quarta-feira, 5 de maio de 2021

Candidata conservadora anti-lockdown vence eleição em Madri

Partido Popular, de Isabel Díaz Ayuso, dobrará o tamanho de sua bancada na Assembleia local, de 30 cadeiras para algo entre 62 e 65

Fábio Matos

As principais pesquisas de boca de urna divulgadas nesta terça-feira, 4, indicam que a candidata conservadora Isabel Díaz Ayuso [foto], do Partido Popular (PP), venceu as eleições para o governo regional de Madri. Segundo levantamento do instituto GAD3 em parceria com as emissoras TVE e Telemundo, a legenda dobrou o tamanho de sua bancada na Assembleia local, de 30 cadeiras para algo entre 62 e 65 assentos.

Como são necessários 69 deputados para que se obtenha a maioria absoluta no Parlamento de Madri, o partido de Ayuso terá de buscar o apoio do Vox, legenda situada mais à direita no espectro político-partidário espanhol, que deve assegurar de 12 a 14 cadeiras.

O comparecimento às urnas foi considerado alto: 69% dos eleitores registraram seus votos. O índice é superior ao verificado em 2019 (58%). “Parece que o povo de Madri apoiou o projeto de Isabel Díaz Ayuso para Madri de forma significativa e majoritária”, comemorou o diretor da campanha vitoriosa do PP, Alfonso Serrano, em entrevista à TVE.

Segundo a mesma pesquisa de boca de urna, o Ciudadanos, partido de centro-direita com o qual Ayuso rompeu no mês passado, não deve superar a cláusula de barreira mínima de 5% dos votos, o que indica que a legenda não conseguirá ser representada no Parlamento. O partido tinha 26 cadeiras na última legislatura.

O Psoe, partido do candidato esquerdista Ángel Gabilondo, que era apoiado pelo primeiro-ministro Pedro Sánchez, deve perder espaço na assembleia e conquistar entre 25 e 28 cadeiras (tinha 37). Também de esquerda, o Mais Madri, partido da ex-governadora Manuela Carmena, deve ficar com algo entre 21 e 24 cadeiras. O Podemos passará dos atuais sete para dez ou 11 deputados.

Como noticiamos, Ayuso intensificou o discurso anti-lockdown para conquistar o apoio da maioria da população, já cansada das medidas de restrição à circulação de pessoas nas ruas e às atividades comerciais. O principal slogan de campanha da conservadora é “Liberdade!”, em uma crítica direta ao confinamento defendido pelo governo central.

Quando estava no governo de Madri, Ayuso entrou em rota de colisão com o premiê espanhol ao determinar a flexibilização de horários de bares e restaurantes, alegando que era impossível exigir o fechamento dos estabelecimentos às 23 horas. “Provavelmente, em outras províncias, tudo termina às 20h. Mas no estilo de vida madrilenho, as pessoas trabalham com responsabilidade e são tratadas como adultos”, afirmou.

Título e Texto: Fábio Matos, revista Oeste, 4-5-2021 21h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-