quarta-feira, 31 de agosto de 2016

31 de agosto de 2016, às 18h22, no Rio de Janeiro

Os cutistas petistas e bolivarianos estão discursando que a democracia sofreu um grande golpe!


Título, Imagem e Texto: Alberto José, 31-8-2016

31 de agosto de 2016

José Manuel
Há dez anos, (2006) sofremos na carne a tragédia do nosso sustento suprimido, tendo logo a seguir a nossa imensa história como cidadãos, roubada, vilipendiada, apagada, com o fechamento prematuro e irresponsável de uma empresa de ponta como a saudosa Varig.

Há uma identidade, um modus operandi, uma similaridade desconcertante nas atitudes desta quadrilha chefiada pelo processo hoje afastado e seu líder ainda solto, com os acontecimentos na Alemanha nazista em 1945.

O dia de hoje, 31 de agosto de 2016, está para nós da Varig e do Aerus como o dia 8 de maio de 1945.
Ambos significam a libertação.

Primeiro, o holocausto sofrido pelos judeus alemães e a perda da própria história e identidade de um povo tão valoroso. Igualmente, nós acreditamos sem saber, assim como os germânicos, em palavras ao vento saídas da boca de medíocres estelionatários e bandidos corroborados pela história, que quase levaram à devastação de um jovem país.

Segundo, a libertação do nosso próprio holocausto, com quase dois mil aposentados mortos, sem que nada pudéssemos fazer para reverter uma tragédia anunciada.

Como no julgamento de Nuremberg, hoje se encerra apenas um dos capítulos desta funesta história.

Devemos, após o término desta mancha negra em nossa história, oferecer a bala ao pseudo líder, mentor intelectual deste ocaso, semelhante à do seu exemplo nazista, para que num gesto de covardia sem querer enfrentar o futuro que se aproxima, assim como o alemão, faça jus aos seus crimes e também história.

O Brasil tem novo presidente. E Dilma ganhou novo cargo

Desde a redemocratização do Brasil – 15 de janeiro de 1985, o governador de Minas Gerais, Tancredo Neves, foi eleito Presidente da República pelo Colégio Eleitoral, com José Sarney como vice-presidente – é o terceiro vice-presidente que assume a presidência da República: José Sarney foi o primeiro, com a morte de Tancredo; Itamar Franco, com o impeachment de Collor de Mello; e hoje, 31 de agosto de 2016, Michel Temer, com a deposição de Dilma Rousseff.

Estou satisfeito com o afastamento de Dilma? Estou. Mas nada eufórico. A luta acaba de começar. Petistas, esquerdistas e outros istas tudo farão para encher o saco dos brasileiros de bem, e o Brasil que se lixe! Tudo farão, legal e ilegalmente, para avacalhar o cotidiano dos brasileiros. Dilma Rousseff deixou bem claro essa disposição na sua falação de ‘despedida’. (Veja no Facebook da senhora). Falação que só pode surpreender os ingênuos e os inocentes úteis.

A avacalhação é modus operandi e vivendi dessa malta.

Aliás, avacalhação tem sido a constante dos defensores da afastada. Tivemos um maravilhoso exemplo disso, hoje, no fatiamento do voto conseguido pela troupe com o deferimento de Lewandovski. Até o impichado Collor de Mello tentou, por duas vezes, alertar o presidente do STF (que presidia a sessão) do absurdo desse deferimento. Em vão.

Dilma perdeu o mandato de presidente da República do Brasil. E ganhou um cargo em um dos governos estaduais do PT. De onde continuará a aparecer e botar falação.

Tem muito mais para ser dito e escrito. A vez é sua, generoso leitor.

Pesquisas, propaganda eleitoral e voto. Começou a campanha na TV

Cesar Maia    
1. As pesquisas recentes reiteraram as pesquisas anteriores sobre os principais problemas sentidos pelo Carioca. Por exemplo, o Datafolha de 23/08. Os principais problemas indicados pelos eleitores são: Saúde/ hospitais/ postos de saúde: 46% / Segurança/ violência/ criminalidade: 25% / Educação/ escolas/ creches: 8%
    
2. Em função disso, observando as inserções e os programas eleitorais na TV neste início de campanha eleitoral verificamos que os candidatos a prefeito, basicamente, seguem essas questões destacadas nas pesquisas.
    
3. A exceção é Jandira Feghali, que traz, em seus programas, inserções, e até no primeiro debate, a eleição para o plano nacional. Enfatiza a questão do impeachment defendendo Dilma e Lula. Lula é o destaque defendendo a candidatura de Jandira. A pesquisa Datafolha mostrou que 14% dos eleitores votariam com certeza em candidato a prefeito indicado por Lula. Jandira agrega a Lula gratuidade para estudantes no transporte público para chegar na fronteira dos 15%, mesmo numa campanha de anticandidata.
   
4. É provável que essa eleição reproduza 1992 em que o segundo candidato passe para o segundo turno com até 16% (incluindo os brancos e nulos). Portanto, o objetivo de ficar no entorno dos 15% deve atrair todos os candidatos do segundo bloco (excluindo Crivella).
   
5. Pedro Paulo tem enfatizado a questão da saúde pública. Mais da metade das clínicas da família que cita já existiam como postos de saúde da família, postos de saúde e centros municipais de saúde e, portanto, a atratividade do que diz deve ser menor do que imagina. Mas o intrigante é porquê, depois de quase oito anos de governo, 46% da população destaca a saúde como o maior problema. Por que acreditaria agora em promessas nesse setor? Não vai esquecer das campanhas anteriores dos postos de saúde 24h e das UPAs.

Por 61 votos a 20, senadores decidiram pela cassação da presidente afastada Dilma Rousseff


A carta testamento de Getúlio Vargas

Vanderlei dos Santos Rocha
Pois,
Para polemizar de novo.
Creio que nem todos sabem que há duas cartas de Getúlio Vargas.
A manuscrita e a datilografada.
O pior é que as duas são diferentes.
Os petistas, como de hábito, leram em plenário, a carta datilografada.

Eis o texto manuscrito por Getúlio Vargas:

“Deixo à sanha dos meus inimigos, o legado da minha morte. Levo o pesar de não ter podido fazer, por este bom e generoso povo brasileiro e principalmente pelos mais necessitados, todo o bem que pretendia. A mentira, a calúnia, as mais torpes invencionices foram geradas pela malignidade de rancorosos e gratuitos inimigos numa publicidade dirigida, sistemática e escandalosa.

Acrescente-se a fraqueza de amigos que não defenderam nas posições que ocupavam à felonia de hipócritas e traidores a quem beneficiei com honras e mercês, à insensibilidade moral de sicários que entreguei à Justiça, contribuindo todos para criar um falso ambiente na opinião pública do país contra a minha pessoa.

Se a simples renúncia ao posto a que fui levado pelo sufrágio do povo me permitisse viver esquecido e tranqüilo no chão da pátria, de bom grado renunciaria.

Mas tal renúncia daria apenas ensejo para, com mais fúria, perseguirem-me e humilharem-me.
Querem destruir-me a qualquer preço. Tornei-me perigoso aos poderosos do dia e às castas privilegiadas.

Velho e cansado, preferi ir prestar contas ao Senhor, não dos crimes que não cometi, mas de poderosos interesses que contrariei, ora porque se opunham aos próprios interesses nacionais, ora porque exploravam, impiedosamente, aos pobres e aos humildes.

Só Deus sabe das minhas amarguras e sofrimentos.

Que o sangue dum inocente sirva para aplacar a ira dos fariseus.

Agradeço aos que de perto ou de longe me trouxeram o conforto de sua amizade.
A resposta do povo virá mais tarde...”

Eis o texto lido pelos petistas:

Consumatum est...

Valdemar Habitzreuter
O clamor das ruas: FORA DILMA! foi ouvido. A grande figura desse desfecho exitoso foi a heroína Janaína que canalizou esse clamor do povo em direção ao Congresso.


O golpe do PT, com suas falcatruas de se sustentar no poder, foi desmascarado e aniquilado no dia de hoje. É um dia histórico!

Dilma cai pelas mentiras que pregou ao longo de seu governo e foi sepultada politicamente. Que os Lindberghs, os Pains, as Gleisis, as Grazziotins et caterva chorem em sua sepultura. O país sente-se aliviado!

Agora faz-se necessário torcer para que o Meireles consiga tirar o país do atoleiro econômico e dar novamente aos milhares de brasileiros seus empregos perdidos.

Que Temer se recolha em sua insignificância, mancomunado que foi outrora com o PT, e deixe o Primeiro-Ministro Meireles trabalhar, quem sabe, um promissor candidato à presidência em 2018... 
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 31-8-2016

A história mostrará que houve crime e o processo teve cobertura do STF, diz Ana Amélia


Relacionados:

Por que os petistas odeiam tanto Janaína Paschoal?

Luciano Henrique
Se você acha que Janaína Paschoal [foto] era alvo de ódio dos petistas, não viu nada ainda. Ao menos até esta terça-feira (29), quando a advogada de acusação apresentou seu maravilhoso discurso desmascarando todas as fraudes implementadas pelo PT ao longo dos tempos. Algumas pessoas chegaram a afirmar que todas as 14 horas de lero lero de Dilma viraram pó diante da assertividade de Janaína em alguns minutos.


Mas por que o ódio petista aumentou tanto?

Antes vejamos como Janaína finalizou a presidente afastada: “Eu peço desculpas porque eu sei que, muito embora esse não fosse o meu objetivo, eu lhe causei sofrimento. E eu peço que ela [Dilma], um dia, entenda, que eu fiz isso pensando, também, nos netos dela”. Ao final, demonstrou emoção em um choro genuíno. Ela não somente atacou os petistas, como também falo ao coração.

Foi o suficiente para que os petistas sentissem uma dor terrível em suas almas. Era evidente que Janaína se tornou uma das poucas exceções no Brasil fora do espectro da extrema-esquerda: alguém capaz de encarar os petistas e demais totalitários nos termos da guerra política. Digamos que ela ainda não é uma titã do “jogo” como são Jandira Feghali, Lindbergh Farias, Gleisi Hoffmann e o ex-presidente Lula. Esses atuam em nível subconsciente na execução do código da guerra política. Eles já nem sequer pensam: “preciso rotular”, “preciso encaixar um frame”, “preciso estabelecer uma personalização” ou “preciso lançar um shaming”. Tudo, para eles, é automático. Em suma, isto é agilidade mental. Mas Janaína decididamente evoluiu e, aos poucos, foi adquirindo musculatura intelectual para defrontar os petistas, se não de igual para igual, ao menos com uma habilidade suficiente para – em cenário favorável, como está para os adversários do PT – vencê-los em algumas contendas.

Aos massacrados aposentados e a seus familiares

Almir Papalardo
Lembrem-se nas futuras eleições destes 21 senadores abaixo identificados, que com a maior cara de pau mostram preocupação e contrariedade contra a maldade que Michel Temer pretende fazer contra os aposentados.

Não deem o seu precioso voto a nenhum deles!

Acusam o presidente interino de ter a intenção de desvincular o reajuste das aposentadorias à correção do salário mínimo!


Quanta lealdade e preocupação com o indefeso aposentado!? Sensibilizam-nos estes aliados dos governos petistas! Se esquecem, ou se omitem por conveniência própria, que os governos Lula e Dilma foram useiros e vezeiros em alimentar esta perversidade!

Isto já vem sendo feito deste o primeiro mandato do Lula, que havia prometido aos aposentados numa entrevista ao apresentador Sílvio Santos, que iria devolver tudo o que FHC havia tirado das suas aposentadorias, porque, este também nos castigou, impondo-nos um reajuste com percentual inferior ao dado ao salário mínimo.

Portanto, já praticavam o desvínculo "Aposentadorias X SM", com um agravante maior ainda: além do imoral desvínculo, ainda praticavam uma terrível discriminação preconceituosa, porque era somente imposto a um terço dos aposentados, já que os outros dois terços de aposentados do mesmo regime, era dado o mesmo percentual de correção do salário mínimo!

Resumindo o despautério: dois percentuais diferenciados na atualização das aposentadorias!
Como disse o presidente do Senado: "A burrice é infinita"
Título, Imagem e Texto: Almir Papalardo, 31-8-2016

Relacionados:

Vanessa e a esquerda intelectual

Alberto José
O comunismo (Comunis, Coisa Pública) é um regime da tomada de poder pelos trabalhadores e a teórica distribuição de produção e do lucro.

Então, para se acostumar, essa comunista Grazziotin deveria estar trabalhando em uma fábrica ou no campo junto com as suas companheiras petistas e não vivendo na mordomia do Senado.

Se fosse instaurado o regime que ela deseja, a sua colega Gleisi Hoffman já seria fuzilada por ter se apropriado das verbas do proletariado juntamente com o seu marido desonesto!

 Macaca que muito pula leva chumbo!

Título, Imagem e Texto: Alberto José, 30-8-2016

Pingos nos Is: “Corja boa é aquela que estava aboletada na Petrobras e conduziu a empresa à ruína!”

Senador Paim, que vergonha!

Heitor Volkart
Senador, que barbaridade, que vergonha!

Quando em meados de 2014 recebia os seus e-mails dizendo que o PT tinha as suas imperfeições, mas que tinhas as suas próprias convicções e princípios, com um belíssimo discurso no Plenário, na Páscoa, acreditei, mas logo descobri que eras um demagogo, enganador dos Aposentados e também do Aerus, um Protelador dos PLs no Congresso a mando do PT.



Mas hoje vejo mais, porque tirastes a máscara por completo, és, no mínimo, conivente com tamanha incompetência, com tamanha roubalheira, com fraudes e mentiras deste Governo, caramba! 

Ter orgulho disto, é porque és um deles! Que Vergonha! Que Parlamentar és?

Eu, como Gaúcho, estou envergonhado, e como Beneficiário do Aerus estou é revoltado, com o que este seu Partido e os governantes dele, fizeram com os Aposentados do País, e tens Orgulho?

Sinceramente, que Vergonha!    
Estou enviando este e-mail com cópia para o Blog, para que todos saibam quem és!  
Título e Texto: Heitor Rudolfo Volkart, 30-8-2016

Relacionados:

terça-feira, 30 de agosto de 2016

“O Pavilhão Púrpura” lido

Gostei. Mas gostei mais do primeiro volume da trilogia, “As Flores de Lótus”. (O terceiro volume, ainda a publicar, será “O Reino do Meio”).

Nova Iorque, 1929. A bolsa entra em colapso, milhares de empresas fecham, milhões de pessoas vão para o desemprego. A crise instala-se no planeta.

Salazar é o ministro das Finanças em Portugal e a forma como lida com a Grande Depressão granjeia-lhe crescentes apoios. Conta com Artur Teixeira para subir a chefe de governo, mas primeiro terá de neutralizar a ameaça fascista.

O desemprego lança o Japão no desespero. Satake Fukui vê o seu país embarcar numa grande aventura militarista, a invasão da Manchúria, na mesma altura em que tem de escolher entre a bela Harumi e a doce Ren.

Lian-hua escapa a Mao Tse-tung e vai para Peiping. É aí que a jovem chinesa e a sua família enfrentam as terríveis consequências da invasão japonesa da Manchúria.

A crise mundial convence os bolcheviques de que o capitalismo acabou. Estaline intensifica as coletivizações na União Soviética e o preço, em mortes e fome, é pago por milhões de pessoas. Incluindo Nadezhda.

O mundo à beira do abismo.

Considerado pelos portugueses o seu maior escritor, José Rodrigues dos Santos acompanha-nos numa viagem palpitante à perigosa década de 1930 na companhia de figuras históricas como Salazar e Chiang Kai-shek. O Pavilhão Púrpura traz-nos o segundo tomo da mais ambiciosa saga da literatura portuguesa contemporânea.

«Um dos pesos pesados da literatura lusófona.»
Historia, França


Relacionados:
O Pavilhão Púrpura         

Venezuela: contra a censura!


Este é o cão mais sortudo do mundo. Um carro voou por cima dele num rali

Pupi estava a passear no pior sítio possível: uma estrada a ser utilizada por uma etapa de um rali. Por sorte (muita sorte), o piloto uruguaio Fernando Zuasnabar sobrevoou-o.



Já lhe chamam o cão mais sortudo do mundo. Pupi encontrava-se no meio de uma estrada que fazia parte do percurso do Rali da Bolívia, uma das etapas do Rali Sul-americano, a passear, sem saber bem onde estava e o perigo que corria. Muito próximo vinha o piloto uruguaio Fernando Zuasnabar, que, a poucos metros do cão, ganhou altura e sobrevoou literalmente o animal.

Ao ouvir o som do motor do carro de Zuasnabar, o cão começou a correr, tentando fugir do veículo. A Polícia Militar tentou tirar o animal do meio da pista pouco depois daquele momento.

As imagens, captadas pelo fotógrafo Emilio Ibarra Casal mostram bem como Pupi teve uma grande sorte em sair vivo daquele rali:


O vídeo está a tornar-se viral nas redes sociais:

Título e Texto: Observador, 30-8-2016

Relacionados:

Ibope-Datafolha: as duas primeiras pesquisas para prefeito do Rio

Cesar Maia
1. Com um intervalo de quatro dias desde o último fim de semana da Olimpíada, o IBOPE primeiro e o Datafolha em seguida entraram em campo para avaliar as intenções de voto para prefeito do Rio. Nos dois casos a proximidade da Olimpíada incorporou este fator.
                
2. Há muito tempo que não se via duas pesquisas de início da campanha eleitoral darem resultados tão parecidos. E não apenas nos números totais mas também nos cruzamentos. Esse pode ser um sinal de uma proporção alta de voto cristalizado.
                
3. As ruas estão limpas de cartazes no solo e de cartazes nos imóveis, criando uma sensação europeia de eleição. Ou seja: quem não sabe que se está em campanha eleitoral não saberá, pelo menos por enquanto.
                
4. Em ambas as pesquisas Crivella dispara entre os de menor nível de instrução e menor renda. Da mesma forma, Freixo mais que dobra suas intenções de voto entre os de maior renda e nível de instrução, acompanhado num patamar um pouco menor de Bolsonaro.
                
5. Entre os homens, Bolsonaro ocupa o segundo lugar, mas desaba entre as mulheres. Entre os jovens e de forma paralela, Freixo e Bolsonaro crescem. Esse crescimento ocorre mais entre os mais jovens mas se estende uma proporção um pouco menor até os 34 anos.
                  
6. Crivella dispara (47%) entre os Evangélicos, mas não cai tanto entre os católicos 24%. Freixo cresce dobrando suas intenções de voto entre os "sem religião". Entenda-se: não se trata de ateus, mas dos que não seguem nenhuma igreja mas acreditam em Deus. Aqui Freixo tem 22%.

Depois do impeachment

Péricles Capanema


Dissolve-se o clima festivo das Olimpíadas e a vida quotidiana retoma seus direitos. O que nos espera? O que aguarda o Brasil? João Domingos, jornalista, questionou o senador Lindbergh Farias sobre as manifestações populares pró-Dilma. “Não estamos mais conseguindo mobilizar ninguém”, admitiu o petista. João Domingos foi até Miguel Rossetto, o mais próximo conselheiro de Dilma e indagou por que havia sido relativamente fácil afastar a Presidente: “Por que não temos 10% de apoio. Não temos as ruas”. Alvejou ao constatar o óbvio: “Porque os golpistas têm mais força do que nós”. Dizem os espanhóis, la confesión de parte, relevo de pruebas.

Convém recordar que a enorme impopularidade da administração petista decorreu da queda do padrão de vida, da carestia, do desemprego crescente. Veio ainda da sensação de roubalheira generalizada. Os senadores favoráveis ao impeachment, provavelmente mais de 54, ao votar NÃO terão em vista apenas os crimes de responsabilidade. Seu olhar se fixará também no destruidor conjunto da obra petista.

Tudo o indica, Dilma será esquecida e logo respiraremos outra atmosfera, cada vez menos relacionada com o clima anterior.

Provavelmente o governo novo terá até dezembro de 2018 para executar seu programa. Se o TSE reprovar as contas de campanha da chapa Dilma-Temer antes de 31 de dezembro próximo, o que é difícil acontecer, o presidente terá o mandato cassado, assumiria Rodrigo Maia e em 90 dias haveria nova eleição presidencial. Se a referida condenação do TSE acontecer após 31 de dezembro próximo, mesma situação, mas, em eleição indireta o Congresso elege outro presidente. Nesse caso, o provável é a eleição de alguém com programa de governo parecido ao de Temer. O rumo pouco mudaria.

QUIZ: Walt Disney

Qual o título do filme com que Walt Disney inaugurou um novo gênero no cinema de animação?

A Fantasia
BBranca de Neve e os Sete Anões
CA Gata Borralheira 
DBambi

Charada (296)


Quantos algarismos
serão necessários
para numerarmos,
de 1 a 150, 
todas as páginas de um livro?

A dor da decepção

Nelson Teixeira
Infelizmente, ainda, a maioria de nós tem a mania de esperar demais dos outros. Muitas vezes confiamos cegamente em alguém, simplesmente porque se trata de um familiar, de alguém a quem muito amamos.

Só que nos esquecemos de que antes de alguém ser nosso parente próximo, um filho, um amigo, esse alguém é um ser humano como outro qualquer, com qualidades e também defeitos. Por termos laços afetivos com alguém, acreditamos que essa pessoa jamais nos causará decepção. Reside aí um grande engano.

Todos são passíveis de erros, por isso estamos aqui na Terra, ou seja, para aprendermos uns com os outros a desenvolvermos nossas virtudes, que ainda são pequenas sementes dentro de nós, tentando germinar, desabrochar. Sempre haverá um momento onde alguém muito querido nos causará alguma decepção, deixando de agir conforme nossas expectativas. Aí vem a dor e o sofrimento.

Temos que procurar entender que todos nós estamos no estágio de aprendizagem, e que não podemos cobrar tanto uns dos outros, pois cada qual tem o seu tempo para crescer e amadurecer.

Portanto, procuremos entender e não esperar a perfeição dos outros, principalmente daqueles que nos são caros, pois nós também erramos e muito. Sabe-se lá quantas vezes não decepcionamos alguém?

Siga amando e perdoando sempre. Tudo passa e o tempo é o remédio eficaz para amenizar todas as dores e até curá-las. Pense nisso! 
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 30-8-2016

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Comentários sobre o primeiro debate para prefeito do Rio na Tv Band

Cesar Maia


1. Jandira Feghali assumiu uma postura de anticandidata. Ofegante, destacou sua defesa de Dilma e repetiu a ladainha de golpistas àqueles cujos partidos votaram pelo impeachment. Marcou sua presença pela agressividade, especialmente contra Pedro Paulo do PMDB. Procurou colá-lo a Eduardo Cunha e voltou ao tema da agressão contra a mulher. Sua roupa estampada, não recomendada para debates em TV, mostrava a despreocupação com a avaliação da audiência. Cumpriu sua missão, que não era vencer a eleição.
                
2. Molon foi o que se saiu melhor. Focou bem a câmera se dirigindo ao eleitor. Fez críticas sistêmicas ao prefeito. Mostrou que o treino em plenário nesses dois anos lhe serviram muito. Faltou suavizar um pouco as feições quando fazia suas propostas. Ocupou bem o espaço de Freixo no debate. E mostrou-se como o mais preparado.
               
3. Índio da Costa tem usado camisas collants pretas desde os comerciais partidários dos últimos dois semestres. Ele ou seu marqueteiro devem ter querido gerar uma semelhança com Steve Jobs. No final uma caricatura. Entrou no tema segurança e distribuiu tiros à Prefeitura/Pedro Paulo, Jandira/Dilma e Crivella. O tiro a Crivella é um erro tático, pois quem disputa a ida ao segundo turno e o mesmo eleitorado com ele são Osório, Pedro Paulo e Bolsonaro.
               
4. Bolsonaro entrou no tema segurança na primeira pergunta. Prometeu transformar a Guarda Municipal numa subpolícia e armá-la. Na segunda pergunta mostrou insegurança. E depois passou mal, com queda de pressão, quase desmaiando. Essa imagem terminou sendo contraditória a seu discurso forte.

Hillary Could Shoot A Puppy, And The Media Wouldn't Care

Ben Shapiro


So, Hillary Clinton’s a criminal.
We all know it. That’s no shock.

video

But the extent of her criminality is truly incredible. It now turns out that Hillary didn’t just wipe her email server with a cloth. She used BleachBit, a program designed to completely obliterate any information that could have been recovered. As Rep. Trey Gowdy (R-SC) put it, “She and her lawyers had those emails deleted, and they didn’t just push the delete button. They had them deleted where even God can’t read them….You don’t use Bleachbit for yoga emails or bridesmaids’ emails. When you’re using Bleachbit, it is something you really do not want the world to see.”

Gowdy also stated that the FBI didn’t even bother to ask Hillary Clinton about her intentions in setting up her email server or wiping it. That’s unbelievable, especially considering that the FBI’s fig leaf for not recommending Hillary’s indictment rested entirely on the notion that Hillary lacked the requisite legal intent for criminal activity.

But they didn’t ask her about her intent.

Discurso integral de Dilma Rousseff no Senado Federal, em 29 de agosto de 2016

Dilma Roussef discursa no Senado Federal, 29 de agosto de 2016. Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski
Excelentíssimo Senhor Presidente do Senado Federal, Renan Calheiros,
Excelentíssimas Senhoras Senadoras e Excelentíssimos Senhores Senadores,
Cidadãs e Cidadãos de meu amado Brasil,

No dia 1º de janeiro de 2015 assumi meu segundo mandato à Presidência da República Federativa do Brasil. Fui eleita por mais 54 milhões de votos.

Na minha posse, assumi o compromisso de manter, defender e cumprir a Constituição, bem como o de observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.

Ao exercer a Presidência da República respeitei fielmente o compromisso que assumi perante a nação e aos que me elegeram. E me orgulho disso. Sempre acreditei na democracia e no Estado de direito, e sempre vi na Constituição de 1988 uma das grandes conquistas do nosso povo.

Jamais atentaria contra o que acredito ou praticaria atos contrários aos interesses daqueles que me elegeram.

Nesta jornada para me defender do impeachment me aproximei mais do povo, tive oportunidade de ouvir seu reconhecimento, de receber seu carinho. Ouvi também críticas duras ao meu governo, a erros que foram cometidos e a medidas e políticas que não foram adotadas. Acolho essas críticas com humildade. 

Até porque, como todos, tenho defeitos e cometo erros.

Entre os meus defeitos não está a deslealdade e a covardia.

Não traio os compromissos que assumo, os princípios que defendo ou os que lutam ao meu lado. Na luta contra a ditadura, recebi no meu corpo as marcas da tortura. Amarguei por anos o sofrimento da prisão. Vi companheiros e companheiras sendo violentados, e até assassinados.

Na época, eu era muito jovem. Tinha muito a esperar da vida. Tinha medo da morte, das sequelas da tortura no meu corpo e na minha alma. Mas não cedi. Resisti. Resisti à tempestade de terror que começava a me engolir, na escuridão dos tempos amargos em que o país vivia. Não mudei de lado.

domingo, 28 de agosto de 2016

Sismo em Itália: este cão não quis abandonar o caixão do dono

Um Cocker Spaniel foi fotografado junto ao caixão do dono, uma das quase 300 vítimas do sismo que abalou o centro de Itália. A imagem já se tornou viral pela lealdade canina nela implícita.

Ana Cristina Marques


O sismo que abalou a Itália na última quarta-feira proporcionou imagens impressionantes, como as que dão conta da destruição em Amatrice, uma comuna italiana fortemente afetada pelo tremor de terra. E entre os relatos fotográficos que invadem a internet está a imagem de um cão que se recusou a abandonar o caixão do dono.

O Cocker Spaniel foi visto e fotografado sentado junto ao caixão do dono, que o jornal britânico The Telegraph diz ser Andrea Cossu, de 45 anos, que estaria de férias na vila de Pescara del Tronto. O certo é que uma corrida por vários meios internacionais dá conta da lealdade do animal durante o funeral de Estado de 35 das centenas de vítimas mortais provocadas pelo sismo de 6,2 na escala de Richter.

 

A triste ironia da queda de Dilma Rousseff – traduzindo o Editorial do Le Monde

Primeiro, recebi do portal “Notícias ao Minuto”, edição Brasil (tem também a edição portuguesa com as mesmíssimas características: títulos sensacionalistas, muitas vezes não correspondentes ao texto!): Jornal francês 'Le Monde' questiona: golpe ou farsa?.

Curiosamente, os dois jornais escrevem “farsa”.

18 de agosto de 2016, foto: Eraldo Peres/AP

Humm… não é segredo para ninguém que esse jornal francês é de orientação ideológica esquerdista. Well, mas tudo bem, então procurei o original do editorial em busca frenética da afirmação “Queda de Dilma ou é golpe de Estado ou é farsa.” Achei algo parecido na última frase do texto, eu disse, na última frase do texto. Já lá vamos.

Eis a minha tradução do texto do Le Monde. Original aqui ou aqui.

Faço-a apelando aos meus conhecimentos da língua francesa, de improviso, digamos. Isso quer dizer que porventura algum vocábulo pode ter, gramaticalmente, um significado diferente do meu ‘improviso’.

“Primeira mulher presidente do Brasil, Dilma Rousseff vive seus últimos dias no cume (cúpula) do Estado. O resultado do seu processo de destituição, aberto na quinta-feira, 25 de agosto, no Senado, não traz nenhuma dúvida. A menos (que aconteça) um golpe de teatro, a protegida do bem-amado presidente Lula (2003-2010), suspensa das suas funções em maio, será definitivamente apeada do poder em 30 ou 31 de agosto.

Dilma Rousseff cometeu erros políticos, econômicos e táticos. Mas a sua exclusão, motivada por acrobacias contábeis às quais ela se dedicou assim como outros presidentes, não passará à posteridade como um episódio glorioso da jovem democracia brasileira.

Para descrever o processo corrente, os seus seguidores evocam “um crime perfeito”. O impeachment, na Constituição brasileira, tem todos os trunfos da legitimidade. (No original está ‘atours’). Ninguém, na verdade, veio desalojar Dilma Rousseff, reeleita em 2014, pela força das baionetas. A antiga guerrilheira ela mesma usou de todos os recursos legais para se defender, em vão. Impopular e inábil, Dilma Rousseff  diz-se vítima de um ‘golpe de Estado’ fomentado por seus adversários, pela mídia, e em particular pela televisão Globo, às ordens de uma elite econômica preocupada em preservar os seus interesses pretensamente ameaçados pela sede de igualitarismo do seu partido, o Partido dos Trabalhadores.

Le Monde: La triste ironie de la chute de Dilma Rousseff

LE MONDE | 26.08.2016 à 11h25 • Mis à jour le 26.08.2016 à 11h28
Editorial. Première femme présidente du Brésil, Dilma Rousseff vit ses derniers jours au sommet de l’Etat. L’issue de son procès en destitution, ouvert jeudi 25 août au Sénat, ne fait guère de doute. A moins d’un coup de théâtre, la dauphine du bien-aimé président Lula (2003-2010), suspendue de ses fonctions en mai, sera définitivement chassée du pouvoir le 30 ou le 31 août.

Dilma Rousseff a commis des erreurs politiques, économiques et tactiques. Mais son éviction, motivée par des acrobaties comptables auxquelles elle s’est livrée comme bien d’autres présidents, ne passera pas à la postérité comme un épisode glorieux de la jeune démocratie brésilienne.

Pour décrire le processus en cours, ses partisans évoquent un « crime parfait ». L’impeachment, prévu dans la Constitution brésilienne, a tous les atours de la légitimité. Personne, de fait, n’est venu déloger Dilma Rousseff, réélue en 2014, par la force des baïonnettes. L’ancienne guerrillera a elle-même usé de tous les recours légaux pour se défendre, en vain. Impopulaire et malhabile, Dilma Rousseff s’estime victime d’un « coup d’Etat » fomenté par ses adversaires, par les médias, et en particulier par la télévision Globo, aux ordres d’une élite économique soucieuse de préserver ses intérêts prétendument menacés par la soif d’égalitarisme de son parti, le Parti des travailleurs (PT).

La bête noire d’une partie des Brésiliens
Cette guerre au sommet s’est déroulée sur fond de révolte sociale. Après les « années bonheur » de prospérité économique, d’avancées sociales et de recul de la pauvreté sous les deux mandats de Lula, est venu, dès 2013, le temps des revendications citoyennes. L’accès à la consommation, l’organisation de la Coupe du monde puis des Jeux olympiques n’étaient plus de nature à combler le « peuple ». Il voulait davantage que « du pain et des jeux » : des écoles, des hôpitaux, une police fiable.

O nariz e o umbigo

José Manuel

Stock Illustration
Com a indefectível empáfia parisiense e o nariz tão alto quanto a torre Eiffel, o Le Monde num infeliz editorial em 27/08/2016 mete o bedelho na casa dos outros sem ser chamado.

Alega que se não estamos cometendo um golpe, estamos protagonizando uma farsa, no caso do impeachment da presidente afastada.

Ora, como já foi atestado pelos estadistas alemães e americanos, o que aqui ocorre tranquilamente é nada mais que o Estado de Direito em afastar constitucionalmente uma presidente que cometeu crime fiscal contra as instituições, nada mais que isso e tudo dentro do que a carta magna determina.

Estranhamente, nosso Ministério de Relações Exteriores não se manifestou, mas o populacho não confortável com as bobagens escritas reage.

Gostaríamos de dizer ao Le Monde que apesar de treze anos de erros e infortúnios, não capitulamos às tentativas explícitas de um socialismo fajuto, não deixamos passar nenhum bolivariano sob nossos arcos e nem deixamos que marchassem por nossos campos elísios.

Na década de 40, os " bizarros " soldados de um país bizarro, como vocês nos chamam, embarcaram para a Europa, para livrar o povo de seu país do jugo nazista, mas ao que tudo indica esqueceram a ponto de não escrever um editorial de agradecimento. Estamos esperando isso há mais de setenta anos.

Então gostaríamos que olhassem para o próprio umbigo, nos deixem em paz e por favor embrulhem as suas baguetes. 
Título e Texto: José Manuel, podemos parecer, mas também sabemos escrever, 28-8-2016

A peça teatral ‘Dilma Rousseff’...

Valdemar Habitzreuter
Desde quinta-feira (25/08) está sendo encenado pela TV Senado o grande espetáculo do impeachment de Dilma.



O primeiro ato terminou ontem (27/08). Este primeiro ato foi a demonstração de forças pró e contra de Dilma voltar a governar o país. Tanto as personagens do pró quanto as do contra são exímios atores. Os atores pró Dilma, no papel de testemunhas ou informantes, usaram muito bem suas máscaras de personagens como eminentes advogados, economistas e professores de renomadas Universidades do país na defesa de Dilma. O incauto telespectador, sem dúvida, poderia facilmente tender para o lado da defesa de Dilma se não se atentasse aos falaciosos argumentos apresentados. Parecia que o crime de responsabilidade fiscal cometida por Dilma desaparecia num toque de mágica pela verborragia bem montada dos atores da defesa.

Os atores da acusação tiveram muito trabalho para demonstrar as falácias argumentativas dos exímios atores pró Dilma. É impressionante como a linguagem é rica em manobras verbais em que uma mentira pode, sub-repticiamente, ser transformada em suposta ‘verdade’ pela boca de inescrupulosos personagens.

E amanhã teremos o prosseguimento da encenação teatral; será talvez o auge da peça em que a protagonista Dilma se apresentará tentando reverter sua situação de ré para vítima nesse imbróglio do impeachment. Mas como sabemos, ela não possui a coordenação verbal para dar sentido a sua fala, além de já ter sido provado sua culpa no desastre e caos econômico que o país atravessa com suas pedaladas e decretos suplementares sem a autorização do Congresso. Aventa-se que que o único recurso de Dilma seria o choro para sensibilizar a audiência. Vamos ver se ao menos isso ela é capaz de fazer, sabendo que será o choro de despedida. Não percam, pois, o gran finale dessa peça teatral ‘Dilma Rousseff’...    
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 28-8-2016

Relacionados:

“Vai trepar muito aqui!”, diz o prefeito do Rio de Janeiro a moradora

Caio Barretto Briso

Um vídeo de 54 segundos que circula na internet nesta sexta-feira mostra o prefeito Eduardo Paes fazendo piadas de cunho sexual com uma mulher que acabara de ganhar um apartamento da prefeitura. "Ai, meu Deus, sou eu!", exclama Rita, ao receber a chave das mãos do prefeito. Eles entram na casa e, quando estão no quarto, Paes diz para ela: "Vai trepar muito nesse quartinho". Em seguida, pergunta se a moça é casada. E emenda: "Vai trazer muito namorado pra cá". Ainda no apartamento, ele insiste: "Rita, faz muito sexo aqui".

Já do lado de fora, Paes grita para a multidão de vizinhos da ganhadora da casa, que assistia à cerimônia: "Ela disse que vai fazer muito canguru perneta aqui. Tá liberado, hein. A senha primeiro", diz o prefeito. 

Neste momento, a mulher se afasta, dizendo que vai trancar a porta de casa. Como se entendesse a gravidade do comportamento, Paes diz para o cinegrafista: "Corta, hein".
()
Texto: Caio Barretto Briso, O Globo, 28-8-2016


Relacionado: 
Trepe muito

QUIZ: Um rato

“Tudo começou com um rato”. Quem costumava repetir esta frase nas suas entrevistas?

A – Walt Disney
B – Katharine Hepburn
C – Charles Chaplin 
D – Humprey Bogart

Charada (295)

Leonel e Rafael estão na gare
de uma estação ferroviária,
olhando para o mesmo comboio.
Porém, Leonel vê
o comboio a CHEGAR
e Rafael vê o comboio a PARTIR.


Como se explica 
tal contradição?

Sonho e ilusão

Nelson Teixeira
Para vivermos bem, felizes e com esperança é primordial que tenhamos um objetivo, uma meta, um sonho. Não importa o tamanho do sonho, mas ele tem que ser algo possível de se realizar. Quando se luta por um sonho real, se nos empenharmos na busca para sua concretização, mantendo a coragem, a perseverança, a determinação e a fé, com certeza ele se realizará.

Porém, há sonhos que estão muito distantes da realidade. São casos onde o sonhador coloca sua felicidade onde ela não existe. São os sonhos baseados na ilusão, no engano, nos erros. Nesses casos, quando a pessoa se dá conta, percebe o engodo de que foi vítima e a dor será inevitável.

Assim, ter um sonho na vida é muito positivo, pois nos dá forças para continuarmos a nossa jornada na Terra, em busca do conhecimento e do aperfeiçoamento do espírito. Mas temos que sonhar com os pés no chão.

Sonhe, planeje, trace metas para realizar o seu sonho, mas sempre alicerçado em bases concretas. Agindo assim, saiba que estará muito próximo de ver concretizado o seu sonho.

E não se esqueça: o sonho não tem limites, pois realizado um, logo estaremos desejando algo novo para nossa vida. Mas não devemos nos esquecer de que o sonho deve ser algo construtivo e voltado para o bem.

O sonho quando condizente com a realidade nos impulsiona ao conhecimento e à aprendizagem na jornada terrena. 
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 28-8-2016

Vitória (ES), 4 de setembro: Beer Trip

Olá Apreciadores de uma Boa Cerveja,
O Expresso Gourmet preparou um Tour Especial para quem aprecia uma boa cerveja - o Beer Trip.

Visitaremos duas cervejarias artesanais do Espírito Santo - Else (Viana) e a Barba Ruiva (Domingos Martins).
Saída: 4 de setembro, domingo
Local de saída: Praça dos Namorados, em frente ao Bob's, em Vitória
Horário de saída: 09 horas
Transporte micro ônibus: ar condicionado, frigobar, som, TV e guia de turismo



Roteiro:

01) Cervejaria Else em Viana - visitação à produção e degustação de cervejas.
02) Restaurante em Domingos Martins - onde será servido um autêntico prato belga, preparado pelo Chef Bruno "Belga",  harmonizado com as cervejas Trindade apresentadas pelo Mestre Cervejeiro Marcelo

03) Cervejaria Barba Ruiva, em Domingos Martins - visitação à produção e degustação de cervejas.
Sorteio de Brindes Cervejeiros
Previsão de retorno para Vitória: 17 horas