sábado, 18 de fevereiro de 2012

Seguro, que estudou profundamente os problemas de Portugal, quando desembarcou em Lisboa...

O Secretário-geral do Partido Socialista, de nome António José Seguro, que estava estudando os problemas de Portugal, de maneira aprofundada, nas montanhas tibetanas, enquanto o Partido ao qual ele pertence governava Portugal, desembarcou há meses do seu exílio (onde estudava, profundamente, que fique bem claro!, os problemas de Portugal) e foi recebido em apoteose:


Seguro acusa (mantra tibetano) Passos de cortar a esperança aos portugueses
Secretário-geral do PS diz que o primeiro-ministro só encontra solução para os problemas na ponta de uma tesoura.
António José Seguro acusou neste sábado o Governo de estar a “cortar a esperança” dos portugueses ao levar a cabo políticas que só têm por base cortes.
No final da Convenção da Federação da Área Urbana de Lisboa do PS, Seguro criticou a reforma administrativa que o Governo está a levar a cabo, afirmando que a extinção de algumas freguesias está a ser feita a régua e esquadro, não tendo em conta as pessoas.
Mas os maiores reparos ao Executivo de Pedro Passos Coelho vieram para as políticas de combate à crise. “As respostas para os problemas do país encontra-as [Passos] na ponta de uma tesoura. (…) Está a cortar a esperança aos portugueses”, considerou.
António José Seguro considerou também que os jovens exigem do Governo medidas e não comissões para combater o desemprego, reiterando que o Executivo não está preparado para enfrentar as dificuldades.
“O que os jovens portugueses exigem do Governo são medidas, não são comissões”, afirmou Seguro, quando questionado sobre a nova Comissão Interministerial de Criação de Emprego e Formação Jovem, que irá ser coordenada pelo ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas.
Interrogado se considera insuficiente o que o Governo está a fazer para combater o desemprego, o líder socialista lembrou que o desemprego jovem já atingiu os 35% e salientou que um executivo que ao fim de oito meses em funções vai criar “uma comissão para apresentar e estudar medidas” é “naturalmente um Governo que não estava preparado para enfrentar estas dificuldades”.
A taxa de desemprego disparou no quarto trimestre para os 14%, face aos 12,4% observados no trimestre anterior, com o número de desempregados a ultrapassar os 770 mil, divulgou na quinta-feira o INE.
De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, a taxa de desemprego aumentou assim, em termos trimestrais, 1,6 pontos percentuais. A taxa de desemprego média anual situou-se nos 12,7%.
(…)
Fonte: Jornal “Público”,18-02-2012

Ilustração: DR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-