domingo, 24 de novembro de 2019

Fraport entrega obras e anuncia construção de terminal de cargas no Aeroporto de Porto Alegre

Patrícia Comunello

O dia era de prestar contas da primeira fase de obras do Aeroporto Internacional Salgado Filho, ou agora Aeroporto de Porto Alegre, mas a concessionária alemã Fraport veio com outra novidade sinalizando novos investimentos. A CEO da Fraport Brasil, Andreea Pal, anunciou que será construído um novo terminal de cargas com previsão de começar a operar em 2021. O terminal logístico não está no contrato com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como obrigação da Fraport, mas é considerado crucial para alavancar a capacidade de negócios do complexo aeroportuário.

Autoridades prestigiaram a entrega das obras e ouviram Andreea (à direita) projetar mais investimentos. Foto: Joel Vargas/PNMPA/Divulgação/JC

A Fraport assumiu o Salgado Filho em janeiro de 2018. "Vamos iniciar investimentos no terminal de cargas novo e temos outros planos", disse Andreea, já no final do ato ao lado da área nova do Terminal de Passageiros, único em operação, após o fechamento do antigo terminal, onde o aeroporto teve a primeira sede. A CEO não revelou o montante do aporte e não quis adiantar quais são os "outros planos". "O terminal (de cargas) vai ser maior do que o atual", acrescentou ela. O Terminal de Logística de Cargas (Teca) em funcionamento tem 5,5 mil metros quadrados.

A Infraero, quando era gestora, anunciou em 2010 investimento de R$ 80 milhões em um novo Teca, que teve a construção interrompida próximo à estrutura dos Bombeiros, no sítio aeroportuário, devido a problemas nas fundações. Os pilares das fundações podiam ser vistos na lateral da pista, à direita do terminal, olhando de frente, tanto em decolagens como nos pousos de aeronaves.

Andreea disse que a concessionária já está recebendo propostas de construtoras para executar o projeto. Uma das componentes e líder do atual consórcio das obras - a HTB - informou que fez oferta para disputar o projeto, segundo o CEO da empresa, Detlef Dralle, que acompanhou a entrega da primeira fase. O ato teve ainda a presença do ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que indicou a entrega das obras em Porto Alegre como um dos êxitos do modelo de concessões do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), do governo federal. 

A antiga área projetada previa 23 mil metros quadrados e elevar a capacidade de movimentação de cargas de 35 mil toneladas para cem mil toneladas ao ano. A CEO da Fraport também comentou que há adequações para a operação que devem ser feitas com a Receita Federal (RF). A Superintendência da RF explicou que já repassou os requisitos da estrutura alfandegária e aguarda o projeto da empresa para dar o aval.

"Vamos construir bastante rápido, em dois a três meses, definimos e começamos", garantiu a executiva. O tempo de obra é estimado em um ano a 15 meses. A operação do novo Teca não está condicionada à finalização da ampliação da pista, assegurou Andreea.  

Ampliação do terminal de passageiros faz parte das obras da primeira fase. Foto: Luiza Prado/JC   

O CEO da Fraport AG, companhia alemã, Stefan Schulte, destacou que as obras mostram o que é possível fazer quando se encontram áreas do governo, órgãos reguladores e uma empresa experiente na área de aviação. Schulte disse que a empresa quer transformar o aeroporto de Porto Alegre em referência de voos. 

“Não vamos parar por aí, com a ajuda dos governos federais e do Estado, estamos comprometidos com a ampliação da pista”, apontou o CEO. A ampliação vai permitir que o complexo possa operar com mais intensidade com mercados da América do Norte e Europa.

A primeira fase de entregas representa 74% da previsão contratual das obras. O valor global do investimento é de R$ 1,8 bilhão, sendo R$ 600 milhões da pista. A empresa alemã obteve R$ 1,25 bilhão de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O pacote finalizado tem novo edifício-garagem com 1.050 vagas, ampliação do terminal de passageiros com novas áreas de check-in e embarque nacional e internacional, melhorias de estruturas para usuários e mais espaços no pátio de aeronaves.

O ministro sinalizou novas concessões de aeroportos no Estado, como o de Bagé, Uruguaiana e Pelotas, no segundo semestre de 2020, além de investimentos nos terminais de Santa Maria, Passo Fundo, Santa Rosa, Caxias do Sul e Santo Ângelo. Freitas apontou a redução de ICMS sobre querosene de aviação, medida baixada em decreto do governador Eduardo Leite, como mecanismo para impulsionar a aviação regional. 
Título e Texto: Patrícia Comunello, Jornal do Comércio, 21-11-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-