terça-feira, 30 de setembro de 2014

[AERUS] Obrigado, Judiciário!

A paulada foi desferida em 12 de abril de 2006. Há quase NOVE anos!
Desde então, muito se lutou e muitos lutaram, sós ou acompanhados.

Políticos, houve de todos os feitios e intenções. A maioria, se não a esmagadora, puros viajantes na onda da angústia alheia. Dentro dessa maioria, muitos tinham propósitos eleitorais. Eleição passada, luta abandonada. Outros tantos, têm ideologias políticas ultrapassadas, tipo “Yankees, go home!”. Uns e outros foram levados às manifestações de ex-trabalhadores da Varig, até à confraternização anual dos comissários aposentados da Varig – que era de comissários aposentados. Eu estive lá e vi-os.

(Agora, pelo que percebo, a organização optou, de vez, pelo “politicamente correto”, quer dizer, ‘todos’ podem participar dessa “confraternização” que, sempre e ainda hoje, avizinha o dia 31 de maio, Dia do Comissário de Voo.)  

Este que vos escreve sempre foi e é ferrenho defensor de manifestações de rua, com um, dez, trinta ou trezentos.

Acredito na conversa e no contato político. Desde que tenhamos, atrás, do lado, ou no hall do edifício onde estamos “contatando”, dezenas de representados. É a mesmíssima coisa que acontece por ocasião das negociações entre sindicatos, de empregados e patronais. Por isso as assembleias gerais que, quando lotadas, além de sublinhar a legitimidade dos negociadores, reforçam a segurança pessoal e estimulam os mesmos.

E também por isso a esquerdalha serve-se deste princípio em causa própria, não tem nada de ideal: fretam ônibus, ‘ocupam’ dependências, inventam narrativas, como confinados, coitados, espoliados, guerreiros, etc… tudo a serviço deles, não de um ideal, não de uma causa. Embora façam parecer, com competência, que sim, estão ali pela “causa”…

Também acredito, mais ainda na força da opinião pública – que para nós é fundamental ter do nosso lado – e que pode influenciar na opinião publicada. 

E para isso, ela, a opinião pública, só vai saber de nós, quando, caminhando ou de dentro de um ônibus, avista um, dois, ou quatrocentos de nós, com um cartaz, uma faixa, uma folha A4…

Lutar (só) dentro de gabinetes é preguiça e refugo à rua, ao povo. Fazer dessa prática a única e, constante e recorrentemente, insinuar que caldo de galinha queimará os seus lábios e garganta se… você for para as ruas “atrapalhar”, é pérfido! Mas eu entendo, manifestações que não organizadas por eles são perigosas, pois podem mostrar que o rei está nu e sem nenhuma muda de roupa.
No entanto, se os representados são preguiçosos e envergonhados, sorverão, numa boa, essa perfídia. Que lhes cairá como canja para se justificarem.

Nossa! Me estendi no intróito. O que eu quero dizer (ou lembrar) é o seguinte:
As únicas vitórias dos ex-trabalhadores da Varig, Aposentados e Pensionistas Aerus, até ao dia de hoje, foram CONCEDIDAS pelo Judiciário!
Começou na Desembargadora Neusa Alves, continuou no juiz Jamil, passou pela ministra Cármen Lúcia e, muito recentemente, pelo Desembargador Daniel.

Então, agora, devemos pressionar, cobrar, exigir do Governo Federal do Brasil, do Partido dos Trabalhadores que está Governo Federal que cumpra – é o mínimo – as sentenças judiciais. É uma luta inglória pra cacete, eu sei, pois essa gente só cumpre o que lhe convêm e quando lhe convêm. Quando não, desatam a desqualificar e a insultar QUEM sentenciou.

Mas não esmoreçamos, não nos deixemos intimidar, vamos à luta! Ou melhor, continuemos a luta! Nós. Eu. Você. Sozinho ou só.

Temos exemplos: o da Dayse, quando da visita do Papa ao Rio, estava sozinha, foi entrevistada por uma jornalista do UOL Notícias; mais recentemente, o de Amaury Guedes, numa manif em São Paulo, teve a sua foto publicada, também no UOL.

Se estivermos com duzentos, maravilha! Se estivermos sozinhos, glorioso!

Se não estivermos preocupados com o partido, muito menos em “aparecer”, existem dezenas de maneiras e formas de protestar. Escolha a sua e MIRE o governo federal.

Aliás, ocorreu-me uma singela ideia: no próximo dia 5 de outubro, quando você for votar, vá com uma camiseta “Aerus”… Dependendo da fila, dezenas ou centenas de pessoas gravarão a ‘imagem’.

Abraços de agradecimento./- 
JP

Relacionado:
Camisetas que vesti...

3 comentários:

  1. Em 05 de outubro de 2014 temos que dar o troco a quem nos maltratou e continua a nos maltratar de maneira vil e cruel. Ex.trabalhadores da VARIG e da TRANSBRASIL é hora de darmos o troco.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Jim. Por tudo. Pela lucidez. Só tínhamos a Justiça. Exigir que seja cumprida é a nossa luta atual. Abs.

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-