segunda-feira, 1 de junho de 2020

O truque para tentar calar a opinião pública livre

De acordo com o colunista de Oeste Guilherme Fiúza, o Supremo Tribunal Federal está brincando de ditadura

Cristyan Costa 

STF gastará R$ 10 milhões com segurança. Foto: Dorivan Marino – STF
Esse tipo de brincadeira não dá para brincar sozinho. A Suprema Corte só tem coragem de mandar invadir a casa dos outros para confiscar o direito de opinião porque tem a cobertura dos democratas de auditório. Portanto, aqueles que não aceitaram o resultado das eleições e brigam pelo eterno terceiro turno. Sendo assim, eles criaram a novelinha do ‘Gabinete do Ódio’ para poder amordaçar geral fingindo defender a liberdade.

Logo, a suposta caçada às fake news — que embasa os recentes atos brutais do STF — é o truque para tentar calar a opinião pública livre. Não é difícil de ver. Antes mesmo da eleição de 2018, a armadilha já estava montada. Então na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Luiz Fux declarou que a comprovação de fake news na campanha presidencial poderia levar à anulação da eleição.

São esses os argumentos que o jornalista Guilherme Fiúza utiliza em seu artigo publicado na mais recente edição de Oeste, para justificar o que as atitudes dos ministros confirmam: estão tentando minar a liberdade.
Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 1-6-2020, 7h30

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-