terça-feira, 20 de novembro de 2018

[Versos de través] Anulando o nulo

Haroldo P. Barboza

Decepcionante e lamentável
Sermos tratados como mulas
Por uma categoria detestável
Que causa as eleições nulas.

Quem observa o menu na folha
Percebe ser inútil uma escolha
Quem vencer o falso pleito
Vai lesar a pátria do seu jeito!

Por anos roubaram a nação
Não usaram armas de metal
Apenas trocaram de ladrão!

Num alto voto de confiança
Pedimos ao novo Presidente
Que nos devolva a esperança.
Título e Texto: Haroldo P. Barboza, Rio de Janeiro, 20-11-2018

Anteriores:

[Coluna do Almir] A verdadeira reforma da Previdência

Almir Papalardo

Digníssimo Presidente do Brasil, Senhor Jair Messias Bolsonaro:

Na atual conjuntura, quando o país sente a necessidade de reformar a sua Previdência Social, peço vênia para me dirigir, mais uma vez, a Vossa Excelência, em nome também de mais de oito milhões e meio de aposentados discriminados da iniciativa privada.

Pelo amor de Deus, não permita mais que o projeto do senador Paulo Paim que garante a trinta milhões de aposentados o mesmo índice de correção dado ao salário mínimo permaneça escondido criando teias de aranha, no fundo das gavetas da Câmara dos Deputados. Inclua-o prioritariamente na Reforma da Previdência, extirpando, como um cirurgião habilidoso, um tumor maligno que tanto dano provoca em milhões e milhões de indefesos e esquecidos segurados do INSS!

O Senado Federal já fez a sua parte aprovando este Projeto de número 01/2007 (percentual único de correção para todas as aposentadorias). No caso, manda a lógica, o bom senso e a honestidade que o primeiro retoque na Previdência a ser feito, seria a anulação deste terrível preconceito praticado contra um terço de aposentados, aqueles que por força das suas maiores contribuições mensais ao INSS durante trinta e cinco anos, conquistaram uma aposentadoria melhorada, com valor do benefício superior ao salário mínimo.

O sistema previdenciário necessita realmente de uma grande reforma para a sua sustentabilidade. Mas não esta reforma incompleta que não obriga a Câmara a colocar um projeto na pauta para análise e votação, o que já foi feito há muito pelo Senado! Aliás, para uma verdadeira reforma, justa e plena da Previdência, poder-se-ia até dispensar a obrigatoriedade da Câmara para corrigir tamanho absurdo, até porque, ela teve onze anos para fazê-lo, preferindo por insensatez, má gestão e desprezo ao velho aposentado, obstruir aquele projeto!

Por que dois terços de aposentados de um regime único podem receber o mesmo percentual de reajuste dado ao salário mínimo e os outros um terço, não podem? Onde está a lógica desta esdrúxula correção salarial? Aposentadorias atualizadas com dois percentuais diferentes??   É a maior abominação de todos os tempos praticada por duas décadas contra os ex-trabalhadores fisicamente cansados pela idade!


[Foco no fosso] Tem sonrisal aí?

Haroldo P. Barboza

Não cheguei a me surpreender com a fissura do viaduto da rodovia Marginal Pinheiros em São Paulo, agora em 2018. Por um motivo simples: as mazelas que constatamos no RJ, se replicam pelo resto do país porque nenhuma quadrilha (partido) se empenha em gerir uma administração pública benéfica ao povo que escolheu alguma sigla para equacionar nossas demandas.

No dia 1 de março de 2009 cidade do Rio de Janeiro registrou seu pálido aniversário de 444 anos. Tirando suas belezas naturais abandonadas e a fraternidade do povo local, nada a comemorar com ênfase e orgulho.

As autoridades não tinham algo a anunciar que pudesse nos servir de presente, tal como: melhoras na área da educação, saúde, segurança, trânsito, limpeza, moradia, desemprego. Ou, pelo menos, redução de impostos.

Neste domingo que deveria ser festivo, aproveitei o fato que não frequento praias lotadas em dia de imenso calor e transitei por alguns túneis (6) e viadutos (8) durante duas horas. Observei superficialmente as condições destas vias que nos espremem em dias de engarrafamentos irritantes. Fui pela manhã, pois alguns destes monumentos são conhecidos como locais de risco de assaltos após 18 horas. Não vou desabonar nenhum bairro aqui.

Efetuei um trajeto que nenhum guia turístico terá coragem de incluir em seus pacotes tal o estado de abandono criminoso destes monumentos de concreto. Se a secretaria de vias urbanas tivesse um responsável sério, ele incluiria uma vistoria trimestral (certamente tem “aspones” sobrando) por estas vias. Posso fornecer graciosamente o modelo de itens a serem verificados.

[Daqui e Dali] O homem é sempre o mesmo…

Humberto Pinho da Silva

Dizia em alta voz, senhora, no salão de chá, de famosa confeitaria: “No meu tempo não havia tanta desvergonha!”

Como ela, todos somos tentados a dizer o mesmo. Parece-nos – talvez porque presenciávamos com olhos inocentes de criança –, que a coletividade de outrora era bem melhor.

Tirante a violência, que recrudesceu na via pública – que uns afirmam ser devido à miséria; e outros, à perda de fé e valores cívicos –, a sociedade pouco evoluiu.

No meu tempo de menino dizia-se: a falta de civismo era resultado da fraca escolaridade da população.
Asseverava-se, com ênfase, que a educação – queriam dizer ensino –, resolveria todos ou quase todos, os males que afligiam a humanidade.

Estavam redondamente enganados!…

Agora, todos ou quase todos, estudam. Muitos cursam o ensino superior, e saem das Universidades, licenciados, como cerejas de um cesto.
E nem por isso os povos ficaram mais evoluídos…

Além de desvarios inclassificáveis e insegurança constante: as guerras, são cada vez mais refinadas; a corrupção campeia por toda a parte, assim como a falta de escrúpulos e bandalheira…

Gustavo Perrella, do helicóptero com cocaína, foi nomeado para o Ministério do Esporte de Bolsonaro?

Gilmar Lopes

É verdade que o ex-deputado federal Gustavo Perrella foi nomeado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para o cargo de Ministro do Esporte?

A notícia surgiu nas redes sociais na segunda quinzena de novembro de 2018 e rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados na política. De acordo com o texto amplamente compartilhado, o ex-deputado federal Gustavo Perrella – que ficou conhecido em 2013 quando um helicóptero de sua empresa ser apreendido pela Polícia Federal com 445 kg de cocaína – teria sido nomeado Ministro do Esporte pela equipe de Jair Bolsonaro para o início do seu mandato, em janeiro de 2019.

Será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

É verdade que o ex-deputado federal Gustavo Perrella foi nomeado pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, para o cargo de Ministro do Esporte? Foto: Reprodução/WhatsApp

Verdade ou mentira?

No dia 31 de outubro de 2018, o presidente eleito Jair Bolsonaro deixou claro através do seu perfil no Twitter que todos os nomes dos ministros nomeados por ele serão anunciados através dele mesmo e que tudo o que for noticiado a respeito (e que não estiver nas suas redes) é especulação “maldosa e sem credibilidade”:


Aliás, semanas antes, Jair Bolsonaro afirma no seu perfil do Twitter que desautoriza que se publiquem notícias a respeito das suas decisões por qualquer grupo chamado “equipe de Bolsonaro”. Com isso, o presidente eleito deixa claro que todos anúncios deverão partir dele:



Procuramos nas declarações de Jair Bolsonaro a respeito da nomeação do “dono do helicóptero de cocaína” para o Ministério do Esporte nas publicações do presidente eleito e não encontramos nada.

[Aparecido rasga o verbo] Como ilhas constrangidas nossos jovens entre estelas de granito

Aparecido Raimundo de Souza

SENHORAS E SENHORES, ATENTEM PARA UM FATO IMPORTANTÍSSIMO. Não só aqui no Brasil, no mundo inteiro, os gritos de rebeldias e os berros de clamores em vozes uníssonas, que frequentemente os nossos jovens lançam, aos quatro cantos do planeta, sem mais delongas, necessitam de respostas imediatas. E rápidas senão rasteiras. Aliás, exigem mais. Esperam de todos nós, animosidades de força e poder, “palavras de ordem”, de impavidez, que os coloquem além e acima da réproba dos incautos, que os enxertem nos caminhos da realidade e lhes mostrem que não encontrarão soluções plausíveis para as questões individuais e sociais, enquanto os homens não começarem por conhecerem (e se conhecerem) melhor a si mesmos, bem ainda, se cientificarem das prerrogativas que lhes deparam as ativações conscientes de seus mecanismos psicoespirituais. Em face disto, todos se rebelam frente aos sistemas pedagógicos ensaiados e totalmente sem êxitos.

Reclamam mesmo pé que arma o contragolpe, de pronto, de imediato e de certa forma, numa urgência quase surreal, de uma preparação integral para a vida, e sabemos, esses meninos e meninas têm direitos a ela.  Claro que sim, isto é fato incontestável. Diante deste quadro de linhas babélicas, devemos concluir que os “vazios e as lacunas” das inexperiências, imprescindivelmente carecem ser supridas com o conhecimento de fatores básicos que desenvolvam um critério lógico e axiomático, usque sério, óbvio, coerente e prático, que ao mesmo tempo lhes permitam resolver concisa e condignamente, os entraves e entreveros diários, e ainda, lhes facultem formar, com o mínimo de lucidez e acerto, um destino verdadeiramente promissor e palpavelmente venturoso.

Entendam de uma vez por todas esta questão, caros amigos e leitores. As gerações que aí estão e a cada dia vemos sair à luta, às tapas e pescoções, por suas aspirações e quimeras, esperam encontrar, no agora e no amanhã, a base sólida para as suas reivindicações mais prementes.  Imprescindem, necessitam como do ar que respiram (por conta deste chão cheio de corcovas, de um esteio, de uma mão firme), de um situado confioso de uma bússola norteadora, que as guiem, encarrilhadamente pelas vias de acesso da superação individual. Tais mecanismos as impulsionarão a olharem, via de regra (nada a ver com aqueles dias menstruais da mulher), para o futuro, eis que levam, no sangue, no DNA, nas digitais, o mandado da constante Renovação, incumbência que não só atingirá o progresso material, como também o espiritual, baluarte digno e prúvio dos fortes e sadios, que insatisfeitos por viverem em um mundo convulsionado por interesses mesquinhos e subalternos, pelejam de unhas e dentes, por uma vida melhor, menos mau e degradante.

O tempo

Nelson Teixeira

O tempo passa, afasta algumas pessoas, e conhecemos outras.
O tempo é o senhor de algumas respostas.

Mas o tempo também é enganador, afinal a vida é agora!

O tempo também estraga, pois quando chegar o tempo em que você achar que já sabe tudo…

Considere-se uma pessoa infeliz… pois nessa vida somos, e sempre seremos, eternos aprendizes…

O tempo é o melhor remédio para esclarecer tudo nesta vida.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 20-11-2018

Dear Dems: It's Not ‘Racism’, It's YOU!


Here's the Deal, 19-11-2018

Charada (670)

O Sebastião perdeu-se nos labirínticos
corredores de um castelo. De súbito, viu
cinco portas bem alinhadas e percebeu
que só uma delas daria acesso ao exterior.
Analisando as seguintes premissas,
ajude o Sebastião, indicando-lhe a porta
que irá libertá-lo do labirinto.



a. A porta azul está a duas posições da porta da liberdade;
b. A porta vermelha está na extrema direita, e fica a duas posições da porta azul;
c. A porta violeta não está ao lado da porta para a liberdade;
d. A porta verde está à esquerda da porta azul;
e. A porta laranja não está ao lado das portas vermelha ou azul.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Baile de máscaras

João Pereira Coutinho

Perante estas duas versões, um ingénuo perguntará onde mora a verdade. A questão não faz sentido porque Costa foi verdadeiro em 2010 e em 2018. Seguindo Marx (Groucho, não Karl), os princípios de Costa dependem da audiência em questão

O BLOCO DE ESQUERDA faz lembrar aqueles matarruanos que, aos domingos de manhã, vestem a roupa de ir à missa. Usam casaco, camisa e até gravata. Mas as roupas estão fora do figurino. São demasiado grandes – ou demasiado pequenas. Em rigor, não são eles que as vestem; são as roupas que os vestem a eles.

Na última convenção, a roupa domingueira esteve na farsa da "maturidade".

Segundo se ouviu (e escreveu), o Bloco deixou a adolescência para trás, apesar da vontade explícita de nacionalizar tudo o que mexe no País. Agora, quer ser governo – ou, para sermos rigorosos, distribuir pastas pelos seus ministeriáveis. Mariana Mortágua nas Finanças, a irmã Joana na Educação, Jorge Costa na Energia e José Soeiro no Trabalho, disse Pedro Filipe Soares ao Observador.

Esqueceu -se de Ricardo Robles, o que me parece uma lástima: de toda a galeria, ele é o único que até hoje mostrou um real talento para alguma coisa.

Claro que, além dos ministros, Pedro Filipe Soares deixou-nos um pensamento que revela a verdadeira natureza do Bloco. "Não falamos da direita porque ela não conta para o futuro do País." Jair Bolsonaro não diria melhor sobre a "petralhada" que gostaria de fuzilar – ou, com imensa tolerância, exportar para a Venezuela.


Pedro Filipe Soares, que obviamente não é fascista, prefere rebaixar metade da população portuguesa, na impossibilidade de a enfiar nos acampamentos do Bloco para efeitos de reeducação política.

Pessoalmente, prefiro este ódio viscoso e sincero ao baile de máscaras que o Bloco encenou para alegria dos crentes.

[Daqui e Dali] Também há santos nas igrejas evangélicas!


Humberto Pinho da Silva

Se pensam que nas Igrejas Evangélicas – e até nas seitas, – não há santos, estão redondamente enganados.

Claro, que não aparecem nos altares, nem são canonizados, mas que são santos, ah! isso são!

Havia – já lá vão muitos anos, – na 1ª República, em Vila Nova de Gaia (Portugal), um homem bom. Homem rico, que por muito amar os pobres ficou pobre, por amar muito a Deus.

Era pastor anglicano. Sabia ser justo viver do altar, mas preferiu ser o altar a viver do seu trabalho e da sua grande fortuna.

Seu nome era Diogo Cassels, mas o povo, os operários, os carenciados, por muito lhe quererem, chamavam-lhe, carinhosamente de o senhor Dioguinho.

Dioguinho, junto com as tarefas pastorais, mantinha escola – para educar os meninos cristãmente – e a “ Sopa dos Pobres” – para alimentar os que tinham fome.

Portugal, naquele tempo, estava atulhado em terríveis dívidas. Havia desemprego generalizado, e os que trabalhavam mal granjeavam para o sustento dos filhos.

Como cristão, como sacerdote temente a Deus, sentia a obrigação de cuidar, de zelar, de amenizar, o sofrimento dos operários; e pobreza envergonhada – que sempre atinge a classe média, em anos de crise.

Todos os meses, o bom homem, ia de porta em porta, pelas casas inglesas – o senhor Dioguinho era britânico, – e pedia… tornava a pedir… rogava, suplicando, contributo para a “Sopa dos Pobres”; porque, o que possuía, da sua grande fortuna, já não bastava para acudir a tanta necessidade.

Ministério do Trabalho, tchau!


Servidores do Ministério do Trabalho enviaram à equipe de Bolsonaro um documento (link para assinantes) prometendo uma limpeza moral no órgão. Pode ser tarde.
Crusoé, 19-11-2018

Amigos

Nelson Teixeira

Amigos são flores… Amigos são poemas…

Como flores, devem ser cultivados com carinho e dedicação, para que as tempestades da vida não esfacelem suas pétalas e para que possamos ter seu perfume em todas as estações.

Como poemas, devem ser sentidos nas fibras mais sutis da alma, com respeito e gratidão, para que sejam a melodia risonha a embalar nossas horas em todos os períodos do ano.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 19-11-2018

Charada (669)


Mónica tem dois limões
e meio, Rosa tem cinco
e Eduardo tem seis e meio.
Se Eduardo der um limão
e meio à Mónica, e Rosa der
dois limões ao Eduardo,
com quantos limões
ficará cada um?

Já se respira um novo tempo no Brasil!

Nos dias de 25 de outubro a 2 de novembro de 2018, em torno do inesquecível 28 de outubro de 2018, conversei com algumas pessoas no Rio de Janeiro sobre o segundo turno da eleição presidencial: funcionário público da Fundação Oswaldo Cruz, professora de inglês, estudante de Engenharia Civil, motoristas da Uber e antigos vizinhos do condomínio onde morei por 25 anos. Todos entusiasmados e esperançados num novo Brasil. Com perfeita noção do que querem para eles e para o Brasil: ordem e progresso.


Jornais, revistas, telejornais, “cientistas sociais” e centenas de “especialistas” não lhes fazem a cabeça. Surpreendente!

Aliás, e aqui é a minha avaliação, ficou escancarado o divórcio entre a oligarquia acima citada e a população. Os primeiros, teimando em desinformar, manipular e propagandear, e a população teimando em trabalhar e querendo paz para andar por aí, sem lenço nem documento. Querendo uma boa escola para os seus filhos e netos, um bom posto de saúde, civismo nos transportes públicos e no trânsito. Querendo extirpar, para sempre, a malandragem, o jeitinho, a lei de Gerson, as ‘cervejinhas’...

Querendo, sim, que o bandido vá para a cadeia ou para o cemitério. Apoiam sim, o governador eleito do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que declarou não querer tergiversar com a bandidagem. E o aplaudiram quando ele respondeu a uma ‘jornalista’ da Globo que “preferia ver o policial no tribunal do que no (seu) funeral.”

domingo, 18 de novembro de 2018

UEFA confirma final four em Portugal: Eis as datas e os estádios

Fase final da Ligas Nações acontece em junho.

Estádio do Dragão, foto: Reuters

Após o empate de Portugal em Itália (0-0), a UEFA confirmou que a realização da final four da competição será em território luso, isto porque a seleção nacional assegurou primeiro lugar no Grupo 3 da Liga A.

Portugal é, para já, a única classificada para uma final a quatro e fica assim à espera dos vencedores dos outros três grupos da Liga A.

Os estádios que vão receber os jogos são o Estádio do Dragão, no Porto, e o Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

As meias-finais realizam-se na quarta e quinta-feira, dias 5 e 6 de junho, enquanto o jogo de atribuição do terceiro lugar e a final, a coroar o primeiro vencedor da UEFA Nations League, estão agendados para domingo, 9 de junho.

Apesar da confirmação, a UEFA sublinha que a oficialização está sujeita a "nomeação formal feita por parte do Comité Executivo da UEFA na sua reunião em Dublin, na segunda-feira, 3 de dezembro. O sorteio da fase final também acontecerá naquele dia."

[Pernoitar, comer e beber fora] Buffet do Leão

Fomos, o casal LT/CF e eu, ao Buffet do Leão, para jantar.


O restaurante, próximo à Praça Dom Pedro IV e à Estação do Rossio, funciona no esquema self-service: há um buffet de saladas, sopas, pratos quentes e os grelhados. Os preços: 7,90 euros no almoço; 8,90 euros no jantar, nos fins de semana e feriados.

Well, o local é meio apertado, mas lá entramos, fomos sentados e encomendamos as bebidas.

Quem será o personagem assinalado?
O buffet frio:


[Foco no fosso] UMA fórmula gera diversas tragédias

Haroldo P. Barboza

O lamentável acidente da queda de base do viaduto da rodovia Marginal Pinheiros (SP – 2018), nada mais retrata do que o “acordo” das autoridades (?) com as entidades (que patrocinam suas campanhas eleitorais) que manipulam as vidas das populações em todos os estados deste país. Obras que foram erguidas antes de 1970 (e as recentes também) fora das especificações, sem a manutenção adequada (devido aos impostos desviados), pressa da inauguração antes das eleições e sem as fiscalizações rígidas, hoje se tornam armadilhas letais contra a população que transita e habita dentro destas áreas.

Dentro deste rastro seguem-se as pequenas empresas que são abertas antes das demoradas autorizações e acabam funcionando de forma inadequada, sem segurança para seus funcionários, clientes e vizinhos em volta. Sabem que a fiscalização é falha e a Lei (?) é frouxa. Em caso de um evento sinistro, fecham a dita cuja, criam uma nova razão social e abrem um negócio similar em outro bairro ou Estado.

Foto: Mister Shadow/ASI/Estadão Conteúdo
Além disto, o apoio às famílias prejudicadas é apenas peça de manchete de jornais, pois a ajuda é 80% menor do que o anunciado e demora anos para chegar a este ponto aquém. Bem diferente do que acontece quando o acidente ocorre com aviões e equipamentos que atingem a classe rica. Aí o suporte é rápido e de boa qualidade.  

Podemos recordar fatos trágicos sem ordem cronológica que ceifaram dezenas de vidas pelo descaso dos responsáveis, pela falta de fiscalização adequada e pela ausência de penalidades exemplares.

[Versos de través] Anulação do voto

Almir Papalardo

Ilustração: Pacote













Lamentável e decepcionante,
O eleitor que o voto anula.
Furando votação determinante
Descumpre o dever, dissimula.

Não acredita nas eleições.
Não colabora nas decisões.
Aceita tudo, ganhe quem ganhar.
Não interessa quem vai governar!

Assim, qualquer um pra presidente serve,
Seja Fulano ou Cicrano, não se incomoda.
Quem rouba que a sua mamata conserve!

Acomodado, indiferente, foge da raia,
Prefere mergulhar nas águas da praia.
Eis o eleitor que o voto não preza, vaia!
Título e Texto: Almir Papalardo, 18-11-2018

Anteriores:
Sobre o crime cometido

Sabe por quê?

Nelson Teixeira

Sabe por quê?
Sabe por que o silêncio machuca? Porque ele esconde palavras que gostaríamos que fossem ditas.

Sabe por que a traição dói tanto? Porque nunca vem dos inimigos e sim das pessoas que mais amamos na vida.

Sabe por que não existe um meio de voltar no tempo? Porque se existisse nunca aprenderíamos a seguir em frente!
Pense e reflita sobre tudo isto!!
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 18-11-2018

[Pensando alto] Marxismo para principiantes, o voto com os pés e o maluco beleza

Pedro Frederico Caldas

Loucura é ficar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.
Einstein

Ufa! Quantos gatos no mesmo balaio!

Na verdade Einstein atribuiu essa frase a Rita Mae Brown, mas ficou consagrada como dele.

Você já leu O Capital, A Ideologia Alemã, O 18 Brumário de Luís Bonaparte, A Miséria da Filosofia, dentre a prolífica obra de Marx? Não leu?, fez muito bem. É sinal de que você estava cuidando de sua vida, ajudando a si próprio e aos outros. Lendo-os e ouvindo quem os leu, ou quem nunca os leu, mas vive citando-os, poderia ter caído na tentação e ter levado anos e anos aperreando a paciência alheia ou brincando de reordenar o mundo, como um demiurgo enlouquecido. Li-os. Ganhei e perdi lendo-os. Ainda bem que tomei antídotos, enquanto havia tempo, e tenho passado os últimos quinze anos aprofundando, cada vez mais, a leitura de inspirados pensadores, homens de grande suposição.

Marx, como todos sabem, criou o chamado socialismo científico. Antes dele, pensava, havia um socialismo sem pé nem cabeça, um amontoado de boas intenções. Ele teria descoberto o segredo da história e como levar a classe operária ao paraíso. O homem não era pouca coisa, nem padecia de modéstia. A chave de tudo estava em destruir a propriedade privada e libertar a classe operária de um pensamento que não era dela, era-lhe impingido pensar errado e alienadamente por uma superestrutura erigida pela classe dominante. Neste ponto, em contradição insuperável com a sua própria teoria, ele conseguia pensar diferentemente do que pensaria se a sua tese estivesse certa.

Já olharam com atenção para um retrato de Marx? Não parece um bicho grilo, ou um maluco beleza?

Pode até não ser um sem-terra, mas, com certeza, é um sem-barbeiro. Deixemos sua aparência em troca do que realmente interessa, o que ele pensava. Só pensava coisa boa. Querem ver? Mãos à obra.

Os operários, um dia, tomariam o poder, imporiam uma ditadura (Ditadura do Proletariado), aboliriam a propriedade privada, passando todos os bens (fábricas, comércio, bancos, agricultura, subsolo, meios de comunicação etc.) para o Estado. Daí em diante, desaparecido o egoísmo, todos trabalhariam magnanimamente para todos, cada um dando o máximo de sua capacidade, por mais capaz que fosse, não para o proveito pessoal, mas em prol do interesse coletivo. Claro que a coisa não seria tão fácil. Essa marcha, essa etapa da História não se daria sem, digamos assim, alguns, por assim dizer, pequenos incômodos: milhões e milhões seriam mortos ou iriam para campos de trabalho forçado, como efetivamente veio a acontecer; as crianças sairiam da guarda e da autoridade dos pais para a guarda fria, mas correta do Estado; só haveria um partido, um pensamento político e uma vanguarda revolucionária de homens altamente imbuídos de sua missão histórica; o coletivismo superaria o individualismo, todos dissolvidos no amálgama que transformaria o homem até então existente num novo homem, livre e redivivo, talvez a maior obra, a arte final do socialismo. Como proclamaria outro socialista, Mussolini, na vertente fascista do espectro, “Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado”.

QUIZ: Jugoslávia

Os anseios independentistas de duas repúblicas jugoslavas desencadearam em 1991 uma guerra civil que conduziria ao desmembramento da antiga Jugoslávia. De que repúblicas falamos?


A – Croácia e Eslovênia
B – Eslovênia e Bósnia
C – Croácia e Bósnia-Herzogovina
D – Eslovênia e Sérvia

Charada (668)

Ilustração: Nelson Paciencia
Recentemente,
fui a Alcobaça.
Sabendo que hoje
é terça-feira
e que voltei
três dias antes
do dia depois
do dia de antes
de amanhã,
em que dia voltei?

sábado, 17 de novembro de 2018

[Coluna do Almir] Um passaporte brasileiro para a corrupção

Almir Papalardo

Foro Privilegiado:
Foro privilegiado é o direito que é dado a algumas autoridades que ocupam cargos públicos. Esse direito é em relação ao julgamento de processos criminais.

Imunidade Parlamentar:
É o conjunto de garantias dado aos parlamentares (membros do Poder Legislativo), para que possam exercer as suas funções sem violações ou abusos por parte do Poder Executivo e Judiciário.

Ora, sabemos que tais ditames foram criados na boa-fé, baseados nas razões que um parlamentar necessita para desempenhar corretamente as suas funções e cumprir todas as promessas feitas na ocupação do novo cargo. Entretanto, esta lógica determinação se tornou uma pedra de tropeço na nossa governabilidade, tal o número alarmante de parlamentares que ocupam e tumultuam o nosso parlamento, abusando destas prerrogativas!

Não compreendemos como tais políticos sem terem um currículo minimamente condizente para ocuparem cargos de suma importância, que direcionam os destinos do país, foram integrados na política, inchando o quesito Quantidade, comprometendo os benefícios que o outro quesito a Qualidade, poderia oferecer ao Brasil.

[Versos de través] Os vencidos

Antero de Quental


Tres cavaleiros seguem lentamente
Por uma estrada erma e pedregosa.
Geme o vento na selva rumorosa,
Cae a noite do céo, pesadamente.

Vacilam-lhes nas mãos as armas rotas,
Têm os corceis poentos e abatidos,
Em desalinho trazem os vestidos,
Das feridas lhe cae o sangue, em gotas.

A derrota, traiçoeira e pavorosa,
As fontes lhes curvou, com mão potente.
No horisonte escuro do poente
Destaca-se uma mancha sanguinosa.

E o primeiro dos três, erguendo os braços,
Diz n'um soluço: «Amei e fui amado!
Levou-me uma visão, arrebatado,
Como em carro de luz, pelos espaços!

“Mais médicos”: contrato escravagista

Marcos Machado

Médicos cubanos sendo transportados por avião russo
O comunicado divulgado no dia 14 último, no qual o Ministério da Saúde Pública de Cuba classifica de “depreciativas” as palavras de Jair Bolsonaro sobre os médicos cubanos, passa recibo às considerações e condições estabelecidas pelo Presidente eleito.

Com efeito, Bolsonaro colocou apenas três condições — aliás, do mais elementar bom senso — à continuação de médicos cubanos no programa “Mais médicos”:
1ª) salário integral, e não apenas 30% do que atualmente recebem, libertando-os assim do trabalho escravo, pois 70% de seus salários são tomados pelo regime comunista;

2ª) permissão de Cuba para que os pais tragam suas famílias para o Brasil;

3ª) submeterem-se ao Revalida (o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira).

O que afirma a nota do comunicado cubano?

Que as palavras de Bolsonaro são “depreciativas” em relação aos médicos cubanos;
Que são “inaceitáveis” e “descumprem as garantias acordadas desde o início do programa”.
“Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença dos profissionais cubanos no Programa”.
Note-se que Cuba não contestou nenhuma afirmação de Bolsonaro. Quem cala, consente.

Cuba passou recibo e confirmou as palavras de Bolsonaro

No entanto, seria tão simples para Cuba autorizar os filhos a viajar com seus pais, dar a estes o salário integral a que têm direito, e permitir que seus profissionais sejam submetidos ao Revalida.

Ou será que Cuba tem outras razões e não quer aguardar o novo governo tomar posse?

Bolsonaro já declarou que seu governo está disposto a conceder asilo aos cubanos que não queiram retornar à ilha-prisão da família Castro.

Tampouco se entende por que a nota de Cuba, ao invés de ser dirigida ao governo brasileiro, foi comunicada à diretoria da Organização Panamericana de Saúde e aos líderes brasileiros que fundaram e defenderam essa iniciativa. Quem são esses líderes?

Conselho Nacional de Segurança dos EUA, direto da Casa Branca


“Elogiamos o presidente eleito do Brasil, @JairBolsonaro, por tomar uma posição contra o regime cubano por violar os direitos humanos de seu povo, incluindo médicos enviados para o exterior em condições desumanas”.

A vaidade

Nelson Teixeira

Muitos são os pecados capitais que carregamos conosco no linear da nossa evolução, e um deles é a vaidade, que nos põe como donos da verdade e da sabedoria.

Nossa vaidade nos faz presunçosos e orgulhosos, pois nos caracteriza como um ser prepotente e arrogante.

A vaidade não nos deixa crescer, nem nos tornarmos melhores, visto que nos indica como sendo superiores aos demais.

Ser vaidoso nos conduz a uma falsa situação de superioridade acima dos outros com os quais convivemos.
A vaidade faz com que nos tornemos frios e insensíveis aos problemas do mundo.

A vaidade é um obstáculo poderoso para a felicidade, e a humildade nos conduz a situações melhores.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 17-11-2018

QUIZ: Eleições na Checoslováquia

As eleições na Polônia, Hungria e Checoslováquia em 1990 ratificaram a ruptura destes países com o passado. Quem obteve a vitória na Checoslováquia?

A – Lech Walesa
B – Václav Havel
C – Ion Iliescu
D – Jószef Antall

Charada (667)

Qual dos
seguintes
frutos
destoa,
logicamente,
deste grupo?

Anona, Ameixa,
Amora, Abóbora,
Abacate.