sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A denúncia contra a Fiscal do Galeão alcança três milhões de pessoas!


No momento em que digito estas palavras o post atingiu o impressionante número de 1 285 879 visualizações, isto é, 1 285 879 pessoas leram (aqui) a denúncia de Mariana Cavalcante. Claro, para o nosso blogue esse recorde de acessos é indizível.

Sim, é evidente, estamos muito satisfeitos com esses números, que ajudaram de forma extraordinária a divulgar a denúncia de Mariana Cavalcante. Quase orgulhosos estamos, porque acreditamos ter sido os primeiros a blogar essa denúncia.

Se nós, aqui do blogue, tivemos esse extraordinário número de acessos, acrescentemos os compartilhamentos em milhares de perfis do Facebook, repasses via e-mail e desde ontem mais alguns blogues… é fácil imaginar que o alcance da denúncia já tenha chegado a algo como três milhões de pessoas!

Não temos memória de alguma denúncia originária do Facebook ou de blogues (incluindo-nos) que tenha tocado tanta gente, no Brasil e no Exterior.

Ficamos com a conclusão de que o comportamento da denunciada fiscal da Alfândega do AIRJ – que teve centenas de (des)casos relatados – reflete uma ‘normalidade’ de recepção dos agentes alfandegários em todo o país. ‘Normalidade’ essa engasgada em milhões de viajantes brasileiros.

Oxalá Mariana Cavalcante tenha sido a primeira a chutar o pau da barraca!


JP 

Relacionados:

5 comentários:

  1. Infelizmente não é só essa senhora que faz isso. Eu, minha mãe e meu irmão voltando de NY passamos por situação semelhante. Fomos parados e pediram para abrir nossas malas, prontamente abrimos as malas e logo na sequencia apareceram umas 5 pessoas "revistando" todas nossas bagagens. Até ai tudo bem, pois a lei os permite. O que me REVOLTOU foi o assédio moral sofrido: fizeram terrorismo, reviraram todos os cantos das malas e até a carteira da minha mãe foi revirada. Um total desrespeito, nunca me senti tão humilhada.
    Além do assédio moral, um dos fiscais (na maior cara de pau) começou a separar as roupas que serviam nele (peças que minha mãe trouxe de presente para meu pai e meu outro irmão). Isso mesmo, separando as camisas - ainda colocava sobre seu corpo p ver o tamanho. Fiquei muito indignada, ódio! Mas, e o medo? pq se falarmos alguma coisa, ainda corremos o risco de ser presa por desacato.

    Acredito que pelo nível de instrução dessas pessoas, o mínimo que eles deveriam ter era respeito e educação.

    Final da história, perdi uma mala e ainda pagamos uma multa de quase R$2.000 - onde tb cobraram taxa sobre um celular do meu irmão (segundo a lei podemos trazer um, fora da cota).

    É um ABSURDO vc trabalhar, pagar altíssimos impostos e não ter direito de comprar com seu próprio dinheiro!

    ResponderExcluir
  2. O número de visualizações não quer dizer número de pessoas.
    Eu mesma venho aqui duas vezes/dia para acompanhar os comentários. Desde terça-feira, 4 dias, faz 8 visualizações, estou certa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ih! Não tinha pensado nisso!
      Sim, você está certa.
      Divido 1 300 000 (está com 1 299 139) por 3, dá 433 333. Acho que podemos considerar esse número igual a pessoas...
      Obrigado.

      Excluir
  3. Eu me considero fundador da coluna Defesa do Consumidor do bloque pois eu fiz uma reclamação internacional e recebi retorno. No caso da Auditora Fiscal, fiz três comentários mas não foram publicados. Eu recebi o bloque quando estav viajando, enviado por terceiros que não são da nossa "afa"! Alberto José

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi anteriormente sobre três comentários que havia aprovado e não consegui localizar aqui na seção...

      Excluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-