segunda-feira, 23 de maio de 2022

[Conversamos com] James Tims: “Hoje se vende uma ideia, uma letra panfletária, um corpo, uma bunda, desde que chame atenção tá valendo!!”

Nome completo:
James Nelson Tims

Nome de Guerra: James Tims

Nome artístico: James Tims

Onde e quando nasceu?

São Paulo, 16 de maio de 1959.

Onde estudou?

Campos, Volta Redonda, Rio de Janeiro, Faculdade de Administração de Empresas.

Onde passou a infância e juventude?

Meu pai era missionário, acabei virando, por tabela, um cigano. Morei em Campos dos Goytacazes, Volta Redonda, Rio de Janeiro. E nos Estados Unidos em Dallas, Forth Worth, Crowley (Texas), Atlanta, Los Angeles.

Qual (ou quais) acontecimento marcou a sua infância e juventude?

Minha infância e juventude foi em Volta Redonda e no Texas. Basicamente, dos 10 até aos 18 anos foi onde morei.

Quando começou a trabalhar?

Em 1979, na Sul América.

Depois, na Varig, desde 1981, passando por vários setores até começar a voar em 1986… até 2006, quando a empresa fechou!!

Em novembro de 2006 entrei na antiga TAM, hoje Latam, voei lá até 2020 quando resolvi me aposentar!

E por que a empresa fechou? Você recebeu um telegrama?

Éramos funcionários sem muito conhecimento, na época, sobre a política da empresa… havia uma dívida da Varig com o governo federal… e uma dívida do governo junto à Varig… foi proposto, até onde sei, um ajuste de contas que, aparentemente, não aconteceu. Repito não sei se minhas informações procedem. 

Sim, todos recebemos o telegrama informando nossas demissões.

O que sentiu, como se sentiu, ao ler esse telegrama?

Evidentemente fiquei triste, já tinha 25 anos trabalhando na Varig… 

Você, e demais colegas, não pressentiam esse desfecho?

Um pouco…

Diga aí, quais as diferenças entre a RG e a TAM?

A Varig era uma empresa já formada e consolidada, com uma filosofia de trabalho bem definida há muitos anos; a Tam, uma empresa mais jovem no tempo de existência… ainda formando e se adaptando ao mercado… com um grupo de funcionários mais jovens… mas foi um prazer poder ter trabalhado nas duas maiores empresas aéreas do Brasil.

Saudades da Aviação?

Um pouco (risos), voei trinta e cinco anos, aproveitei bastante.

Quais os pernoites de que mais gostava?

Nova Iorque, Los Angeles e Londres, pelas cidades e a cultura musical delas.

Passou por algum perrengue durante a sua vida profissional como Comissário de Voo?

😊 Alguns, mas nada muito sério… fui abençoado nesse quesito.

Well… minhas lembranças me dizem que você tinha outra vida profissional, it’s true?

No fim dos anos 80, montei minha primeira banda, T’AI, uma banda de cover, que durou até 1994, quando resolvi seguir carreira solo.

Em 1995 gravei meu primeiro CD, Grand Pa’s Place, com músicos do “Blues Etílicos” entre outros, e produção do renomado guitarrista Robertinho do Recife. Álbum que saiu pela gravadora Leblon Records.

Em 1999 gravei o segundo álbum solo, GYPSY, também com músicos do “Blues Etílicos” além de músicos como Paulinho Moska, Milton Guedes.

Em 2003 lancei o terceiro álbum, o BOOTLEG.

Importante frisar que nada disso teria sido possível sem o talento desses músicos. Mas 80% de todas as composições são minhas e do meu parceiro e guitarrista RODRIGO LARESE, com quem toquei durante quase trinta anos, um dos melhores com quem toquei!

Fiquei dezessete anos apenas fazendo shows, até que já morando em Campinas, resolvi em 2020 gravar um novo álbum, um sonho antigo de fazer um trabalho COUNTRY ROCK, uma vez que minha mãe é de Nashville e meu pai do Texas. Essas influências tenho desde esse período morando lá.

O álbum KICKIN UP DUST foi gravado em Campinas com a produção do meu atual guitarrista, Gabriel Adorno, e músicos locais, apenas a bateria foi gravada no Rio, pelo grande Marcelinho da Costa (LULU SANTOS, FREJAT, entre outros). 

Em agosto deste ano voltaremos aos shows ao vivo, lançando este quarto e novo álbum.

Morando em Campinas…?!

Rsrs… em 2016 me casei com uma Campineira, por esse motivo me mudei pra Campinas, cidade tranquila, com uma enorme seleção de bares e restaurantes, e uma grande quantidade de casas de shows, de todos os gêneros! Por conta da UNICAMP, conheci muitos músicos de excelente qualidade, formados nessa Universidade.

Well, women rules! 😉

Foi este o primeiro CD? 

Sim este foi meu primeiro CD, do qual me orgulho muito! Teve a participação do Robertinho do Recife e de músicos do Blues Etílicos e composições minhas e do meu guitarrista Rodrigo Larese.

O autógrafo é autêntico?

Com certeza, é assim até hoje 😊😊.

Cara, você lembra do nome da boate/club onde você se apresentou em São Conrado, no passado milênio?

Sim eu lembro!! Toquei lá algumas vezes, se chamava RITMO. Uma vez a Vera Fisher apareceu no show!! Já viu, né?! kkkk

26-1-1995, foto: O Globo

Como era conciliar a profissão de Comissário de Voo com a de Cantor de Blues?

Até hoje não sei de onde veio essa associação e rótulo de cantor de Blues, kkk, talvez por ter tocado com tantos músicos do estilo, e por ter um timbre rouco tão característico de cantores de Blues. Evidentemente eu bebi dessa fonte, onde tudo começou, mas gosto da mistura, do Blues/Rock… minhas principais influências foram as bandas americanas sulistas, por conta do tempo em que morei no Texas e na Georgia, em Atlanta… como Lynyrd Skynyrd, ZZ TOP, Atlanta Rhythm Section, Molly Hachet… para citar algumas.

Nos meus álbuns fica bem claro o meu gosto musical, onde misturo um pouco de tudo que me influenciou.

Mas como foi conciliar voar e cantar?


Como comissário de bordo a gente tinha o direito de solicitar folgas na nossa escala desde que fossem solicitadas com antecedência. Os shows eram marcados com antecedência, e eu pedia folga para poder atender os ensaios prévios e shows. Nunca faltei ao meu trabalho e tampouco aos shows, devido a essa facilidade que tínhamos.

Seus pais são músicos?

Minha mãe tocava piano e acordeom, tentou me iniciar no violão, depois piano e baixo, por fim desistiu. Eu era muito preguiçoso e não levei adiante!

Ela era regente do coral infantil da igreja onde eu cantava… resolvi cantar então, uma vez que era uma coisa que já fazia naturalmente kkkk, e não precisava estudar para fazê-lo kkkk…

Voltando à juventude, quais as diferenças culturais entre os EUA e o Brasil?

Cada uma com suas características, eu gosto muito da modernidade e modo prático da cultura americana, e amo a sociabilidade e clima do Brasil. Cada país com suas características.

E o Brasil, como vai indo?

Não sou fanático partidário, não entro em discussões a respeito. Sou democrático e respeito todas as opiniões, tenho minhas convicções e as defendo através das minhas escolhas no voto!

Perfeito! Deduzo então que você não é abstencionista…

Quais os maiores cantores/cantoras de blues?

Ahhhh, tenho meus preferidos sim, não necessariamente do Blues, a maioria não muito conhecidos por aqui, mas que merecem ser pesquisados.

Atualmente, DINO JELUSIK, croata que canta backing vocals no Whitesnake;  PAUL RODGERS, do Bad Company nos anos 70; STEVE PERRY do Journey;  DIO do Rainbow e Black Sabbath; JORN LANDE e DAVID COVERDALE do Deep Purple e Whitesnake.

Sobre a música brasileira, samba, bossa-nova, sertanejo (universitário e ‘analfabetizado’), pagode, funk… do que mais gosta e do que menos gosta?


No fim dos anos 70 o Brasil tinha algumas bandas de rock progressivo que era uma tendência da época que eu admirava muito, O TERÇO, BARCA DO SOL, MUTANTES, que eram sensacionais. Na mesma época em que o YES, GENESIS, entre outros, faziam sucesso na Europa.

No início dos anos 80 veio a explosão de bandas de rock, como LEGIÃO URBANA, BLITZ, CAPITAL INICIAL, ULTRAJE A RIGOR, etc… todas com seu estilo próprio, mas o BARÃO VERMELHO era a minha preferida, pela pegada mais rock e menos pop.

O samba, pagode, sertanejo, nunca me encantaram… mas ouvi e respeito a importância no cenário cultural do pais, é apenas uma questão de gosto!

Quanto ao funk acho de péssima qualidade, nada tem a ver, inclusive com a musicalidade funk e suas origens americanas. Deveriam ouvir das fontes, tipo ISLEY BROTHERS, EARTH WIND & FIRE, STEVIE WONDER, PARLIAMENT, entre tantos outros.

A música mudou, e a qualidade deu lugar ao comércio. Hoje se vende uma ideia, uma letra panfletária, um corpo, uma bunda, desde que chame atenção tá valendo!!

Por que tantas pessoas ainda ouvem clássicos antigos? Porque é quando ainda se fazia música com qualidade, em todas as categorias, simples assim.

Certíssimo. 😉

Curte futebol?

Lógico. Sou FLAMENGO, ia no Maracanã direto desde 1972, kkkkk.

Poxa! Um artista desse jaez sendo flamenguista?! Unbelievable! 😟

É filho único?

Não, tenho duas irmãs. Uma mora no Rio, a outra em Austin, no Texas.

Seus pais estão no Brasil ou nos EUA?

Minha mãe já está no céu. Meu pai está com 95 anos e super forte, lúcido e ativo, está morando no Rio de Janeiro. 

Pizza com ketchup ou azeite?

Azeite.

Já tem a programação do tour em agosto?

A previsão é de refazer a banda e começar a ensaiar em junho. Banda nova, novo repertório incluindo músicas do novo álbum, e pegar a estrada em agosto. Sigam-me no Facebook e Instagram para as datas.

Estamos à disposição para receber releases, informes, etc. Você já tem o e-mail. 😊

E aí, doeu conversar com o cão?

Absolutamente, kkkk… foi um prazer. Obrigadoooooo pelo espaço.

Uma pergunta que não foi feita?

Acho que cobrimos todas as áreas…

A derradeira mensagem:

Nunca desistam dos seus sonhos, lutem por eles tornando-os uma realidade e se realizem, caso contrário serão eternamente sonhos.

Obrigado, James! 😉

Conversas anteriores: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-