quarta-feira, 28 de outubro de 2020

[Atualidade em xeque] Dados móveis

José Manuel 

Os funcionários  da VARIG, RIO-SUL E NORDESTE, que não  receberam os seus direitos trabalhistas até hoje, querem  saber onde está, com quem está, em que estado estão, se foram comprados, quem comprou  e por quanto comprou o MATERIAL RODANTE DE PISTA  que as empresas acima citadas operavam em todos os aeroportos do Brasil. 

Só para se ter uma ideia, antes de iniciarmos o detalhamento desse material, um trator PUSH BACK custa hoje no mercado US$ 60 mil dólares, ou traduzindo em reais, quase 350 mil reais, fora as taxas de importação e homologação. 

"O Brasil tem 99 aeroportos, sendo 18 internacionais e 81 para voos regionais".  

Como operávamos todos esses aeroportos, calculo que só  em tratores Push Back haveria um número de, no mínimo, 100 unidades desse trator e que o valor hoje somente desses veículos, oscile entre  R$  35 e 40 milhões, dinheiro que já  teria pago senão todos, quase isso  do valor das rescisões,  e pasmem! apenas com um tipo de equipamento! 

E os outros equipamentos necessários à operação de um conglomerado como a VARIG? 

1) Barras de Reboque

2) Usinas diesel/elétricas

3) Tratores convencionais

4) Jipes de manutenção

5)  Kombis de pátio e externas

6)  Elevadores de carga simples

7)  Elevadores elétricos de palets

8)  Palets

9)  Carros de palets

10) Equipamentos de uso do pessoal de rampa.

11) Pneus (dos aviões e dos veículos)

12) Escadas simples

13) Escadas elétricas caçamba

14) Ferramental específico

15) Instrumental de precisão. 

Se multiplicarmos o número desses equipamentos pelo número de aeroportos em que o conglomerado VARIG operava, teremos um volume enorme de zeros que daria para ter pago a todos e há muito tempo.

Isso tudo descrito acima chama-se massa falida. 

Onde está a relação e o que foi feito com esse material? 

Só para se ter uma pequena ideia do monumental descalabro que se tornou esse crime dessa falência fraudulenta, assistam a este vídeo: 

Em Juiz de Fora, Minas e emplacada ainda em nome da VARIG. 

Queremos e vamos descobrir item por item, pois isso nos pertence.

Você, que nada recebeu até hoje e agora tem uma noção do valor que isso representa, gostaria de colaborar conosco voluntariamente? Então filie-se à APRUS e venha desvendar esse quebra-cabeça. 

Lembre-se sempre de que o que parecia perdido nós já recuperamos. Vamos recuperar todo o resto! 

Título e Texto: José Manuel, Conselheiro APRUS, 28-10-2020

Relacionados: 
Ex-funcionários da VARIG arrematam Boeing 727 por R$ 85 mil
Três principais aéreas brasileiras têm pior resultado trimestral da história
[Sem rodeios] "Inês está morta"
[Varig/Aerus] Desembargador decide pela inclusão de TODOS os participantes no recebimento do complemento de aposentadoria
Varig/Aerus: para onde deve ir o dinheiro? (Parte V)

Anteriores:
A reincidência
A Refit, a Varig, o Aerus e a Terceira Fonte
Aerus/Ativos: Pelo em ovo ou chifre em cabeça de burro?
Os tamancos pandêmicos
Vaticínios Aerus para todos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-