quinta-feira, 11 de junho de 2020

FC Porto: regresso ao Dragão e à liderança

FC Porto venceu o Marítimo (1-0) na primeira jornada caseira após a interrupção das competições e ascendeu ao topo do campeonato com dois pontos de vantagem sobre o segundo classificado

Foto: José Coelho/AFP
O FC Porto é líder isolado do campeonato. Após o empate do Benfica, momentos antes, em Portimão, os Dragões entraram em campo atrás dos encarnados e garantiram uma vitória que os recolocou no comando da Liga NOS. Um grande golo de Corona, nos primeiros minutos do encontro, fez com que os três pontos ficassem na Invicta no regresso dos portuenses ao Estádio do Dragão, mais de três meses depois da última partida caseira.

Talvez motivado pelos cânticos, desde o exterior, que se ouviam no recinto portista, Corona abriu o marcador logo aos seis minutos, num remate cruzado a meia altura que deixou Charles pregado a ver o esférico embater nas redes da baliza Sul. Estava feito o 1-0 para o FC Porto, mas a desvantagem não pareceu abalar o Marítimo. No recomeço, os insulares dispuseram de uma grande oportunidade após falha de comunicação entre Pepe e Marchesín, contudo Daizen não conseguiu acertar com a bola entre os postes defendidos pelo argentino. O mesmo Daizen voltou a beneficiar de um erro portista quando, no minuto 17, Sérgio Oliveira mediu mal um passe no centro do campo, a bola chegou a Nanu que cruzou para o japonês falhar por centímetros a igualdade. Os verde-rubros tinham pouca bola mas várias chances. Ao 23º minuto, Marchesín redimiu-se e mostrou os reflexos que lhe são reconhecidos ao travar um cabeceamento de Joel Tagueau à baliza azul e branca. Até ao apito para intervalo, a estratégia de manutenção da posse e troca de bola em passe curto montada por Sérgio Conceição esfriou as intenções adversárias e foi o FC Porto quem dispôs dos únicos remates, disparados pela dupla de meio-campo: Danilo e Sérgio Oliveira.


Após o descanso, o Marítimo tentou subir as suas linhas sem, contudo, conseguir criar grande perigo ao emblema da casa. Entre os 50 e os 65 minutos, só o FC Porto rematou, através de Luis Díaz, Pepe e Sérgio Oliveira, mas nunca com a direção do golo. A equipa da Madeira somente se virou para a baliza adversária nas indecisões defensivas portistas. A primeira substituição, das cinco possíveis, dos Dragões foi sinónimo de estreia para Fábio Vieira. Sérgio Conceição lançou o camisola 50 tendo em vista o reforço do miolo da sua formação. Corona dançou entre posições - primeiro para o meio, depois para a esquerda – e Fábio fixou-se na direita. O lançamento de Uribe e Soares para o jogo, na paragem seguinte, fixou Danilo na frente dos centrais azuis e brancos e só um inusitado segundo amarelo a Alex Telles obrigou a rever o derradeiro esquema tático de Sérgio Conceição. O trio de médios desfez-se, quando Diogo Leite entrou para o lugar de Sérgio Oliveira, e os minutos finais foram de aflição… para o Marítimo. No período de descontos, Fábio Vieira mostrou muita maturidade, obrigou o guarda-redes visitante a defender para canto e, na cobrança da bola parada, colocou a bola com a medida certa para uma potente cabeçada de Soares ser cortada em cima de linha de golo
FC Porto, 10-6-2020, 23h53


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-