quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Varig, a herança maldita

José Manuel

É uma vergonha que vou carregar para sempre na minha consciência se não fizer nada para resgatar, pelo menos, a ignomínia, a desonra, a infâmia ao nome da empresa pela qual demos suor, lágrimas e por muito, muito pouco, até mesmo sangue. 
VARIG, talvez tenha sido a  primeira das grandes vítimas, a cobaia, o tubo de ensaio, para o assalto final que se perpetrou contra os  órgãos públicos.
Uma vez concebida e executada com tanta facilidade contra uma empresa privada, já estavam prontos para  a "pièce de résistance", centrada nos principais órgãos públicos e à sua disposição após devidamente aparelhados.

Mas, não se enganem, pois essa herança maldita não será para nós, ex-funcionários desta grande empresa genuinamente brasileira que, assim como tentaram com a Petrobras, jogaram na lama junto com suas famílias milhares de seres humanos que tiveram os seus salários, os seus empregos sequestrados  quando da intervenção do nosso fundo e do fechamento da empresa, sendo que o único erro na vida destes trabalhadores foi contribuir duro durante décadas para o engrandecimento deste país.

É inacreditável o que sabemos hoje sobre a abrangência corrupta no Estado, e ainda tomaremos conhecimento de todos os desdobramentos que irão ocorrer até ao fim do ano com as futuras CPIs. 

Já se sabe, por exemplo, de que as comissões de corrupção cobradas ao Estado, e por consequência a nós, como cidadãos, vai da Petrobras, passando por portos, aeroportos, hidrelétricas, chegando até aos fundos de pensão públicos, onde se instalaram à vontade roubando o quanto quiseram. Tudo isto está fartamente documentado pela mídia e alguns,  não todos ainda, já estão presos fazendo as suas delações premiadas, ou fugindo para o Exterior.

O que mais  nos impressiona é o desmonte atual do Estado brasileiro e como nós, enquanto VARIG, nos deixamos levar por essa quadrilha que retalhou a empresa nas nossas barbas, enriquecendo advogados suspeitos, políticos, líderes sindicais de araque e empresas alienígenas, jogando no lixo mais de oitenta anos de trabalho sério e patriota.

Eu só posso ver tudo isso como uma falha gravíssima na Educação e uma completa alienação política, em benefício de temas absolutamente descartáveis, diria mesmo fúteis, supérfluos, a que uma parcela do povo se submete com o maior prazer.

Dói, dói muito constatar hoje, diante destes fatos conhecidos, que se perdeu uma empresa do porte e pujança que era a VARIG, respeitada no cenário internacional como uma das maiores empresas de aviação comercial, para um bando de irresponsáveis que nunca deveriam ter sequer atravessado os umbrais de prédios públicos.

O Terceiro Reich de 1930 a 1945, também foi um covil de vagabundos que assaltou a Alemanha, mas jamais passou pela cabeça de seus dirigentes esquizofrênicos e até mesmo durante o assalto, eliminar a sua empresa Lufthansa, bandeira e presença alemã nos céus do mundo.

O caso VARIG pode ser considerado como único e inédito na história de nações modernas.

Todavia, os responsáveis por esta tragédia empresarial deveriam ter pensado muito bem antes de terem feito o que fizeram com a VARIG, pois essa herança maldita quem vai receber e por ela pagar, serão não só os novos administradores que vão governar o país a partir do ano que vem, mas também os que tiveram a responsabilidade civil por esta ignomínia, porque nós, os ex-funcionários e participantes do fundo de pensãoAERUS, fomos, somos e seremos sempre os grandes ganhadores desta contenda, e estamos atentos, principalmente agora, coletando dados e identificando quem nos prejudicou seriamente.

Já somos vencedores em três  processos jurídicos impetrados contra a União, e a caminho do quarto, que também com certeza teremos a nossa vitória anunciada.
Vamos receber tudo que temos direito, pois isso está sendo decidido não em conluios políticos suspeitos, em conchavos com grupos estrangeiros, como o que foi feito com a nossa empresa, mas dentro de uma certeza jurídica, já sentenciada e publicada.

Nunca tememos a lei dos homens, porque essa, apesar de todo o sofrimento porque passamos,  já provamos que é passível ou possível de se enfrentar.
Agora, aqueles que nos fizeram sofrer, certamente irão enfrentar a lei de Deus, e não tenho tanta certeza se irão se sair tão bem quanto nós.

Falta muito pouco para que retornemos ao nosso ritmo de vida, infelizmente com a falta de muitos que ficaram pelo meio do caminho tortuoso que percorremos, mas também com a  alegria e a certeza de que falta muito pouco para nos vermos livres daqueles que nos quiseram jogar na lama e no limbo da história.

A nação, com certeza será penalizada, pois terá de pagar todo o prejuízo a nós, imposto por quase nove anos, e os responsáveis punidos por todos estes erros não só conosco, mas declarada pública e noticiada nos veículos de comunicação, com muito mais órgãos ao longo da administração pública. 

Os responsáveis serão encontrados certamente e terão que pagar pelos prejuízos, enquanto muito bem remunerados que eram por nós cidadãos, exatamente para que isso nunca sucedesse.

Quanto à VARIG, e à forma como foi sabotada e criminosamente sucateada, em  benefício de outrem e de abutres econômicos colocados propositalmente dentro do processo de desgaste à empresa, alguns já estão pagando, inclusive com a prisão, mas não pensem todos os responsáveis pelo sucedido e pela forma torpe como foi declarada a sua falência, que iremos esquecer.

Há um custo a pagar por essa covardia e, certamente iremos atrás de todo o suor, todas as lágrimas que derramamos e vamos achar os culpados, custe o que custar.

Está mais perto do que eles imaginavam que ficariam impunes, porque o verdadeiro homem, o verdadeiro patriota não é aquele que se enrola numa bandeira para um jogo de futebol, mas aquele que vai à luta, por seus ideais.

O verdadeiro cidadão é aquele que dorme, que se veste com a sua bandeira pátria, para defender aquilo que construiu ao longo de sua vida, mesmo que tenha sido apenas  por um ideal.

A dor que carrego na alma por não ter podido reagir como homem, como cidadão a essa quadrilha e a tempo de salvar a nossa empresa, não quero e não devo levar para o túmulo.

Gostaria imensamente que este texto não apenas fosse, como algo lido e a ser descartado, mas como uma reflexão ao nosso futuro e um convite à nossa sobrevivência, como cidadãos de primeira classe.
Título e Texto: José Manuel, ex-tripulante Varig, 29-10-2014

Relacionados:

7 comentários:

  1. 2 Coríntios 9.10

    " Há pessoas que têm muito, mas que nada fazem pelos outros com aquilo que possuem. Mas há pessoas que têm pouco, mas que são capazes de fazer muito com aquilo que têm. Use aquilo que você tem hoje e não se preocupe com o que não tem. Deus fará diferença naquilo que lhe falta se você, simplesmente, lhe der o que puder.

    A força de Deus é sempre aperfeiçoada em nossa fraqueza. Não lamente pelo que lhe falta; Em vez isso, deixe a presença de Deus preencher seu vazio. Faça o melhor que puder, e desfrute o fato de Deus receber a glória por meio de seu testemunho cada dia."

    ResponderExcluir
  2. José Manoel, permita-me o aparte.
    Já fazendo-o você coloca o parágrafo seguinte:
    O Terceiro Reich de 1930 a 1945, também foi um covil de vagabundos que assaltou a Alemanha, mas jamais passou pela cabeça de seus dirigentes esquizofrênicos e até mesmo durante o assalto, eliminar a sua empresa Lufthansa, bandeira e presença alemã nos céus do mundo.
    Tenho de retratar essa história de maneira diferente.
    A Lufthansa foi fundada em 1926.
    Em 1925 as pesadas multas aplicadas à Alemanha pelos países vencedores da primeira guerra mundial, apequenavam o país, dilapidavam, e esse é um dos motivos principais da crescimento do terceiro Reich.
    A segunda guerra já era iminente em 1930.
    A economia alemã não concedia recursos para iniciá-la.
    Um carrinho de mão era necessário pra que trabalhadores levassem seus salários parra casa.
    A mágica econômica alemã acontece em 1935, produzida pelo mago em economia chamado HJALMAR SCHACHT, que já era ministro da economia honorário desde 1923.
    Para financiar a criação de empregos, Schacht criou os "Saques Mefos", espécie de título que financiava o investimento industrial. Além disso, várias medidas para fomentar a economia, nos moldes do New Deal americano, foram implementadas, como a construção de auto-estradas (Autobahn) e o fomento da construção civil.
    Demitido em 1939, absolvido pelo julgamento de Nuremberg, voltou a ser chamado por Hitler em 1943, tornou-se foragido pelo atentado contra Hitler em 1944.
    Em 1940 com a guerra a Lufthansa foi praticamente a Luftwaffe alemã.
    A empresa foi refundada em 1953, e hoje é um conglomerado de mais de 300 empresas.

    O plano de economia indexada de Hjalmar nada difere de um nosso bem conhecido.
    (Pois foi basicamente daí que FHC copiou a idéia, em 1994, do plano Real -- à época FHC como ministro da fazenda, lança uma moeda indexada ao dólar, a URV para depois de um tempo lançar o Real)
    Em 2002 chegou nosso abençoado Hitler, ao invés de tornar nosso país imperialista, vendeu-o aos bolivarianos.
    Enquanto os alemães esperaram quase 30 anos pra se vingarem do tratado de Versalhes, nós simplesmente aderimos ao mesmo, Os bolivarianos vivem às nossas custas, e o povo gado aceita.
    bom dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que o verdadeiro CRIADOR DO PLANO REAL, foi o Presidente Itamar Franco, FHS apenas o implantou.

      Nelson Schuler

      Excluir
    2. Infelizmente o povo esquece e dá glórias a quem não merece.
      ITAMAR era o presidente que assinou junto com os abaixo a medida provisória 434 de 27 de fevereiro de 1994.
      Ale´m de Itamar os abaixo subscrevem a medida provisória:

      Maurício Corrêa
      Fernando Henrique Cardoso
      Walter Barelli
      Sérgio Cutolo dos Santos
      Alexis Stepanenko
      Arnaldo Leite Pereira
      Romildo Canhim

      FHC era o ministro da economia.

      Os autores do plano real foram:
      Persio Arida,
      André Lara Resende,
      Gustavo Franco,
      Pedro Malan,
      Edmar Bacha,
      Clóvis Carvalho,
      Winston Fritsch.
      Ao final do plano real terminamos com uma inflação de 3 dígitos conquistada em 30 anos.
      O pai do plano real é Edmar Bacha.

      Excluir
  3. Certamente o texto será motivo de reflexão para muitos . José Manuel foi agraciado pelo Criador com o dom de saber escrever e se expressar. A boa característica é ser cordato e aceitar críticas e/ou opiniões contrárias ; faz parte do direito individual de cada um de nós.
    Mostra ter fé no Grande Arquiteto, o Mestre dos Mestres . Os que creem e tem fé, independente da religião, estão sujeitos , do mesmo jeito, ao sofrimento e resignação como todo mundo , mas possuem a vantagem de ter a "dor" mitigada e melhor compreendida , pois sabem que não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe. A esperança na certeza do triunfo conduz à paz interior .

    Mesmo debaixo de forte tempestade em um barco à deriva , temos a plena certeza que deus é o timoneiro e está no comando.
    Eis um pequeno trecho do grande filósofo Ralph W Emerson :

    “As mudanças que a curtos espaços interrompem a prosperidade dos homens são advertências de uma natureza cuja lei é o crescimento . Sempre é a lei da natureza crescer , e toda alma através dessa necessidade intrínseca abandona todo seu sistema de coisas , seus amigos , e lar, e leis , e fé , da mesma forma pela qual o molusco abandona sua casca , linda porém pedrosa, porque esta já não lhe permite crescer , e se entrega a formar lentamente uma moradia ... "
    Um ótimo dia para todos.

    Sidnei
    Assistido Aerus
    Rio de janeiro

    ResponderExcluir
  4. Prezado VSROCCHA,
    Obrigado por seu comentário, mas gostaria que desse uma olhada na minha postagem do dia 17-01-2014 com o título A VARIG E A LUFTHANSA ,em que eu comento exatamente isso, porém a esquizofrenia do terceiro em nenhum momento acabou com a empresa aérea comercial e sim colocou-a em disponibilidade de esforço de guerra, o que até seria compreensível caso não fossem o que eram.
    Aqui no Brasil não foi isso que aconteceu, mas sim a rapinagem explicita e a vagabundagem declarada ao ataque da iniciativa privada.
    Foi só o prenúncio do que irá acontecer
    José manuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respaldei-as, apenas quis tecer o comentário sobre a economia alemã semelhante à do Brasil de 1993, uma por dívidas de guerra, o outro por rapinagem e corrupção.
      O retirante e Hitler pegaram estados em plenas expansões econômicas e conseguem destruir tudo em 10 anos.
      Valeu...

      Excluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-