sábado, 9 de janeiro de 2021

[Atualidade em xeque] Coincidências hipersônicas

José Manuel

Menos de 48 horas após o conhecimento da nova administração dos Estados Unidos, dois fatos se sucedem numa rapidez fantástica. 

Primeiro, a China dá um ultimato para que os Estados Unidos abandonem imediatamente as suas pretensões em proteger Taiwan sob pena de fortíssima reação por parte da China. 

Segundo, e um dia após, Nicolás Maduro afirma sua intenção sobre dois terços da Guiana como sendo parte de território venezuelano, deixando a Guiana apenas com uma nesga de território a leste do rio Essequibo.

Suas alegações são de que o território pretendido pertence à Venezuela e é muito rico em ativos petrolíferos, florestais e hídricos e ademais quer uma frente atlântica para seu país.

Sobre o caso chinês, os Estados Unidos devem saber como dar uma resposta pois têm poder mais que suficiente para tal.

E a pacífica Guiana?  A quem vai recorrer neste momento em que a nova administração americana vem declarando se lixar para a América do Sul?

A Guiana é hoje um país soberano depois de ter sido uma colônia britânica na América do Sul.

Será que os Vulcan da rainha estariam prontos a agir como no caso das Falklands?

Esperemos que sim e ao mesmo tempo que os olhos gulosos por riquezas, do Maduro não se voltem para o sul.

Agora começa a ficar muito claro o porquê do forte armamento militar sofisticado do Irã, da Rússia e da China em território venezuelano.

É bom lembrar que a cidade de Manaus está a menos de 300 km de uma sofisticada base militar bolivariana.

Tempos mais que sombrios nos aguardam e é de desejar que a diplomacia brasileira esteja cada vez mais atenta e que os Gripen não demorem a chegar.

Título e Texto: José Manuel, 9-1-2020 

Anteriores:
A conta vai chegar
Correios & Telegraphos
Salto alto
Carnaval macabro
As bestas do apocalipse
Kombi abandonada em situação regular!?

Um comentário:

  1. A verdade está lá fora11 de janeiro de 2021 16:50

    Não podemos esquecer também dos mísseis russos que podem fechar todo o transito aéreo entre a América do Sul com o Norte, são do mesmo tipo que derrubou o avião da Malásia Airlines na Bósnia em 17/07/2014.
    Com este sistema anti-aéreo nenhum avião de carreira ou militar poderá passar a menos de 400 km da fronteira com a Venezuela. Quem está operando estes mísseis???

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-