quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

[Para que servem as borboletas?] Os olhares do mundo voltados para os Estados Unidos…

Valdemar Habitzreuter

A posse de Trump e o início de seu governo terão a atenção de todo o planeta. Não há precedente na história dos Estados Unidos de um presidente eleito com tanta controvérsia em torno de sua personalidade; há um ceticismo quanto a um bom desempenho na presidência e o temor de representar a grande Besta sublevando a ordem mundial.  

Ao que parece, Trump está ainda atônito de ter vencido as eleições, pois nem mesmo ele acreditava em sua vitória, pelas discrepâncias, insultos à candidata adversária e misoginia que se revestiu sua campanha. Entrou na corrida presidencial única e exclusivamente para desafiar o ‘politicamente correto’ e testou o establishment americano da tranquilidade democrática. O próprio partido republicano não conseguiu que moderasse seu discurso feroz, acusador e beligerante, e teve que engolir sua candidatura vencedora.  

Trump jogou com a sorte ante a provável eleição de Hillary. Para isso armou um discurso populista e descobriu um veio pulsante de antirracismo, anti-imigração e xenofobismo de grande parcela da sociedade norte-americana. Assim, venceu as eleições por maioria de delegados, embora a votação por voto popular tenha favorecido a Hilary.  

Agora vem a questão: o que esperar do homem mais poderoso do mundo? Saberá exercer o poder para promover a paz mundial ou será o pivô de revoltas ante suas ameaças de retaliar nações com a única justificativa de estarem ‘sugando’ a economia norte-americana? Terá competência, por outro lado, para combater o terrorismo sem sacrificar inocentes, pois seu ódio se estende a toda uma religião – islamismo - que mais cresce no mundo onde a maioria de seus adeptos é de paz?  

E o que dizer da própria sociedade norte-americana que se dividiu em pró e contra Trump merecer ocupar a Casa Branca? Os ‘trumpistas’ não querem nem saber, são trompistas querendo abafar as vozes discordantes das ameaças de Trump com ‘muros’ e deportações. No ar sons de trompas e trombetas anunciando uma moderna guerra de secessão?  

Trump é uma incógnita. Só o tempo vai nos revelar a eficácia ou não de suas propostas políticas mirabolantes. Aos primeiros dias de governo já teremos algum vislumbre direcional da ordem mundial por conta de seu veemente discurso eminentemente nacionalista e isolacionista sustentado durante a campanha eleitoral... vamos ver no que vai dar; as borboletas terão que borboletear num novo pedaço, se em jardim colorido ou em espinheiral... não se sabe. 
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 18-1-2017

Anteriores:

Um comentário:

  1. É mais um aproveitador de ocasião, que sempre foi, agora revestido de um verniz populista. Apostou no cinturão da ferrugem, assim como o doidivanas de Garanhuns apostou no cinturão da miséria no Nordeste.
    O do sul já foi e vai ter os castigo que merece.
    O do norte terá dois caminhos e será forçado a percorrer um deles.
    Os dois são lixo da história, sendo que um sempre foi rico e o outro sempre foi miserável.
    Não vai demorar muito para sabermos os destinos de ambos.
    José Manuel

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-