quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Entenda por que o governo compra tanto leite condensado e chiclete (+ Rodrigo Constantino)

Letícia Alves

É papel da imprensa não só colher e divulgar dados de relevância pública, mas contextualizá-los. Por isso, o BSM explica o carrinho de compras do governo federal


Uma reportagem do portal Metrópoles publicada no último domingo (24) sobre os gastos dos órgãos federais com comida repercutiu em toda a imprensa e nas redes sociais. Em 2020, o carrinho de compras do governo ultrapassou R$ 1,8 bilhão, um aumento de 20% em relação a 2019.

Dois produtos em especial chamaram a atenção do público: o leite condensado e a goma de mascar. No total, o governo pagou R$ 15,6 milhões para comprar o doce; e outros R$ 2,2 milhões em chiclete.

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro já ter demonstrado gostar de comer leite condensado com pão, as compras não têm nada a ver com isso. À primeira vista, elas parecem estranhas, mas existe uma explicação.

Por isso, é papel da imprensa não só colher e divulgar dados de relevância pública, mas também — e principalmente — contextualizá-los. É o que o BSM faz agora.

1. O que justifica o aumento de gastos em relação a 2019?

Em primeiro lugar, é necessário explicar que esses alimentos não são para abastecer apenas a despensa dos Ministérios. Na verdade, as sedes em Brasília não recebem quase nada.

A maior parte vai para os órgãos subordinados, incluindo institutos federais de educação e hospitais ligados a universidades. Os valores também incluem algumas compras feitas por municípios e estados para órgãos federais locais.

É importante destacar que os maiores compradores são o Ministério da Defesa e o Ministério da Educação. O primeiro não parou as atividades com a pandemia, pelo contrário: o número de missões aumentou em algumas localidades. Já o MEC é responsável por uma rede de hospitais universitários, que foram usados em muitos estados para desafogar o SUS.

É justificável, portanto, que a quantidade de alimentos tenha aumentado em meio à crise do coronavírus, já que a demanda de alguns órgãos cresceu.

2. Por que tanto leite condensado?

O doce preferido do presidente não aparece à toa no carrinho de compras. Os maiores compradores da iguaria são o Ministério da Defesa e a Funai, por um motivo comum: em locais distantes e pouco acessíveis, não é viável o transporte de leite fresco, que estraga rapidamente. O leite condensado, então, serve como um substituto ao laticínio porque o açúcar conserva bem o produto mesmo após aberto. 

Vale ressaltar também uma informação que não foi mencionada no texto da reportagem do Metrópoles: foi gasto R$ 1 milhão a mais com leite em pó — em comparação com o condensado —, além de quase R$ 10 milhões com leite de coco e mais de R$ 1 milhão com leite de soja. Em contrapartida, nem R$ 1 com leite de caixa ou de saco. 

Em missões militares na selva ou em atendimento a tribos indígenas isoladas da cidade, o leite condensado e em pó são a alternativa mais viável para evitar o desperdício. 

Outra parte significativa do leite condensado foi comprada pelo Ministério da Educação, responsável por universidades e institutos federais, hospitais universitários além de vários órgãos subordinados com distribuição de refeições. Nesse caso, ele pode ter sido usado para a produção de sobremesas. Lembrando que também há a compra de gelatinas, chocolates, geleia de mocotó e picolés.

3. E os chicletes?

Uma parte das gomas de mascar compradas pelo governo é requisição do Ministério da Defesa. O produto compõe um kit básico distribuído nas missões militares e tem duas finalidades principais: a primeira, odontológica. Chicletes sem açúcar e com composição especial ajudam na higiene bucal das tropas quando a escovação se torna menos acessível.

O outro motivo é o de que a goma de mascar diminui o incômodo da pressão nos ouvidos durante voos. Ressalta-se aqui que os aviões militares não são como os aviões usados para viagens domésticas e internacionais. A pressão costuma ser maior.

Não é a primeira vez que a compra de chicletes pelo governo é questionada. Em 2007, o Ministério Público Militar (MPM) questionou licitação do Comando Militar do Leste que incluía R$ 3,5 milhões para comprar o produto. À época, o Comando explicou a importância da goma de mascar para a higiene bucal dos militares.

Também há informações de que outra parte dos chicletes foi comprada pelo Ministério da Saúde. Trata-se de gomas de mascar de nicotina, distribuídas pelo SUS em campanhas de combate ao tabagismo.

4. Falta de informações

BSM conseguiu apurar essas informações com ajuda de fontes internas de Brasília. Uma explicação mais pormenorizada desses gastos, com a destinação de cada produto, é de relevância pública e deve ser divulgada pelo governo. Até o momento, porém, silêncio. 

Oficialmente, nem o presidente Jair Bolsonaro nem os ministérios deram explicações mais detalhadas sobre os produtos do carrinho de compras. O silêncio da Secretaria de Comunicação (Secom) permitiu que a desinformação sobre esse assunto se espalhasse. 

Um relatório completo sobre o assunto está sendo produzido e a tendência é de que o presidente, com dados detalhados em mãos, possa dar mais explicações na sua live de quinta-feira (28). 


É justamente por isso que você precisa assinar o Brasil Sem Medo. Por menos de 1 real por dia, você tem acesso exclusivo às nossas matérias, análises, entrevistas, crônicas, podcasts e ebooks. Você pode optar pela assinatur aanual, por 290/ano (média de R$24/mês) ou pela assinatura trimestral, por 87/trimestre (média de R$29/mês) e acessar agora mesmo a todo o conteúdo premium do Brasil Sem Medo.

Título e Texto: Letícia Alves, Brasil Sem Medo, 27-1-2021, 10h57

9 comentários:

  1. TEM GENTE DE DIFÍCIL ENTENDIMENTO, ESTES NÃO SÃO GASTOS DO PRESIDENTE, MAS DO SATUS QUO.

    ResponderExcluir
  2. Caro, ansioso e aculturado contestador, é óbvio que não são de consumo exclusivos para consumo do presidente !

    Quem imaginaria ele consumindo R $15.641.777,49 só em leite condensado, durante o ano de 2020. E o valor elevado é ainda menor que o gasto registrado em 2019, primeiro ano da gestão, quando foram pagos R$26 milhões pelo produto.

    São para o governo , mordomias para os ‘guris’!
    Mas o que mais me espanta ,não é o “leite Moça”!
    Os chicletes beiram ao cômico, se não fossem trágicos!
    Militares “forjados no fogo e aço" fazem higiene bucal com gastos em goma de mascar, de R $2.203.681, 89 dos cofres públicos.
    Para que tipo de guerra eles estão se preparando para “ a chewing gum war”?
    O uso de chicletes nas forças armadas foi uma estratégia americana para angariar simpatias ,criada com os americanos na da II Guerra Mundial, que distribuía chicletes às crianças nos locais onde guerreavam.
    Quem quer que tenha passado pelo menos perto de um quartel , sabe que soldado em campo é treinado em combate anti guerrilha, pode usar pelo menos 10 tipos de dentifrícios que encontra na natureza.
    Eu que o diga!
    No 18º RI , quando em campo ,o adotado era cinza da fogueira ,disputada toda manhã!
    Além da piada dos chicletes e do absurdo do leite condensado ,para os meninos frágeis, o que é gritante são outros itens curiosos ,como massa de pastel, geleia de mocotó, vinho, chantilly, pizza, sagu , uvas passas,pizzas refrigerantes
    foram pagos pouco mais de R $5 milhões em sua compra.
    R $32,7 milhões foram retirados dos cofres da União apenas para pagar pela união de pizza e refrigerante do governo
    Barras de cereal custaram R$13,4 milhões e ervilhas em conserva um pouco menos, R$12,4 milhões.
    Para se igualar a outro governo ,só faltaram comparar às caixas de Johnnie Walker, que eram descarregadas em Brasília ,às centenas para os “queridinhos”.
    Mas como eu disse na postagem ,que vc “ sútil e gentilmente” contestou, “É DIFÍCIL DE ENGOLIR” , é a extravagância, mesmo, para quem viveu as festas do colégio deliberante da nossa falecida pioneira .

    ResponderExcluir
  3. ACULTURADO EU, IGUAL A VOCÊ, QUE É UM GALO DE RINHA COVARDE, QUEM NÃO VOTA NÃO PODE CONTESTAR NADA.
    ATÉ A REJANE VEIGA FEZ VOCÊ CORRER, ALIÁS NEM SEI QUEM É A DITA CUJA.
    QUANDO VI A GRAZZI DE MODERADORA ENTENDI QUAL É A AMPLITUDE DO TAL SAITE.
    Estou saindo da APRUS por causa de bate bocas nojentos, eu não aceito desconto em folha, pedi por favor um boleto de 6 em 6 meses e não fui atendido que fosse debitado em qualquer banco. O ITAÚ é uma bosta.
    Nem as lotéricas aceitam.
    A Aprus não aprendeu que boleto sem juros não tem data de vencimento.
    Por outro lado nem todos comentários são sobre você.
    Eu deveria ter escrito:
    TEM GENTE DE DIFÍCIL ENTENDIMENTO, ESTES NÃO SÃO GASTOS DO PRESIDENTE, MAS DO SATUS QUO, menos você.
    fui....

    ResponderExcluir
  4. Aculturado, sim!
    “Significado de aculturado
    Que conseguiu se aculturar, aceitar e adaptar-se a outra cultura.”
    FONTE; https://www.dicio.com.br/aculturado/
    Tua reação foi típica, sem novidades, diferente disso, seria como pedir que chova para cima!
    Então não me afeta!
    Não votar é um gesto político cada vez mais respeitado neste mundo de fantoches!
    Quanto às duas mulheres que você cita, e que eu evito promover, citando-as, não merecem sequer que eu permaneça na mesma página, por isto pela terceira vez me afastei daquele lastimável convívio.
    Elas entram, eu saio!
    E informo a você, se um dia quiser se livrar de mim nesta página, basta convidá-las para aqui freqüentarem, estarei fora no dia seguinte!
    E relaxe, não se apoquente, a vida é bela, apesar dos problemas que todos têm!

    ResponderExcluir
  5. Sou telurista.
    Existem certas palavras que invertem seus sentidos verdadeiros.
    O prefixo A é um prefixo de NEGAÇÃO.
    ACULTURADO é a negação de sua cultura.
    É a negação de suas raízes, de suas tradições,inclusive de sua própria língua.
    Ninguém nasce socialista, somos socializados.
    Apesar do Telurismo ter destruído muitas realizações em minha vida continuo com aversão ao A + cultura.
    Nunca neguei minha versão telúrica.
    Minha família tem mais de 350 anos de VARIG, a Varig se destruiu justamente por se aculturar.
    NÃO VOTAR É UM GESTO APOLÍTICO.
    Tive 2 únicos votos para presidente, Enéas e Bolsonaro.
    Nunca voto em candidato vencedor que não modifica o Status Quo.
    Aculturado é um homem que quer ser mulher a todos meios possíveis, ou a mulher que pensa ser homem.
    ACULTURADO é tóxico.
    Tem aquele que reclama do Brasil e vai trabalhar nos Estados Unidos trabalhar dobrado.
    Tive propostas de emprego em empresas americanas e justamente por admirar minhas tradições não fui.
    O índio aculturado deixa de ser índio, renega suas raízes e aproveita-se das leis que os protegem.
    Por isso uso a palavra para definir a negação da cultura.
    Vamos continuar lutando com as palavras, mas me considero CULTO o suficiente para discernir entra MORAL E AMORAL.
    Só falta alguém dizer que amoral é quem tem moral diferente.
    ACULTURADO É QUEM NÃO TEM RAÍZES MORAIS E ÉTICAS.
    Seguindo esse exemplo chamar alguém de coitado é chamar de fodido.
    fui...

    ResponderExcluir
  6. Dicionários também algumas vezes erram
    Artigo:
    De aculturados a índios com cultura:
    Max Maranhão Piorsky Aires
    estratégias de representação do
    movimento de professores tapebas
    em zonas de contato*
    From acculturated to Indians with
    culture: representation strategies of
    the Tapeba teachers’ movement in
    contact zones

    QUEM QUISER PROCURE E LEIA
    A PROCURA DO SABER, DO LER E DO APRENDER SÃO PROCESSOS EVOLUTIVOS NUNCA ACULTURAIS.

    ResponderExcluir
  7. Pretendo, respeitosamente ,esclarecer minha postagem de forma definitiva, antes que se torne um embate semântico , que ,confesso , não busco.

    "A aculturação é o nome dado ao processo de troca entre culturas diferentes a partir de sua convivência, de forma que a cultura de um sofre ou exerce influência sobre a construção cultural do outro."

    VC disse que;"TEM GENTE DE DIFÍCIL ENTENDIMENTO, ESTES NÃO SÃO GASTOS DO PRESIDENTE, MAS DO STATUS QUO."

    Esta cultura de fazer do dinheiro público uso descontrolado ,seja o presidente ou o "status quo" ,não pode ser jamais tratada como uma normalidade , deve sempre ser motivo de indignação de todo cidadão.

    Como descreveu o antropólogo Sérgio Buarque Holanda ,no livro Raízes do Brasil , a corrupção enquanto cultura política , envolve fatores morais, ausência de medidas punitivas ou do cumprimento delas e, (especialmente ) no caso do Brasil, de certa forma trata-se de uma questão cultural adquirida desde o descobrimento.
    Portanto, quando aceitamos sem indignação ,estamos aculturados a esta prática ,que viceja em nossa política ,desde sempre.
    E como diz um bbb ;”faz parte ” !

    E me pareceu, inicialmente, quando você diz que ,motivado pelos gastos,em questão, serem do "status quo”, que já assimilamos estes hábitos nocivos,que passam a fazer parte de nossa cultura, e portanto estariam justificados!
    Não seríamos nós (eu , você ,ou como diz o Jim, nem o cidadão da poltrona 21A!) os imorais ou antiéticos e sim uma cultura política que assimilamos , e aceitamos, sem nos revoltar!

    ResponderExcluir
  8. NÃO QUERO EMBATE.
    O Brasil é o grande palhaço do mundo.
    Israel ATACA ANTES PARA SE DEFENDER.
    PAQUISTÃO E ÍNDIA VIVEM às turras mas os 2 tem Bombas nucleares e apenas discutem.
    Depois da segunda guerra os Estados Unidos tem a maior marinha do mundo, a maior força aérea do mundo e mais de 800 bases espalhadas pelo mundo.
    Inglaterra e Estados Unidos tem os mais bem preparados exércitos do mundo os mariners e os gurkas.
    Nós temos apenas 300 mil nas FFAA uns medíocres navios e força aérea.
    Se a Venezuela invadir a Guiana não faremos nada.
    Maduro comprou em 2018 180000 kalashnikov.
    Daí pedimos PENICO aos americanos.
    Não é nocivo gastar com as FFAA.
    As universidades mesmo públicas deveriam ser pagas, de graça apenas por mérito.
    Nosso sistema de saúde é ótimo e falho quando os planos de saúde compartilham suas internações.
    Finalizando já temos câmaras centrífugas para fabricá-las, desconfio que foi presente de TRUMP.
    Dos gigantes do mundo somos os únicos com a Pombinha da paz no rabo.
    Encerramos... e continuo dizendo que somente se acultura os ignorantes.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-