segunda-feira, 18 de novembro de 2019

[Aparecido rasga o verbo] Herdades dos esporões

Aparecido Raimundo de Souza

NÃO SABEMOS COMO um povo sofrido, oprimido, arrasado, uma casta sem eira nem beira, sem futuro, sem amanhã, sem agora, sem talvez, uma estirpe que dia após dia vem sendo massacrada, torturada, escorraçada, surrupiada, enganada, ludibriada, consegue forças suficientes para andar de cabeça erguida e nariz empinado…

Nos causa um espanto incomum, um óóó de “orrível” quase abissal, uma raça que toma no rabo todos os dias para sobreviver e levar o pão e o leite, o arroz e o feijão para o sustento de sua família, uma linhagem que serve de capacho para que esses animais da Terra de Ninguém desfilem em bonitos carrões, com motoristas particulares, seguranças vinte e quatro horas, comendo e bebendo do bom e do melhor, morando em ricas mansões à beira de um lago paradisíaco, encontre nos escombros e no oco da vida, no insípido de seus problemas, no solapado do cotidiano, firmeza de espírito, energia, valentia e perseverança para seguir em frente, abaixar a porra dos olhos e reverenciar essa cambada de ladrões que finge acolher as leis, venerar o certo, aquiescer o justo e o perfeito, quando, na verdade, faz desses preceitos todos verdadeiras latrinas públicas, ora vomitando ou golfando, ora mijando ou cagando a bel prazer de seus intestinos desarranjados.

Gostaríamos, no mesmo tom fora de ritmo, de entender a mente dessa galera banda-pobre, órfã dos benfazejos da sorte, mendigos da bonança e das calmarias; e não só entender, mas descobrir de onde vem, de onde surge, de onde nasce a afoiteza alentiva, a ousadia determinada e ímpar, para chamar esses bandidos do STF de Ministros, e pior, senhoras e senhores, de tratá-los por Vossas Excelências. Vossas Excelências se traduzem, em nosso entendimento, por uma facção de cafajestes, por uma chusma de vadios e rameiros, grosso modo, arruaceiros e doidivanas. Vossas excelências, com todas as letras, é a vagaba que os pariu. Vocês, na verdade, não vão além de uma quadrilha de marginais, de larápios, de surrupiadores, de lacraias. Bosta pura, excremento estercado de imundícies e dejetos. Não vão os ilustres, em igual pasto, acolá de uma enxurrada de vermes malévolos e insalubres. Achamos mais. Ficamos pasmados e boquiabertos, aparvalhados e assombrados só em pensar (imaginem, só em pensar!) como um amontoado de lixo podre e fedorento, azedumado a respingos de carniças agrega para si próprio o desplante de se sentir o rei, o deus, o intocável, o todo-poderoso. Talvez, porque meia dúzia de babacas, cérebros de amebas, os cognomina de Vossas Excelências.


Que excelência, perguntamos, estarrecidos? Que excelência têm dos senhores Dias e Meses Totoffoli, ou a infâmia de Gilmar Prendes Solta, Luiz VW Fusca, Escelso de Melo Melado, Marcou o Aurélio no Dicionário, Ricardo Lewadinho Lewandoski, Cárne Miranda Lúcia, Rosa Murcha Weber, Roberto Carlos Barroso, Edson Faxim, Alex-E-Alexandre de Moramoraes para serem respeitados, paparicados e tratados como Excelências? Desde quando, amados leitores, desde quando essas úlceras são excelências? Prezados, vocês não passam de bandidos, de larápios, de picaretas. E atentem para um detalhezinho banal, fútil, comezinho, burguês, contudo, de suma importância. Não somos só nós que pensamos assim. Um país inteiro comunga em espírito igual. Essa nação de babacas e manés, de pífios e parcos, de beócios e tapados só não se manifesta publicamente porque o medo de sofrer repressões fala mais alto. Grita a plenos pulmões. O pavor, o receio, o analfabetismo cultural, a falta de visão cheia e absoluta, fazem parte desse rol. Temos certeza que se a raia miúda, a bagaceira, a escória tivesse como se unir e levantar a voz em praças públicas, nas principais avenidas das capitais desse Brazzil de covardes, de enfraquecidos e maricas (como fizeram dias atrás pelo câncer Lula e igualmente pela ABJLT, apenas como exemplos) vocês, Togados, ou melhor, Cagados, não se criariam.

Queridos, entendam. Vocês não valem o feijão que comem. Em fluxo desigual, falta coragem para essa gentalha amargurada dar um passo além. Estamos carentes de homens com brio e vergonha em suas caras. Por ser dessa forma, em jogatina contrária, os bandoleiros e tarados se agigantam. Para nós, vocês são chacais que se escondem atrás de capas pretas como se fossem urubus sobre carniças. Vossas Excelências? É para rir! Melhor dito, rinchavelhar. É a única coisa de que os senhores não podem nos privar: o gargalhar. Quem são vocês para serem chamados de ministros, ou de representantes da Lei, da ordem e da justiça? A lei que vocês defendem tem outro nome. É conhecida no meio em que atuam, aí na Capital dos Salafrários, como xixicas e lambidelas. A grana vultuosa, polpuda, estamos carecas de saber, corre por debaixo dos panos. A lei que vocês defendem se chama conchavo, acordo escuso, conspiração, remuneração, gorjeta, donativo. A lei que essa panelinha de velhacos finge agasalhar, ou garantir, se encontra em qualquer feira livre de periferia. Excelências, os cambaus! Os senhores não passam de vagabundos, de mascarados, de bandoleiros. Resumindo o romance: ladrões do povo, ladrões dos pobres, ladrões dos oprimidos, ladrões daqueles infelizes que dão um duro desgraçado para mantê-los nessa pocilga conhecida como STJ.



Querem mais, excelências? Nós temos várias definições na ponta da língua para STF: Superior Tribundal de Falcatruas; Superior Tribundal de Flibusteiros; Superior Tribunal de Fanfarrões; e Superior Tribundal de Jumentos. Caso precisem de mais… fiquem à vontade. Acreditem, amados ministros, perdão, miSInistros, a listinha é grande. Maior que a de Schindler. Acaso ouviram falar nele, ainda que por ouvir dizer? Por derradeiro, nós, os Cus Sujos, os assalariados, aí incluídos os motoristas de ônibus, os quitandeiros, os jardineiros, os feirantes, os professores, os advogados, os jornalistas, as putas das zonas, as garotas de programa, os agricultores (que botam a comida nas mesas de vocês e seus pares); enfim, essa plêiade de cacholas ao vento que deixamos de mencionar, é que deveria ou necessitaria, urgentemente, ser chamada de Vossa Excelência. Precisaríamos deixar de ser as quintas, os ranchos, as fazendas, onde essas “Excelências” metidas à besta nos metem os ferros, nos cravam suas apófises e saliências. Não esqueçam, seus parasitas. Somos nós, os fodidos, os tapetes usados nas frentes de suas portas, os zuretas e bananas, os lunáticos e patetas que mantemos em evidência efervescente esse paisinho de hipócritas e pérfidos, para que vocês desfrutem como bondes retrógrados em trilhos que não nos levarão a lugar algum.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de São Paulo, Capital. 18-11-2019

Colunas anteriores:

2 comentários:

  1. Bom pra falar a verdade eu nem acabei de ler o testo porque nas primeiras palavras ditas ja se sabe que falaremos dos colarinhos brancos uma verdadeira mafia reclamamos dos estrangeiros porque tem punição se e politico LD e fuzilado que pena o nosso gigante ser tão pequeno nesta parte o tal direitos desumanos oque e realmente apoia uma canbada de salafrario corruptos más se pensarmos bem os podres somos nos porque colocamos eles ka felizmente mas algumas vezes enganados será ou não bom a questão e o nosso quer dizer o poder publico deles ea maior quadrilha dentro e fora do paizão brasil não vou falar mãe porque secou algumas tetas más como sempre tem reserva como se foce um time de futebol fingir que caiu entra outro para dar suporte enquanto o juiz agora MN não bater o martelo estaremos nadando em merda o povo ja aprendeu que se não for roubado não tem direito de exercerem os seus direitos de vitiminhas da borguezia do alto escalão os tão chamados excelência kkkk Sacanage temos que acordar souta um cara que roubou o país quebrou no meio a esoinha dorsal do povo e esta canbada de asno ainda bate pauma para falar a verdade é ate vergonha descutir este assunto fere nosso caráter de cidadão a desculp que cidadão ladrão ladrão antigamente favam de roubo sim mas de sebola galinha oje estão roubando peru para assarem no natal com direito a churrasco no dúplex né bonito e um monte de otario vai ficar chupando o osso ou os ovos dos peru pena que a maioria das pessoas ainda são enganadas pelo 1k de feijao bom ate eu gostaria de reseber um auxílio reclusão no valor de 40.000 compro um carrinho e vou de uber kkkta de Sacanage vou falar rasgado lulu será que a sua cara não queima em destruir um país e vem com papinho de etica que um morador lhe atirou ovos coitado ficou sem a mistura da janta porque se foce eu jogaria oque vole fez ate hoje pelo povo merda estou com vergonha o povo ta com vergonha de falar que e brasileiro senhores da capa tomem juizo ou o dia do juizo tomara a decisão correta para todos acham mesmo que estão a sima da lei eu tenho um pingo de esperança que eu ainda verei muitos atras das grades que e pouco para muitos vergonha vergonha eo que sentimos quando ouvimos o nosso ino em cima de um palanque cheio de larapios sangue sugas das pobres almas famintas fica aqui minha nota de repudio para diretamente STF vão todos cair eu estou pronto para arcar com minhas responsabilidades de cidadão mas estão forsando muitos a serem ladram e são os melhores professores que o mundo ja vil corja monte de fezes nem mosca quer pousar em voles depositar ovos nunca voles irão esterminar as moscas vão roubar ate os ovos delas que isto gente vamos nos erguer contra esta raça banda podre e apenas uma laranja no cesto joga fora linpa o cesto lularanja podre....

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-