sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Muros? A Europa já gastou 500 milhões a construir os seus

Reuters/Visão

Donald Trump assinou o decreto para a construção do muro em toda a fronteira entre os EUA e o México. No Velho Continente, cresce a avalancha de críticas, indignação, estupor. Mas países europeus já construíram ou estão a erguer barreiras anti-imigração que representam 40% do muro sonhado pelo novo inquilino da Casa Branca

Foto: Edgard Garrido/Reuters
As contas são da agência Reuters e os cálculos foram feitos por baixo: em muros e cercas de arame anti-imigração, erguidos nas suas fronteiras, um número crescente de países europeus já gastou, pelo menos, 500 milhões de euros. Agora que Donald Trump assinou o decreto para a construção do muro em toda a fronteira entre os EUA e o México (o que levou o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, a suspender uma viagem oficial a Washington e a cancelar a reunião que tinha agendada com o homólogo americano), a indignação na Europa irá ao rubro. Mas, entre os muros de cá e o de lá, só há uma diferença: os dos países europeus são pagos pelos respetivos contribuintes; o projetado pelo presidente americano, diz o próprio, é para ser suportado... pelo México.

É de pressupor que Donald Trump olhará com inveja para a rapidez com que países europeus constroem os seus muros e cercas. São já cerca de 1 200 km de barreiras anti-imigrantes, que correspondem a quase 40% do muro que o presidente americano quer levar por diante.

Essas barreiras espalham-se por toda a geografia do Velho Continente: entre a Grécia e a Turquia; entre a Macedónia e a Grécia; entre a Eslovénia e a Croácia; na Hungria, nos seus vários limites fronteiriços; nos enclaves espanhóis em África; em França, no acesso à linha ferroviária do Eurotunel que conduz ao Reino Unido. E os países balcânicos já se preparam para construir os seus muros, caso a rota dos migrantes se altere e comece a passar por ali.

Que ilusão a de que o Muro de Berlim, derrubado em novembro de 1989, era o último a cair...
Título e Texto: Reuters/Revista VISÃO, 27-1-2017

Relacionados:

2 comentários:

  1. Os MUROS são privilégios dos latinos.
    Aqui temos vários tripulantes comentando, pergunta-se:
    Em quais países você viram mais condomínios sem muros?
    Eu vou exercitar minha memória.
    Estados Unidos
    Inglaterra
    Canadá
    Japão
    Aqui no Brasil até nas periferias existem muros altos e cercas eletrônicas.
    Talvez esse clima sem MURALHAS advenha do respeito à propriedade.
    Castelos tinham fosso e muralhas.
    Cada um defende suas fronteiras do alheio como pode.
    Eu moro numa prisão.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-