o exacto contrário. Maçães não desenvolveu aprofundadamente os seus pontos de vista, como aliás é próprio do meio de comunicação utilizado, como também o não fez o seu opositor. No fim da «conversa» surgiu ainda um terceiro interveniente, também ele estrangeiro, que sem explicar porquê, afiançou que Maçães é um  «funny clown»: «máxima humilhação!», proclamaram os comentadores indígenas, entre eles Pacheco Pereira, insuspeito de quaisquer excessos para com o pessoal político de Pedro Passos Coelho, e que prontamente redigiu uma tese de doutoramento sobre o tema para o Público de hoje.

Quatro são, todavia, as verdadeiras razões que justificam este ataque cerrado a Maçães e nenhuma delas tem a ver com a discussão propriamente dita:

primeira, Bruno Maçães não é socialista e quem não for socialista não é inteligente, logo, não pode dar opiniões;

segunda, Bruno Maçães pertence ao governo de Passos Coelho, pelo que não pode opinar sobre o estado do país que ajudou a governar nos últimos quatro anos; 

terceira, os oponentes de Maçães são estrangeiros, um deles até é francês e deve tocar piano, logo, são seguramente muito mais inteligentes e cultos do que o secretário de estado, apesar do notável currículo académico que este possui aos 40 anos de idade, obtido fora das capelinhas académicas nacionais;

e quarta, a mais importante, há que reconhecer que Deus Nosso Senhor não dotou Bruno Maçães com a virtude da fotogenia, pelo que a malta gosta de o ridicularizar, insinuando, ou mesmo dizendo abertamente, que um tipo com aquela cara com que ele aparece nos jornais só poderá ser uma rotunda cavalgadura.

Ah, já agora: são estes lombrosianos modernos, que tiram a inteligência das pessoas pela fisionomia, os mesmos que rasgam as vestes contra a suposta discriminação da transessual Júlia Pereira, a candidata a deputada pelo Bloco. Uma gente ilustrada e vastamente culta, habituada ao melhor que há pela Europa e pelo Mundo civilizados.
Título e Texto: Rui A., Blasfémias, 5-8-2015
Grifos: JP

Se quiser saber qual a flauta que o senhor Legrain toca,ou, a qual armário o senhor Legrain pertence, basta olhar esta entrevista ao jornal "Público", nem precisa ler...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não publicamos comentários de anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-