quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Ciclone extratropical: Rio enfrenta ventania, chuva, ressaca e baixas temperaturas nesta quinta-feira

Na madrugada, Copacabana chegou a registrar rajadas de ventos com 95 Km/h; bairros da Zona Oeste estão sem luz, árvores foram arrancadas na Zona Sul e até o portão de um condomínio, na Barra, foi pego pelo Ciclone

Estéfane de Magalhães

Na madrugada desta quinta-feira, (11/8), um ciclone extratropical chegou ao Rio de Janeiro de ‘mala e cuia’, causando quedas de árvores, ressacas, baixas temperaturas e muito estrago. De acordo com o Centro de Operações Rio, as rajadas de vento chegaram a quase 95 km/h no Forte de Copacabana, na Zona Sul.

Foto: Rafa Pereira/Diário do Rio

As temperaturas estavam altas no Rio e com a frente fria, o ar quente se encontrou com a massa de ar frio e provocou a ventania. Entre 4h e 5h, o vento chegou a 93,6km/h em Copacabana.

Os ventos causaram bagunça por toda cidade. No Aeroporto Santos Dumont alguns voos precisaram ser cancelados por conta dessa ventania. Trechos de rua no Recreio e em Campo Grande, na Zona Oeste, estão sem iluminação.

Além de muitas quedas de árvores, a ventania, em Copacabana, derrubou uma árvore sobre um carro na Rua Souza Lima. Em Ipanema, na Zona Sul, muitos galhos de árvore caíram nas ruas. Na Avenida Vieira Souto, um sinal luminoso caiu em cima de um motoboy. Houve queda de árvores também na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá. Mas não há registro de veículos atingidos ou de pessoas feridas.

Até um portão, em um prédio na Rua General Ivan Raposo, na Barra da Tijuca, foi arrancado pelo ciclone. 

Ressacas e temperatura

Marinha emitiu alerta de ressaca para toda a orla do Rio. As ondas podem chegar a 4m de altura. O alerta foi dado na manhã de quarta-feira, (10/8) e vai até às 21h de sexta-feira (12/8).

Para esta quinta-feira, (11/8), há previsão de pancadas de chuva a qualquer hora do dia. A máxima prevista é de 22°C. A mínima será de 15°C.

De acordo com o Centro de Operações Rio (COR), a cidade está em estágio de mobilização desde às 0h40 de quarta-feira (10/8). Este é segundo nível em uma escala de cinco e significa que há riscos de ocorrências de alto impacto no Rio.

Título e Texto: Estéfane de Magalhães, Diário do Rio, 11-8-2022

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-