segunda-feira, 29 de março de 2021

Governador de Sergipe estabelece o fim do direito de propriedade

Em decreto, Belivaldo Chagas determina a requisição de "bens móveis e imóveis privados e utilização temporária de propriedade particular"

Cristyan Costa

Na quinta-feira 25, o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD) [foto], prorrogou o estado de calamidade sob a justificativa de conter a covid-19. Entre outros pontos, o decreto estabelece uma peculiaridade. Além de restringir o direito de ir e vir, a partir de 4 de abril, o chefe do Executivo também poderá, nos 180 dias seguintes, “requisitar bens móveis e imóveis privados, serviços pessoais e utilização temporária de propriedade particular”. Em linhas gerais, durante seis meses, o direito de propriedade deixará de existir em Sergipe.

Foto: Divulgação/PSD

Ao comentar o caso, o jornalista Augusto Nunes, colunista da Revista Oeste, lembrou que “os farsantes já aboliram com alarmante frequência o direito de ir e vir”, escreveu. “Há quase um ano confiscaram o direito de trabalhar e o direito de estudar. Se revogarem o direito de propriedade, terão chegado à perfeição. Em 2020, os belivaldos nos proibiram de circular pelas ruas quando bem entendêssemos. Agora querem expulsar-nos de casa — se assim recomendar o combate à pandemia. Haja cinismo”.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 29-3-2021, 7h20

Um comentário:

  1. Arthur Weintraub
    @ArthurWeint
    Esquerdista é a favor da violência, desde que seja contra quem não é de esquerda.

    Esquerdista é a favor de golpe militar, desde que seja contra governo que não é de esquerda.

    Esquerdista é a favor da ditadura, desde que seja ditadura de esquerda.

    Esquerdista quer você preso!

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-