sexta-feira, 12 de junho de 2020

Governo já distribuiu mais de 4 milhões de comprimidos de cloroquina

O Estado de São Paulo foi o que mais recebeu a medicação, porém não adotou o tratamento

Wesley Oliveira

Um levantamento feito por Oeste apontou que o Ministério da Saúde já distribuiu mais de 4,3 milhões de comprimidos à base de cloroquina aos Estados e municípios. Apesar das controvérsias, desde o início da pandemia o medicamento é testado para o tratamento de pacientes contaminados pela covid-19.


Defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, o uso do medicamento recebeu diretrizes formuladas pelo Ministério da Saúde. Desde então, a pasta passou a recomendar a cloroquina para o tratamento precoce de pessoas contaminadas pelo coronavírus. Entretanto, o documento avisa que cabe ao médico prescrever a medicação e que o paciente deve assinar um termo de “ciência e consentimento” para o uso da droga.

Para conseguir atender a todos os Estados, o governo intensificou a produção do medicamento nos laboratórios brasileiros. Neste ano, o Ministério da Saúde destinou R$ 207 mil para a aquisição de 3 milhões de comprimidos de cloroquina. Além disso, o Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército produziu 1 milhão de comprimidos e pôs à disposição da pasta.

Ranking
Concentrando o maior número de casos da doença no país, o Estado de São Paulo também foi o que mais recebeu medicamentos à base de cloroquina até o momento. A Secretária de Saúde de São Paulo recebeu, ao todo, 986 mil comprimidos.

No entanto, ao ser questionada por Oeste, a pasta estadual afirmou que baniu a droga dos tratamentos contra o coronavírus no Estado. “O uso da cloroquina não é recomendado em casos leves, moderados ou graves de covid-19 pela insuficiência de evidências científicas que comprovem a eficácia do medicamento no tratamento da doença”, informou a pasta.

A Secretaria de Saúde paulista não informou, entretanto, o que faria com os medicamentos já recebidos do Ministério da Saúde.

Já o Pará, que até ontem, quinta-feira 11, acumulava mais de 62 mil casos da doença, foi o segundo Estado que mais recebeu medicamentos do governo federal. Ao todo, foram entregues 439 mil comprimidos de cloroquina no Estado paraense.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Pará, os comprimidos foram distribuídos entre os 144 municípios do Estado. Além disso, a pasta afirmou que adotou o uso da cloroquina, de acordo com as Notas Técnicas emitidas pelo Departamento Estadual de Assistência Farmacêutica da secretaria para uso em pacientes acometidos pela covid-19. Atualmente, o Pará ainda conta com um estoque de 221 mil comprimidos.

Fechando o ranking, Alagoas recebeu 412 mil comprimidos de cloroquina. O Estado registra mais de 18 mil casos da doença. Questionada por Oeste, a Secretaria de Saúde local não informou qual teria sido o protocolo adotado para uso do medicamento.
Título e Texto: Wesley Oliveira, revista Oeste, 12-6-2020, 7h59

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-