quarta-feira, 17 de maio de 2017

Manifestante de extrema-esquerda ataca homem (que está sozinho) por causa de placa pedindo liberdade de expressão

Luciano Ayan


Um dos principais truques da esquerda é utilizar o “mas” ao tratar a liberdade de expressão.

Envergonhados por dizerem que são censores naturais, afirmam “a liberdade de expressão é importante, mas não podemos tolerar o discurso de ódio”. Em seguida, evitam dar uma definição para “discurso de ódio”, que significa tudo que discorda da visão de mundo deles. Sem a vagueza intencional, o truque falha.

Agora o que vemos vai além: uma manifestante de extrema-esquerda, no Reino Unido, resolveu atacar uma placa que dizia “o direito de discutir ideias abertamente deve ser defendido”. Ou seja, até mesmo abandonaram o truque do “mas” e reconheceram que são inimigos da liberdade de expressão.

No vídeo abaixo, de Paul Joseph Watson, vemos o total descaramento na defesa da censura.

Curiosidade: a miliciana “antifa” chamou o oponente de “escória nazista”. Porém, aqueles que historicamente proibiram a livre expressão foram os marxistas, fascistas e… nazistas.

2017 é 1984!


Título e Texto: Luciano Ayan, Ceticismo Político, 17-5-2017

Um comentário:

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-