sexta-feira, 27 de maio de 2022

Polícia deu prejuízo de mais de R$ 5 milhões em armas e drogas do tráfico da Vila Cruzeiro

Nas redes sociais, o governador Cláudio Castro afirmou: "essa gente ruim quer matar o futuro do povo fluminense"

Quintino Gomes Freire

As apreensões efetuadas durante a operação conjunta da Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal na Vila Cruzeiro, na Penha, comprovaram o poder econômico da facção que se instalou na comunidade e a capacidade de destruição das armas em poder dos criminosos. Somados, os valores das armas e drogas apreendidas significou um prejuízo à facção local de R$ 5,2 milhões.

O poderio das armas em mãos de criminosos abrigados em uma área densamente povoada é aterrorizante. Foram 14 fuzis automáticos utilizados em guerras convencionais, além de 4 pistolas e 20 granadas.

Os 14 fuzis apreendidos são de três modelos diferentes, todos de fabricação estrangeira – 2 AK 47, 5 AR-10 e 7 M-16. Com capacidade de disparar até 800 tiros em apenas um minuto, o alcance dessas armas de guerra chega a 1,5 km, com precisão no tiro de 500 metros.

Quem aponta uma arma contra a polícia, está apontando para toda a sociedade“, destacou,em seu perfil no Twitter, o governador Cláudio Castro. Para ele “essa gente ruim quer matar o futuro do povo fluminense” e “fora do império da lei e da ordem estão a barbárie e o banditismo“. 

O arsenal apreendido em poder dos criminosos da facção da Vila Cruzeiro durante a operação da última terça-feira poderia ter causado uma tragédia, caso o plano de deslocamento do comboio de 10 carros e 20 motocicletas não tivesse sido interrompido com a ação policial conjunta.

É um arsenal que impressiona. O AK-47, por exemplo, é um fuzil utilizado em todas as guerras contemporâneas, inclusive na guerra da Rússia com a Ucrânia. Tem grande capacidade de destruição e é capaz de derrubar um helicóptero“, explica o tenente-coronel Marcelo Corbage, comandante do Centro de Instrução Especializada e Pesquisa Policial. A unidade ministra instruções para a Polícia Militar do Rio e de outras unidades policiais do Brasil.

Disparos efetuados do mesmo complexo de comunidades atingiram na semana passada um helicóptero comercial, que voa a cerca de 300 metros de altura em relação ao solo.

De acordo com informações preliminares, o valor das armas apreendidas chega a R$ 1,2 milhão. O valor das drogas recolhidas da comunidade é estimado em R$ 4 milhões.

Título e Texto: Quintino Gomes Freire, Diário do Rio, 27-5-2022

Relacionados: 
Fux quer saber por que bandidos morreram 
O narconegócio no RJ, o sofisma de Sherwood, a ADPF 635 e a Vila Cruzeiro 
O “massacre” policial e a bolha esquerdista 
Até quando a Polícia do Rio será tratada como vilã? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-