sábado, 23 de novembro de 2019

[Aparecido rasga o verbo] Gugu e as suas outras mil faces ficarão dentro de nós, inesquecíveis

Aparecido Raimundo de Souza

A nossa coluna “RASGANDO O VERBO”, mais uma vez, volta a público, em edição “EXTRAORDINÁRIA”, desta feita, para informar a toda a família “Cão que Fuma”, o falecimento do apresentador de televisão e empresário paulista  ANTONIO AUGUSTO MORAES LIBERATO, ou, simplesmente, AUGUSTO LIBERATO, nascido aqui em São Paulo, aos 10 de abril de 1959. 

 Foto:Fábio Guinalz/Fotoarena/Agência O Globo
Augusto Liberato tinha sessenta anos, morava com a esposa, a médica Rose Miriam di Matteo e os três filhos do casal, João Augusto Liberato, de dezoito e das gêmeas Marina Liberato e Sofia Liberato (ambas com quinze anos) em sua mansão num condomínio de luxo, numa localidade conhecida como Celebration, em Orlando, na Flórida.


Em vista de um acidente doméstico (o apresentador caiu do telhado de sua casa quando tentava acertar a fiação externa de um aparelho de ar condicionado) se precipitando de uma altura de quatro metros, batendo a cabeça na quina de um móvel.  Socorrido imediatamente, para o Hospital próximo a sua casa, em Orlando, ou, mais precisamente, para o Health Hospital, Augusto Liberato sofreu politraumatismo, o que o levou a óbito, por morte cerebral.

Ex-estudante de odontologia, em Marília, interior de São Paulo, Gugu não chegou a se formar. Seguiu outros caminhos, embrenhando-se em programas de televisão. Estreou em 1981 com o programa “Sessão Premiada”.

Em 1982, ficou à frente do “Viva a Noite”. De 1988 a 1989, comandou o “Cidade contra Cidade”, “Passa ou Repassa” e “Roletrando”.

De 1989 a 1993, fez incursões em “TV Animal”, mas se destacou, no mesmo ano, com a “Corrida Maluca”.

Em 1993, colocou, no ar, o “Domingo Legal” e de 2009 a 2013, ancorou com sucesso tremendo o “Programa do Gugu”. 

Como ator, Gugu Liberato não deixou por menos. Estreou em 1984 no filme “Padre Pedro e a Revolta das Crianças”, na pele do personagem Padre Sebastião. Em 1987, viveu o Delegado Augusto, em “Os Fantasmas Trapalhões”.

Depois, vieram os longas “O Casamento dos Trapalhões”, em 1988, “Uma Escola Atrapalhada”, em 1990, culminando com “O Noviço Rebelde”, em 1997, e fechando com “Xuxa e os Duendes”, em 2001. 
    
Seus últimos trabalhos em televisão, aconteceram na Rede Record, o primeiro à frente do comando da nova temporada do “Power Couple Brasil”, exibido de segunda a sexta-feira, às 22h30, logo após o “Jornal da Record”.

Em 18 de julho do mesmo ano, estreou o segundo comando, desta feita, o “Talent show Canta comigo”, exibido às quartas feiras, também no horário das 22h30.  

O corpo do apresentador será transladado para São Paulo. Os funerais ocorrerão no cemitério do Morumbi, o mesmo onde seu pai, Augusto Claudino Liberato, está sepultado desde 2009.

Nossas sinceras condolências a todos os amigos e fãs do artista, especialmente à sua esposa, Rose Miriam, e os filhos, João Augusto, Marina e Sofia, e com carinho especial à dona Maria do Céu, mãe de Gugu. 
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza (da casa de Gugu Liberato, em Aldeia da Serra, Barueri), São Paulo. 22-11-2019

Colunas anteriores:

2 comentários:

  1. Minhas condolências aus familiares uma grade personalidade da tv brasileira infelizmente o ocorrido deixa más uma familia e amigos com o coração partido em perder um grande profissional como senhor Gugu Liberato o Brasil chora pela grande perda que o coração de cada um seja refrigerado pôr Deus nesta ora meus sentimentos a todos .ass.Erivaldo

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-