quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

[Para que servem as borboletas?] Que coisa feia, Encarnação!

Valdemar Habitzreuter

O massacre de presos em um presidio de Manaus é sintoma de um aviltamento da sociedade brasileira pela constante violência e criminalidade em seu seio, sem que o poder público tenha uma política adequada para dar uma solução ao problema. Decorre daí a superpopulação carcerária e sem o mínimo de condições condizentes para abrigar os presos. Volta e meia temos notícias de revoltas e massacres desse gênero como o ocorrido em Manaus.

Brasil! Brasil! Brasil! O país do futebol; o país da folia carnavalesca; o país da alegria estampada no rosto do povo; o país acolhedor do turista estrangeiro...; tudo isso está cedendo lugar a um marasmo esquálido sem perspectivas de parar. Parece que forças estranhas e malignas encarnaram neste país de calor tropical e cordial onde a beleza exuberante da Natureza e as borboletas coloridas sempre foram exaltadas em verso e prosa; mas, nem mais os poetas e escritores têm inspiração para enaltecer esta terra agora tão vilipendiada. 

Encarnação! Uma palavra-chave que não deveria se prestar à maldade. Deus fez-se homem, encarnou em Jesus para salvar a humanidade; isto é, a encarnação foi um gesto de amor. Mas, nós mortais comuns vamos desvirtuando, à revelia, palavras sagradas e assim também o espírito maligno tem o direito de transitar em certas pessoas.

Veja só o caso de Manaus: A desembargadora Encarnação Graças Salgado está envolvida em suposta ligação com a facção criminosa que promoveu o massacre no presídio de Manaus. Atentem só para o nome da eminente desembargadora. Além do nome Encarnação ainda lhe é acrescido o nome Graça. Que graça cabe ao nome Encarnação dessa desembargadora que se deixou encarnar pela ganância do enriquecimento ilícito? Ainda bem que as potências do mal sempre serão subjugadas pelas potências do bem e então fica salgado (confira sobrenome dela) o ilícito cometido... 
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 5-1-2017

Anteriores:

Um comentário:

  1. O sistema carcerário brasileiro, de um modo geral, carece de modernização na infraestrutura e melhor qualificação dos agentes públicos e pessoal terceirizado que atuam nesse setor. Some-se a tudo a cultura da impunidade e corrupção , e o problema toma um vulto de dificílima solução. A corrupção permeia os três poderes da república . Há coisa de 50 , 60 anos atrás, quando alguém olhava para um magistrado seja lá onde fosse, tirava-se o chapéu e "curvava-se"diante da toga. Hoje em dia a dignidade parece ser um atributo extinto.
    Falando em encarnação , talvez a espiritual seja uma possível resposta para tudo o que vem acontecendo nos quatro quadrantes . Milhares sofrem, enquanto muitos seguem na plenitude da bem aventurança, nada de mal ( ou muito pouco ) acontece , as coisas fluem de maneira satisfatória , os negócios vão bem e o amor em alta...
    Esta suposição talvez explique tantas atribulações sofridas por todo esse gigantesco contingente de pessoas ao redor do planeta , embora nada se tenha como provar. É uma teoria pessoal, nada mais que isso.
    Quanto ao massacre dos detentos , entre eles mesmos, transparece que as autoridades daquele presídio fizeram "vista grossa" para reduzir a população carcerária .
    Tudo isso que estamos presenciando , aqui e no exterior , é fruto da falta de amor e dignidade no ser humano. As pessoas foram feitas para serem amadas , e as coisas para serem usadas . O homem inverteu as posições...

    Abraços a todos.

    Sidnei Oliveira

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-