quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Brasil: refém dos bandidos da política e seus cúmplices

Geraldo Almendra
Estamos presenciando que as vantagens pecuniárias, corretas ou corruptas, ou de estabilidade de empregos no Poder Público, têm transformado centenas de canalhas esclarecidos ou não em cúmplices da degeneração moral do país através do roubo, da corrupção e do suborno sem fronteiras dentro de nossas instituições, principalmente o Parlamento, transformado pelo PT – gang dos 41 – em um antro de canalhas absolutamente inescrupulosos, através do Mensalão e de outros instrumentos de práticas ilícitas, todos já devidamente comprovados.
Não fossem os inúmeros escândalos de corrupção denunciados durante os mandatos de Lula, mais de 90% permanecendo sem investigação oficial conhecida, e os mais recentes, principalmente o “O Caso Rose”, já temos as evidências e suas comprovações mais que suficientes que nosso país se tornou refém da corrupção e do suborno de funcionários públicos e empresários, ao custo de bilhões de reais que deixaram de ser empregados na saúde, na segurança pública, na educação, na cultura e no saneamento, sem falar na estrutura econômica do país que está uma vergonha, enquanto o BNDES compra, através de alongamento de dívidas, financiamentos subsidiados com pagamentos a perder de vista, e “outras facilidades”, a “solidariedade” imoral de empresários, melhor dizendo de canalhas esclarecidos, com os desgovernos mais corruptos de nossa história.
Neste cenário de destruição moral e econômica do país, ao custo do abandono de milhares de núcleos sociais, carentes dos investimentos e serviços públicos obrigatórios, corruptos e subornadores – principalmente os réus do Mensalão – deveriam ser julgados por crimes hediondos sem direito a qualquer tipo de paliativo legal para o cumprimento de suas penas.
Já deveriam estar presos, mas continuam subornando o submundo do Poder Judiciário para ganhar tempo e tentarem dar “uma volta por cima” na Justiça.
Os bandidos da política através de um Parlamento majoritariamente servil à ilicitude, apesar do absoluto desmascaramento da sordidez criminosa do projeto de poder do PT, continuam tentando, de todas as formas possíveis, blindar os canalhas da corrupção e do suborno que vão sendo gradualmente desmascarados pela Polícia Federal, infelizmente ainda comandada por um Ministro da Justiça que demonstra ser um lacaio do PT comandado pelos bandidos da política prostituída e seus cúmplices, e por uma presidenta que não está ainda enxergando que sua gestão já foi confundida com a ilicitude do seu antecessor, devido o poder paralelo que este sempre exerceu e continua exercendo no poder público durante o seu mandato.
Legalmente já está comprovado que o PT infringiu de forma gravíssima a Legislação Eleitoral e cabe agora às autoridades públicas responsáveis cassar o registro desse partido que traiu o país, ou seja, traiu vergonhosamente todos aqueles que acreditaram que, com o poder conferido a um candidato do partido, ao ser eleito para presidente da República, a moralidade nas relações público-privadas iria ser resgatada.
No final das contas fica comprovado, pela ação da gang dos 41, que os 400 picaretas do Parlamento, denunciados pelo Retirante Pinóquio durante seu primeiro estelionato eleitoral, foram transformados em milhares de picaretas subordinados ao projeto de poder do PT, sendo todos filhotes dos ovos da serpente da corrupção e do suborno, serpente nascida no submundo de um comuno-sindicalismo traidor do país.
O que a sociedade tem testemunhado nos últimos doze anos é a prática de sucessivos estelionatos eleitorais que tiveram como resultado um apodrecimento dos poderes da República - quase incontrolável -, que já vinham sendo corrompidos por desgovernos civis anteriores.
A partir do julgamento do “Mensalão” com uma postura jurídica absolutamente digna e honesta do relator do processo – Ministro Joaquim Barbosa –, apesar de ter sido sistematicamente atacado ou pressionado por togados que assumiram, perante a sociedade, o vergonhoso papel de disfarçados advogados de defesa dos corruptos da gang dos 41, voltamos a ter uma pequena esperança de que os canalhas que fizeram do poder público um Covil de Bandidos possam ser exemplarmente punidos.
Esperamos que, apesar das terríveis pressões dos meliantes da corrupção e do suborno, o Ministério Público, o Procurador-Geral da República, o CNJ, o STJ, o TSE, o STF e a Polícia Federal não se acovardem, dando o devido fim na sórdida trajetória do PT e do seu comandante maior, o já indicado por um condenado como o verdadeiro chefe do Mensalão e, provavelmente, de todos os outros escândalos já denunciados, atuando como o líder maior das gangs da corrupção e do suborno que estão destruindo nosso país.
O mundo acompanha uma decisão das lideranças sociais dignas e honestas, assim como dos poderes constituídos, isto é, se vão efetivamente acabar com o processo da transformação do poder público em um Covil de Bandidos e resgatar o verdadeiro papel da Justiça, ou permitir que sejamos efetivamente qualificados como um país Paraíso de Patifes, tendo como mandante o próprio poder público que pode acabar como um refém do fascismo petista, núcleo do hediondo projeto de poder do PT.
Título e Texto (e Grifos): Geraldo Almendra, 29-11-2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-