segunda-feira, 8 de maio de 2017

[Aparecido rasga o verbo] Luana

Aparecido Raimundo de Souza


(para minha filha Luana Cristina, com carinho e afeição neste dia em que completa dezenove anos – 8 de maio de 2017)

Ao chegares
o deserto da minha vida
cobriu-se de rosas...

O interminável do tempo
tornou-se em momento
de puro contentamento.

O vazio do meu coração
transbordou no amor
que perfuma a vida;



Então, as palavras se tornaram poucas
e houve plena comunhão
em meu silêncio...

A desesperança foi embora
e a plenitude se fez realidade
no meu viver...

Hoje, bem, hoje, tu és é o sol que me fascina
Ah, como eu te amo,
minha filha, LUANA CRISTINA.


Assistam ao vídeo com esta poesia:


Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. Do Rio de Janeiro. Setembro de 2011

Colunas anteriores:

3 comentários:

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-