quarta-feira, 13 de maio de 2020

[Para que servem as borboletas?] Velhinhos e velhinhas…

Valdemar Habitzreuter

Envelhecer é um processo da vida, é caminhar para o fim natural da vida, é o declínio que sobrevém após a maturidade.

Diz um famoso psicanalista, cujo nome não me lembro agora, que a vida é como se fosse uma viagem de avião com suas três etapas: a subida, o voo horizontal e a descida. A infância e a juventude correspondem à subida; a idade adulta, ao voo horizontal; a velhice corresponde à descida, o tempo necessário para voltar à terra.

Envelhecemos, portanto, quando chega o momento da descida. Estamos determinados, no plano biológico, a viver passivamente a descida como passageiro de uma linha aérea, mas, por outro lado, no plano psíquico, podemos vivê-la ativamente como piloto da aeronave, tendo o comando nas mãos…

O envelhecimento é um processo lento e progressivo em que a “descida” talvez se dê com turbulência (doenças) e não, necessariamente, linear...

Assim, temos duas formas de encarar essa descida:
1) sentados passivamente como passageiro;
2) ou como piloto do avião...

Portamo-nos como passageiro quando a velhice (a descida) consiste apenas em aceitar e assistir, passivamente, nossa destruição ou explosão final, sem nos interessar em dar forma ao declínio da vida.

Por outro lado, somos o piloto do nosso envelhecimento quando sabemos dar essa forma, inventar nossa velhice, em saber se acostumar com essa etapa da vida e sentir-se ainda jovem. Aí o envelhecimento não é mais apenas um processo progressivo enfadonho para o fim, mas um acontecimento natural que é aceito de boa vontade…

Estamos às voltas com uma pandemia medonha que apavora os velhinhos e velhinhas porque se enquadram na categoria de risco. Qual é, pois, a “manobra de pilotagem”, meus amigos velhinhos e velhinhas, nesta situação de perigo? Aperte no painel do “avião” de sua vida o botão: FIQUE EM CASA!
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 13-5-2020

Colunas anteriores:

4 comentários:

  1. 👏👏 Belo texto sobre a velhice ,criando uma imagem poética da mesma , embora eu tenha uma queixa dela, a velhice. Sempre me disseram que quando ficamos velhos ficamos também sábios. Fiquei só velho! E envelhecer é o onús a pagar por ter nascido. 😀Conclusão!
    E a velhice é uma merda!

    ResponderExcluir
  2. SER VELHO OU ESTAR VELHO?
    Ser idoso o estar idoso?
    Por que não gosto de ser chamado de velhinhos do AERUS?
    Idoso é alguém com muita idade, com suas marcas, que já vive ha muito tempo.
    VELHO é aquele que perdeu sus alegria pela vida, que se entregou à passagem do tempo, e tem em seu pensamento que seu corpo a marca da morte.
    O idoso sempre sorri e participa do cotidiano, com a experiência dos anos vividos, buscando encontrar soluções e, assim, sonha, aprende e ensina; já o velho adormece e não sonha mais e, sendo assim, não sonha, não aprende e não ensina.(Dr. Antônio Humberto da Costa)
    VELHO é um cara que vive do passado.
    Idoso adora o futuro.
    Ser idoso é nunca querer ficar velho. Ser jovem é querer ser um dia ser um idoso feliz.
    Sou um IDOSO dependente do AERUS.
    Idosos do AERUS, que já foram jovens do AERUS, nunca queira ser os velhinhos e velhinhas à espera dos sete palmos do silêncio.
    A pandemia respeito-a mas não me apavora.
    Minha manobra de pilotagem é chegar a um porto seguro, antes de apertar o botão do FODA-SE.


    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-