quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

‘Fechamento do comércio não resolve’, diz prefeito que adotou outra estratégia

Carmo do Rio Claro, no sul de Minas Gerais, decidiu manter as lojas abertas

Afonso Marangoni

Com pouco mais de 20 mil habitantes, a cidade de Carmo do Rio Claro, no sul de Minas Gerais, tem adotado estratégia diferente no enfrentamento da pandemia. O município decidiu não fechar o comércio e passou a atacar focos de contaminação, como festas clandestinas.

Oeste, o prefeito da cidade, Filipe Cardoso Carielo (PSD) [foto], que assumiu em 1º de janeiro e enfrenta a segunda onda da doença, garante que sem fechar as lojas foi possível zerar o número de casos de covid-19.

“O fechamento do comércio não resolve o problema e cria outros, como miséria, desemprego e violência”, afirma o prefeito.

Segundo ele, no início da pandemia a população exigia respostas para conter o avanço do coronavírus e, em busca de resultados políticos, autoridades tomaram decisões sem base científica.

Carielo afirma que a prefeitura de Carmo do Rio Claro está focada em coibir festas clandestinas e aglomerações, que ocorrem principalmente nos fins de semana.

“O comércio varejista não é o culpado. Não fechamos as lojas, o comércio de segunda necessidade, apenas diminuímos o tempo de funcionamento dos bares, mas eles continuaram funcionando”, destacou.

Na terça-feira 23, o gestor municipal esteve em Brasília, onde participou de um evento de prefeitos com o presidente Jair Bolsonaro.

Título, Imagem e Texto: Afonso Marangoni, revista Oeste, 24-2-2021, 20h02

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-