segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Para o Partido Comunista Português...

Sábado 
… o mundo é muito simples: de um lado estão os bons – os regimes políticos que foram apoiados pela antiga União Soviética; do outro lado estão os maus – aqueles que combatem esses regimes. O problema é que entre os regimes políticos apoiados pela antiga União Soviética estão gloriosos exemplos humanitários como a Coreia do Norte, a China ou a Síria. Num texto publicado no Avante! da semana passada, o PCP retrata a guerra na Síria como o conflito entre os “terroristas” e as “forças regulares da Síria”. Explica que o exército de Assad está a “libertar os bairros ocupados” pelos “terroristas” e “as forças regulares sírias”. Explica que o exército de Assad está a ”libertar os bairros ocupados” pelos “terroristas” e que as “chacinas de civis por parte das forças leais ao Presidente”, que têm sido noticiadas em todo o mundo, são encenadas.
Mas entre o mundo do PCP e a realidade surgem vários obstáculos e alguns relatórios de entidades independentes. Por exemplo, sobre os “terroristas”, a Human Rights Watch documentou, em janeiro deste ano, que se tratava de “pessoas desarmadas que não representavam qualquer ameaça letal” e, das poucas vezes que esses “terroristas” recorriam à força, estavam apenas a responder a ataques das tropas e da polícia política sírias.
Sobre as “encenações” relatadas no mundo do PCP, um relatório recente da Onu diz que o exército sírio prendeu nos últimos meses milhares de crianças a partir dos 9 anos, que foram depois “espancadas”, “vendadas”, “chicoteadas com cabos elétricos” e, num caso seguramente encenado também, “submetidas a choques elétricos nas partes genitais”.
É claro que no mundo do Partido Comunista Português nada disto interessa: lá não há organizações humanitárias independentes.
Editorial da revista Sábado, nº 432, de 09 a 15 de agosto de 2012.
Digitação: JP

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-