quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Inflação na OCDE é a maior em 30 anos

Índice avançou para 6,6% nos 12 meses encerrados em dezembro do ano passado

A inflação nos países que compõem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) avançou para 6,6% nos 12 meses encerrados em dezembro do ano passado, segundo dados divulgados pela entidade nesta quinta-feira, 3.

Trata-se do maior patamar de inflação em mais de 30 anos, desde julho de 1991.

O resultado significa uma aceleração em relação ao avanço de 5,9% registrado em novembro de 2021. Em dezembro de 2020, a alta foi de 1,2%.

De acordo com a OCDE, a elevação do índice geral foi impulsionada, principalmente, pelo crescimento da inflação na Turquia — que subiu para 36,1% em valores anualizados. Sem contar o país, a inflação na OCDE teria sido mais moderada, de 5,6%.

Os preços de energia avançaram 25,6% no acumulado de 12 meses até dezembro. O resultado é menor do que o registrado até novembro (27,6%).

No ano passado como um todo, a taxa de inflação da OCDE acelerou para 4%. Foi a maior alta anual desde 2000. Em 2020, o índice subiu 1,4%.

Inflação na Zona do Euro

Na terça-feira 2, dados divulgados pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat, mostraram que o índice de inflação na Zona do Euro ficou em 5,1% em janeiro, na taxa anualizada.

Em dezembro do ano passado, a inflação já havia batido o recorde até então, chegando a 5% na comparação anual. A expectativa do mercado para janeiro era de 4,4%.

Título e Texto: Redação, revista Oeste, 3-2-2022, 12h50

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-