terça-feira, 13 de novembro de 2018

Fake news, uma arma sutil de manipulação


Santiago Escobar

“Menti, menti, algo sempre ficará” – diz uma conhecida frase atribuída a Voltaire e usada desde então por filósofos e políticos.

Hoje há muita informação chamada fake news. A questão que surge é qual é o interesse em espalhar notícias falsas.

Ao longo deste artigo, tentaremos desvendar essa questão a fim de dar resposta a um problema que causa indignação e desconforto na maioria das pessoas.

Sabemos que o pai da mentira é o diabo, o inimigo infernal que enganou Eva no Paraíso, prometendo que se eles comessem do fruto proibido seriam como deuses. Eva aceitou a tentação e deixou-se encantar pela serpente. Dizemos “encantar” porque esse réptil usa essa estratégia com sua vítima para paralisá-la e depois injetar-lhe seu veneno.

Nós vemos que mentir é sempre um símbolo de traição e conspiração.

No entanto, Nosso Senhor Jesus Cristo deixa claro no Evangelho: “Eu sou o caminho a verdade e a vida” (Jo 14,6), isto é, o próprio Deus declara ser a verdade absoluta, e isso nos ensina que aqueles que promovem a iniquidade são homens que restringem a verdade ou a substituem por mentiras.

Há nações que se caracterizam por seu alto senso de honestidade. Nos EUA, por exemplo, uma das coisas mais sérias é mentir. É um vício considerado vil e execrável, deixando as pessoas mentirosas completamente isoladas e socialmente desprezadas.

Vivemos no tempo da chamada pós-verdade, onde uma realidade é deliberadamente distorcida para criar e modelar a opinião pública, distorcendo os fatos e manipulando-os.

O antídoto para tudo isso se encontra nas palavras de Santo Agostinho [quadro ao lado], quando diz que a natureza humana é tão propensa à verdade que, quando o homem ama algo contrário à Verdade, ele deseja que esse algo seja verdadeiro. Com isto, cai em erro, persuadindo-se de que é verdadeiro o que na realidade é falho. Por isso é necessário que alguém lhe abra os olhos. Ora, como o homem não admite que alguém lhe mostre que se enganou, tampouco tolera que se lhe demonstre o erro em que está. “Assim, é tão humano, cego e preguiçoso, indigno e desonesto, ele se oculta, mas não admite que nada lhe seja ocultado. Assim lhe sucede que ele não consegue fugir dos olhos da verdade, mas a verdade foge dos olhos dele”. (1)

Portanto, caro leitor, eu o encorajo a ter “paixão da verdade”. “Sem esta paixão, livros e filosofias nada mais são do que vaidades, perigosíssimas vaidades que acendem o fogo na Terra e atiçam as labaredas do inferno.

“Quem tem a paixão da verdade está disposto a despojar-se de si mesmo, sem qualquer restrição. Sacrificará as mais sedutoras ideias, os mais engenhosos sistemas, as mais profundas e luminosas elucubrações, as mais caras intuições, as satisfações mais elevadas da inteligência, e por fim as formulações mais cativantes e as imagens mais esteticamente felizes, para austeramente procurar e manifestar a verdade, só a verdade, que é sempre dura para a nossa condição humana, por causa de sua essencial transcendência.” (2).
Título, Imagens e Texto: Santiago Escobar, ABIM, 13-11.2018

(1)

(2

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-