terça-feira, 9 de junho de 2020

Um #FiqueEmCasa nada democrático

Doria esqueceu de mandar para os manifestantes dos atos deste domingo a mensagem que repete há mais de dois meses para a população de São Paulo

Artur Piva

Nesta segunda-feira, 8, durante a abertura da coletiva de imprensa sobre a evolução da pandemia de coronavírus em São Paulo, o governador João Doria comentou as manifestações ocorridas na capital paulista no último domingo, 7. “São Paulo exerceu, democraticamente, o direito às manifestações que ocorreram na Avenida Paulista e no Largo da Batata”, disse o governador.

Foto: Governo de São Paulo
Doria aproveitou a oportunidade para cumprimentar o Tribunal de Justiça por ter acatado a medida proposta pela Procuradoria-Geral, que vetou a realização de atos contrários e favoráveis ao governo “no mesmo dia, no mesmo horário e no mesmo local”. O governador também ressaltou que “as manifestações na Avenida Paulista e no Largo da Batata ocorreram de forma democrática e em paz”. “Apenas no largo da Batata, após o término da manifestação, e sem a anuência dos que a organizavam, cerca de sessenta baderneiros foram percorrer duas ruas do bairro de Pinheiros com a deliberada intenção de vandalizarem propriedades privadas e públicas”.

Em nenhum momento o governador lembrou de enviar aos manifestantes a mensagem que há mais de dois meses adorna o púlpito em que concede entrevistas. Parece que o #FiqueEmCasa serve apenas para uma parte da população.
Título e Texto: Artur Piva, revista Oeste, 8-6-2020, 22h40

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-