domingo, 25 de outubro de 2020

[Aparecido rasga o verbo] E a lavagem cerebral está de volta e a todo vapor

Aparecido Raimundo de Souza

ESTÁ ACONTECENDO AGORA. A programação normal da rádio que as senhoras e os senhores estão ouvindo é bruscamente interrompida. 
Entra a música do capeta
Um minuto
Voz da locutora:

ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA

Uma vez mais retorna a música do capeta
Mais um minuto
Voz da locutora:
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA

Em cena, pela milésima vez a música nojenta do capeta
Nem ele aguenta mais ouvir
Um minuto se passa
Voz da locutora retorna:
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA
ESPAÇO RESERVADO PARA PROPAGANDA POLÍTICA OBRIGATÓRIA. 

Senhoras e senhores, parece brincadeira, mas não é. A voz maviosa da âncora dentro do aparelho repete esta frase quinze vezes em intervalos de um minuto. Como um mantra. Na verdade, não é nada que se possa rotular de meditação útil ou aproveitável. Então o que venha ser isto? É o famoso e enfadonho horário cagado, ou seja, aquele em que uma manada de vadios e vagabundos da pior espécie invade a tranquilidade de nossas casas, sem que autorizemos e, contra a nossa vontade, passam a perturbar nosso direito de ouvir nossas canções preferidas, ou de assistirmos aos nossos programas prediletos, tudo, percebam, em nome de uma política vulgar, esdrúxula, desagradável e vergonhosa. E quem é o traste que deu esta ordem?! 

Não outro, senão o senhor mi'Si'nistro de um tal de TSE (‘Tribundal Superior de Estupradores’). Este bisbórria, à frente deste pardieiro, permite que os futuros candidatos a mamarem nas tetas da nação e a meterem as ‘mãos grandes’ em nossos bolsos, nos obriguem a engolir um amontoado de lixo, visando fazer a velha e conhecida lavagem cerebral em nossas cabeças. O ilustre pardieiro, o TSE, por força de uma lei de merda, e pior, escudada na 'Des-Constituição' Federal, ou melhor, 'Fedemal' (outro monte de bosta) permite que as emissoras de rádios e as televisões ‘Brazzzil’ à fora, interrompam as suas programações normais para levar aos nossos lares, ou mais precisamente aos nossos ouvidos, um amontoado de lorotas e mentiras, artimanhas e paparrotices as mais cabeludas, onde promessas mirabolantes surgem como vermes saídos de bueiros imundos e se propaguem à luz de um sol maravilhoso. 

Em face disto, senhoras e senhores, daqui até perto das eleições, que acontecerão em 15 de novembro, conviveremos dia a dia, hora após hora, minuto após minuto, com estes malandros filhos noras e genros do capiroto (a prole do tentador é imensurável) que prometerão mundos e fundos, fundos e imundos, a lista dos entraves e enganos é vastíssima e enormemente colossal. 

Ouviremos repetidamente empenhos e promessas absurdas, coisas e coisinhas que jamais chegarão a ser cumpridas. Os candidatos ‘caras de pau’, usarão um verniz vindo da China, e afiançam manter firme e forte as futuras balelas e inverdades, que abarrotarão nossos escutadores de novelas de estercos e imundícies os mais fedorentos. 

Os bandoleiros e ladrões do povo vêm com tudo e garantem, acabarão com os ‘desmamatamentos da Amazônia’, com a corrupção, com as benesses dos ‘desputarados’ e ‘sarnadores’,  com o foro privilegiado, com a pobreza, com a insegurança da sociedade, repaginando a saúde pública, fortalecendo a lei e a desordem do INSS, findando com os incêndios criminosos ‘pela ai’, colocando os fósforos e os isqueiros atrás das grades, e claro, enfiando com força e vontade, as mãos bobas nos bolsos dos trouxas e Manés que ainda acreditam em histórias dos Ali babás e as infindáveis porções de gatunos e flibusteiros que a cada novos pleitos incrivelmente se quadruplicam como putas em casas de mãe Joana. 

Estes miseráveis com sede e gana no Poder, repetindo, surgirão com tudo o que tem direito. Usarão a força total. Procurem amados e amadas, ouvir as promessas, as disparidades, as imposturas, as fábulas, as fraudes e as maxambetas, uísque, perdão, usque os engodos deslavados e descoloridos. É 22, é 51, é 24, e´ 15.180, é a puta que pariu. 

São os númerários dos rostinhos bonitos, das falas mansas e meigas, dos terninhos de grifes, dos tapinhas nas costas e dos beijinhos nos cangotes. Sem mencionarmos as pegações de moleques catarrentos nos braços, dos visitantes oportunistas às crianças com câncer, com AIDS, dos aleijados sendo carregados como trofeus; dos bem apessoados que ganhando; punhetarão nossos membros; bem ainda abrirão contas em paraísos fiscais e aumentarão as suas posses pessoais; enquanto os pobres e assalariados; os ‘fudidos’; os Sem Tetos; kikikikikiki; estes depauperados seguirão vida afora; se vendendo por uma cesta básica; por um médico para o filho doente; por um corte de cabelo no estilista capilar famoso; ou um simplório par de sapatos e meias novos. Enfim... 

O rol, neste seguimento também se faz bastante extenso e dilatado. Achamos, caríssimos senhores que é chegada a hora do BASTA. Precisamos colocar um ponto final definitivo nestes filhos do demônio que nos assaltam, que nos massacram, que nos fazem reféns. Raciocinem: NÃO VOTEM. Fiquem em casa. Façam valer a lei da pandemia da Covid-19. Justifiquem ou paguem a multa. 

Passadas as eleições, não esqueçam: aqueles mafiosos que sentarem as suas bundas sujas nos cargos pleiteados, nada farão para melhorarem a sua vidinha medíocre. NADA VAI MUDAR PRA VOCÊ. TODAVIA, PARA ELES.. 

Outra vez, de novo, volta a musiquinha do capeta.
Um minuto
O devorador está soltando fogo pelas ventas
Melhor seria ouvir o Pablo Vittar
Entra a locutora:
TERMINA AQUI A FORMAÇÃO DA REDE DE RÁDIO, E TELEVISÃO, JORNAIS, REVISTAS, FOFOQUEIROS DE PLANTÃO E OUTROS BICHOS, PARA A DIVULGAÇÃO DO ESPAÇO RESERVADO À PROPAGANDA 'POLÍ-TITICA' OBRIGATÓRIA. 

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, do Aeroporto de Viracopos, Campinas São Paulo. 25-10-2020 

Colunas anteriores:
O morto no caixão
Quando a desculpa da muleta é o aleijado
Entre biscoitos e pirâmides
Enfim, uma notícia que interessa a todos os jornalistas

4 comentários:

  1. JÁ ESTAVA COM SAUDADES DAS SUAS TIRADAS. PAU NELES, DIGO, FERRO NELES, PATRÃO.
    CARINA BRATT
    DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS, EM CAMPINAS, SÃO PAULO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade,esses vagabundos voltam a cada 4 anos, com as mesmas promessas vazias e mentirosas e infelizmente o povo sempre vão cai na mesma ladainha e vender seu único trufo que é o voto por um saco de cimento e outras besteiras a mais.Acorda Brasil. Josiane Neves silva Belo Jardim PE

      Excluir
  2. B!
    E PARA EMPATAR COM A CARINA,SEGUEM TAMBÉM, DOIS COMENTÁRIOS SUSCITADOS PELO TEXTO!
    “Achamos, caríssimos senhores que é chegada a hora do “BASTA.”
    Um ilustre português que aqui labuta substituiria a palavra basta por um sinônimo,“CHEGA” ,partido político de extrema-direita populista, para o qual foi honrado com a vice presidência.
    Mas adiante o conselho “Raciocinem: NÃO VOTEM. Fiquem em casa. Façam valer a lei da pandemia da Covid-19. Justifiquem ou paguem a multa.”
    Eu já tinha feito um pedido igual, nas últimas eleições para presidente,antes da pandemia, fui ignorado!

    ResponderExcluir
  3. Arrasou como sempre, esses bandos de vagabundos que se aproveitam de pessoas fracas de caráter , para comprar votos e depois esquecer até daqui a 4 anos, retornar com a mesma ladainha e o povo novamente acredita.JOSIANE NEVES SILVA BELO JARDIM PE

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-