sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A denúncia contra a Fiscal do Galeão alcança três milhões de pessoas!


No momento em que digito estas palavras o post atingiu o impressionante número de 1 285 879 visualizações, isto é, 1 285 879 pessoas leram (aqui) a denúncia de Mariana Cavalcante. Claro, para o nosso blogue esse recorde de acessos é indizível.

Sim, é evidente, estamos muito satisfeitos com esses números, que ajudaram de forma extraordinária a divulgar a denúncia de Mariana Cavalcante. Quase orgulhosos estamos, porque acreditamos ter sido os primeiros a blogar essa denúncia.

Se nós, aqui do blogue, tivemos esse extraordinário número de acessos, acrescentemos os compartilhamentos em milhares de perfis do Facebook, repasses via e-mail e desde ontem mais alguns blogues… é fácil imaginar que o alcance da denúncia já tenha chegado a algo como três milhões de pessoas!

Não temos memória de alguma denúncia originária do Facebook ou de blogues (incluindo-nos) que tenha tocado tanta gente, no Brasil e no Exterior.

Ficamos com a conclusão de que o comportamento da denunciada fiscal da Alfândega do AIRJ – que teve centenas de (des)casos relatados – reflete uma ‘normalidade’ de recepção dos agentes alfandegários em todo o país. ‘Normalidade’ essa engasgada em milhões de viajantes brasileiros.

Oxalá Mariana Cavalcante tenha sido a primeira a chutar o pau da barraca!


JP 

Relacionados:

5 comentários:

  1. Infelizmente não é só essa senhora que faz isso. Eu, minha mãe e meu irmão voltando de NY passamos por situação semelhante. Fomos parados e pediram para abrir nossas malas, prontamente abrimos as malas e logo na sequencia apareceram umas 5 pessoas "revistando" todas nossas bagagens. Até ai tudo bem, pois a lei os permite. O que me REVOLTOU foi o assédio moral sofrido: fizeram terrorismo, reviraram todos os cantos das malas e até a carteira da minha mãe foi revirada. Um total desrespeito, nunca me senti tão humilhada.
    Além do assédio moral, um dos fiscais (na maior cara de pau) começou a separar as roupas que serviam nele (peças que minha mãe trouxe de presente para meu pai e meu outro irmão). Isso mesmo, separando as camisas - ainda colocava sobre seu corpo p ver o tamanho. Fiquei muito indignada, ódio! Mas, e o medo? pq se falarmos alguma coisa, ainda corremos o risco de ser presa por desacato.

    Acredito que pelo nível de instrução dessas pessoas, o mínimo que eles deveriam ter era respeito e educação.

    Final da história, perdi uma mala e ainda pagamos uma multa de quase R$2.000 - onde tb cobraram taxa sobre um celular do meu irmão (segundo a lei podemos trazer um, fora da cota).

    É um ABSURDO vc trabalhar, pagar altíssimos impostos e não ter direito de comprar com seu próprio dinheiro!

    ResponderExcluir
  2. O número de visualizações não quer dizer número de pessoas.
    Eu mesma venho aqui duas vezes/dia para acompanhar os comentários. Desde terça-feira, 4 dias, faz 8 visualizações, estou certa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ih! Não tinha pensado nisso!
      Sim, você está certa.
      Divido 1 300 000 (está com 1 299 139) por 3, dá 433 333. Acho que podemos considerar esse número igual a pessoas...
      Obrigado.

      Excluir
  3. Eu me considero fundador da coluna Defesa do Consumidor do bloque pois eu fiz uma reclamação internacional e recebi retorno. No caso da Auditora Fiscal, fiz três comentários mas não foram publicados. Eu recebi o bloque quando estav viajando, enviado por terceiros que não são da nossa "afa"! Alberto José

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi anteriormente sobre três comentários que havia aprovado e não consegui localizar aqui na seção...

      Excluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-