sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

[Atualidade em xeque] Como funciona a bomba A

José Manuel

Para quem não tem ideia de como funciona a posse de uma bomba atômica, esta semana ocorreu um fato extremamente elucidativo para os que continuam em dúvida sobre o nosso país ter ou não ter a dita posse.

A China vem se assenhoreando de um mar do tamanho do mediterrâneo, alegando que toda aquela imensa área lhe pertence.

Para isso construiu em cima de arrecifes de corais, patrimônio da humanidade, ilhas bélicas com arsenal poderoso de intimidação.

Ao mesmo tempo, se apossou de áreas da zona exclusiva de pesca de cinco países, gerando enorme atrito e fazendo com que esses cinco países fossem ao tribunal internacional de Haia reclamar a invasão de suas áreas econômicas, assim como a posse ilegal de águas marítimas internacionais.

A China foi condenada a se retirar, mas ao que tudo indica não entendem outro idioma que não seja o mandarim!

A semana que passou, Pequim emitiu uma ordem à sua guarda costeira informando e autorizando até mesmo o afundamento de qualquer tipo de embarcação que esteja  navegando nesse "seu" alegado mar.

Pois bem, esta semana os Estados Unidos da América entraram e se posicionaram nesse mar, com um strike group formado por um porta-aviões nuclear,  vários  submarinos nucleares, fragatas e corvetas, todos  municiados com ogivas nucleares.

Um silêncio abissal se abateu sobre a área e o mundo aguarda um comunicado chinês que, ao que tudo indica não virá.

Entenderam como funciona ter ou não ter a posse de um arsenal nuclear?

A humanidade funciona de duas maneiras simples e diretas:

1) Quem demonstra fraqueza, apanha... e muito.

2) Quem não faz, leva. (Futebol também é cultura

Aos ingênuos, o Macron está vindo aí com intimidações ao nosso país,  parecidas, querendo vingar Napoleão, a França Antártica e Equinocial que nós  botamos pra correr e o "Tartus" que passou vergonha batendo em retirada.

Sabe por que o "cacarejar"? Por que eles possuem a bomba! Simples assim.

Título e Texto: José Manuel, 28-1-202

Anteriores:
Galtieri, Maduro et Macron
A bomba...ou a paz?
A fera ferida e o papagaio de pirata
O inferno de Dante
Nuances geopolíticas 

2 comentários:

  1. « Je remarque que la destitution est adorée par le milieu parisien quand il s’agit de Trump, mais quand il s'agit de Macron, on n'a pas le droit d'en parler… Mr Macron est aussi dangereux que Mr Trump pour notre pays », Nicolas Dupont-Aignan dans #HDPros

    ResponderExcluir
  2. TRUMP já nos deu as Centrífugas, só falta o congresso deixar de ser covarde.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-